Comércio em torno da Unifra muda em dia de vestibular


Por Gabriele Bordin

 

Com o Vestibular Unifra há grande movimento de estudantes, professores, cursinhos, familiares dos candidatos, e  a rotina dos comerciantes próximos à Unifra também muda. A demanda de águas, lanches, almoços, chocolates e, até mesmo canetas, é disparada. Tal movimento traz lucros aos comerciantes que abrem os estabelecimentos em horários alternativos e recebem pessoas de diferentes lugares do país.

Leandro Boerto administra junto aos pais a lancheria da família, que fica próxima à Unifra. Foto: Julie Brum, Labfem

Leandro Boerto é filho dos donos da lancheria  Xis do Bira que faz sucesso entre os alunos da Unifra em dias de aula. Leandro conta sobre os três anos em que vem acompanhando os vestibulares da Unifra, desde que inauguraram o estabelecimento. Ele diz que normalmente saem bastante pasteis e a la minutas para pais e vestibulandos. “Vendemos muitas águas, cerca de 40 a 50% a mais do que nos dias normais. Além de chocolates e canetas, é um bom caixa a mais”, conta Leandro.

Pedro Boscaini, proprietário do restaurante Meio Dia, próximo aos três conjuntos da Unifra. Ele conta que é o primeiro vestibular da instituição com que o estabelecimento se depara. O comerciante observa as pessoas ansiosas e diz  da melhora do movimento. “Os estudantes vêm comendo pouco e pensando muito”, diz Pedro.

O comerciante Diego Machado é proprietário de bar que fica ao lado do conjunto I da Unifra. Foto: Julie Brum, Labfem

Diego Machado de Freitas e a esposa Suzana são proprietários do bar Boteco do Mineiro que fica em frente ao conjunto III da Unifra. Diego conta que nas próximas férias mudarão o horário para seguir o ritmo da instituição. Além disso,  pretendem servir almoços para atender a demanda dos alunos. É o segundo vestibular de verão que o casal acompanha. Freitas conta que eles ouvem muitas histórias de pais que falam a respeito da maratona de provas que os filhos encaram. Tem pais que “andam mais de mil quilômetros em dois ou três dias; vem estas histórias, como de pessoas que voltam por não terem conseguido passar nos outros anos, então acabamos criando um vínculo”, comenta ele.

Rosemar Mendes conta à ACS sobre a movimentação de sua padaria no dia de Vestibular Unifra. Foto: Julie Brum, Labfem

Já Rosemar Mendes é dono da padaria Derf, próxima à Unifra. Ele conta que muitos vestibulandos foram até lá para comprarem água. Ele diz ter sido bem corrido. O comerciante considera a movimentação importante para o comércio local.

Por: Gabriele Bordin e Luísa Peixoto

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *