Ciências Econômicas tem projeto de integração para 2017


Por Amanda Souza

 

O professor aposta no projeto de integração dos cursos para qualificar ainda mais essa graduação. Foto: Samuel Oliveira/Laboratório de Fotografia e Memória.

O professor aposta no projeto de integração dos cursos para qualificar ainda mais essa graduação. Foto: Samuel Oliveira/Laboratório de Fotografia e Memória.

O curso de Ciência Econômicas é mais pragmático e aplicado, segundo o professor José Maria Pereira. Apesar de ser um curso noturno, tem uma dinamicidade particular. O tempo de graduação é 4 anos.

Em 2017 a grade curricular irá mudar, ocorrendo a instituição de disciplinas comuns com os cursos de Administração e Ciências Contábeis. “É possível que o acadêmico faça cadeiras comuns entre três cursos da área econômica. Pode se formar, e depois pode concluir o outro em dois anos outro da mesma área”, diz Pereira.
A dificuldade dos docentes é atrair os alunos, pois há mitos que dizem, por exemplo, que é um curso muito matemático, de linguagem difícil. Segundo o professor, o acadêmico depois que entra na graduação de Economia, continua e poucos desistem. “Vamos tentar manter o estudante aqui na instituição a partir de integrações e práticas. Temos que ter formas criativas de conduzir o curso”, afirma o professor.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *