Globalização, cultura e educação geográfica marcam as apresentações do curso de Geografia no SEPE


Por Agência CentralSul de Notícias

 

O XVII Simpósio de Ensino, Pesquisa e Extensão, iniciou na última segunda-feira, dia 01 de outubro, na UNIFRA, com o tema Educação e cultura para a transformação de pessoas. No segundo dia do evento, seis alunas do Curso de Geografia tiveram a oportunidade de apresentar seus trabalhos, no prédio 4, do conjunto I, da Instituição. Na totalidade foram expostas nove pesquisas que contaram com a avaliação dos professores presentes Valdemar Valente e Gislaine Auzani.

O Professor Valdemar Valente dividiu em três únicas temáticas os trabalhos apresentados: globalização, geografia cultural e a educação geográfica. Além disso, falou sobre a abordagem didática oferecida atualmente nas escolas pelos professores das disciplinas. Segundo ele o desafio atual dos professores e futuros professores está em descobrir novos métodos de aprendizagem. “Geografia está na UTI. Temos que fugir da didática maçante e da geografia da decoreba trabalhada antigamente”. destacou.

Alissani Koning, aluna do 2º semestre, apresentou o trabalho “Contribuições do PIBID/Geografia/UNIFRA na formação docente. Em co-autoria com Deise Caroline Trindade e Natalia Lampert e Orientação da Professora Doutora Gislaine Auzani, buscaram identificar quais eram as colaboração de aprendizado do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência- PIBID, aplicado pelos alunos do Curso de Geografia da IES, a alunos da rede Estadual de Ensino. Para a pesquisa foram realizadas entrevistas com os alunos que receberam o programa em sala de aula.

A estudante do 10º semestre, Ana Luiza Pinto Alves, representou o curso de Geografia da UFSM. Com orientação da Professora Doutora Meri Bezzi e auxilio da colega Paloma Saccol, utilizou-se de coleta de dados e entrevistas para realizar o trabalho “A manifestação da cultura Gaucha na cidade de Bagé. Ana Luiza apresentou o trabalho que mostra os costumes tradicionais que se mantêm, a identidade cultural e as principais formas de pecuária e agricultura no município da campanha.

As tradicionais danças gaúchas Chula e Dança do Facão, juntamente com a apresentação das regiões Charqueadoras, no Rio Grande do Sul, foram os temas abordados pelos dois trabalhos apresentados pela aluna Bruna Cassiele. O primeiro artigo exposto tinha como objetivo apresentar as danças difundidas em CTGs e entidades que valorizam a cultura regional. A outra atividade exibida pela aluna, inicialmente fazia parte da disciplina curricular do Curso, Projeto Coletivo I. O artigo possui um levantamento histórico da prática da produção de Charque no nosso
Estado. Para melhor visão espacial foi utilizado a produção de uma maquete, como forma de didática para os alunos.

Dança também foi o tema desenvolvido na pesquisa da aluna Deise Trindade Lorensi. O artigo “O Tango e sua influência na construção da cultura portenha da identidade nacional argentina” que teve orientação da Professora Doutora Elsbeth Leia Spode Becker, é resultado de um trabalho realizado pela aluna. Em conjunto com alunos do 8º ano da Escola CAIC, de Santa Maria, foi elaborada uma revista digital online sobre a dança rioplatense. Além disso, Deise Lorensi ainda apresentou o artigo “Educação geográfica: investigando a paisagem”, realizado em conjunto com Andressa Pozzobom, que buscava apurar a educação geográfica atual, ressaltando a importância das práticas de didática para o ensinamento da área.

Estudante do 4º semestre de Geografia do Centro Universitário Franciscano, Eva Cristiane Gabriel, expôs o artigo “Percepção acerca da educação inclusiva do PIBID, na Escola Escola Estadual de 1º e 2º Graus Coronel Pilar”. Com co-autoria de Natalia Lampert e Alissani Koning, desenvolveram um artigo relatando a experiência do trabalho com três alunos especiais, que cursam o ensino regular da escola. Eva Gabriel ainda ressaltou a importância da acessibilidade nas escolas. “Escola inclusiva tem o intuito de preparar o aluno para a vida”, destacou.

A última a apresentar seus trabalhos foi a aluna do 8º semestre, Natalia Lampert Batista. “Estágio Curricular Supervisionado III: Percepções a cerca do trabalho Viagem na América” conta como foi elaborada a inserção das acadêmicas no ambiente escolar e a transformação do sujeito aluno em sujeito professor. E com a orientação da Profssora Mestre Lia Margot Dornelles Viero realizou o artigo “Ferrovia um marco histórico-cultural do Bairro Itararé – Santa Maria/RS”. Através de entrevistas com moradores antigos da localidade é feito um resgate histórico do bairro e a importância da extinta ferrovia na cidade.

Por Eduardo Clavé

Sobre o autor:

Agência CentralSul de Notícias

Um Comentário

  • Elsbeth Léia Spode Becker
    8 out 2013 | Permalink | Responder

    Excelente divulgação dos trabalhos. Parabéns pela reportagem. Faltou uma fotografia!

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *