Vereadores aprovam moção de repúdio ao governo Sartori


Por Agência CentralSul de Notícias

 

Guerra

Decisão apertada aprova moção de repúdio ao governo Sartori pela proposta de extinção das fundações públicas do Estado.Foto: Fabrício Vargas

Na tarde de hoje, 01 de dezembro, a Câmara de Vereadores de Santa Maria aprovou por 11 votos a 9, uma moção de repúdio ao governo do Estado  pelo pacote encaminhado à Assembleia Legislativa propondo a extinção das Fundações Públicas gaúchas.

De autoria do vereador Luciano Guerra (PT), a moção defende a necessidade da manutenção das fundações, previstas para serem extintas: CIENTEC – Fundação de Ciência e Tecnologia;FCP – TVE – Fundação Cultural Piratini; FDRH – Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos;FEE – Fundação de Economia e Estatística; FEPAGRO – Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária; FEPPS – Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde; FIGTF – Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore; FZB – Fundação de Zoobotânica; METROPLAN – Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional.

De acordo com o parlamentar, o que está sendo arquitetado pelo governo do estado é o aprimoramento de um desmonte da máquina pública e a desvalorização dos servidores. “Como se não bastasse o parcelamento dos salários dos trabalhadores públicos todos os meses, agora anuncia um processo de extinção de fundações importantes. Atos que comprometem o futuro do Rio Grande do Sul, sem resolver, de fato, os problemas financeiros”, explicou.

A votação foi acompanhada por representantes da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro) de Santa Maria, que anteriormente, utilizaram o espaço da Tribuna Livre em defesa das Fundações Públicas. Segundo eles, medida similar aconteceu nos governos de Antonio Britto e Yeda Cruzius e se mostraram ineficazes.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Câmara de Vereadores

 

 

Sobre o autor:

Agência CentralSul de Notícias

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *