Leituras indicadas para o vestibular da Unifra: “Ramilonga – A estética do Frio”


Por Fernando Cezar

 

Vitor Ramil: cantor, compositor, escritor. Ele é o responsável por criar e escrever o álbum “Ramilonga – A estética do frio”. A composição é o quinto álbum do cantor no qual ele inaugura as “sete cidades da milonga”.

Rigor, clareza, profundidade, concisão, pureza, leveza e melancolia, através delas surgem 11 “Ramilongas”, as quais percorrem o imaginário regional gaúcho, que mescla desde a maneira que o gaúcho campeiro gesticula sua fala com o homem do meio urbano.

Viver em um país tropical, para o gaúcho, é normal supervalorizar o clima. Um dos lugares mais frios do país, para o morador da região é algo a se valorizar, em contraste à toda a imagem que o mundo a fora tem sobre o estado. O povo gaúcho sempre se sentiu excluído, desde a cor do mar, às praias, ao clima, e isso trouxe uma visão de que o Estado seria um “Brasil sem graça”.

Nesse contexto que aparece a poesia de Vitor Ramil, onde a estética do frio aparece e o esteriótipo da identidade do povo gaúcho passa por uma reflexão, na qual o autor recusa o esteriótipo do gauchismo, trazendo uma expressividade mais sofisticada e suave, ao oposto do canto forte e marcado. Além disso, os instrumentos, como a gaita, são substituídos por outros, como os africanos e os do povo indígena, os quais jamais haviam sido postos neste gênero da música gaúcha.

“Ramilonga” foi lançado em 1997 e tem cerca de 46 minutos de duração. É considerada um marco na carreira de Vitor Ramil.

O LaProa realizou um vídeo especial sobre o álbum, no qual contam mais detalhes sobre esta obra da música gaúcha. Confira: 

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *