Trekking, exercício para saúde física e mental


Por Samuel Lemos

 

Rincão do Canto, Itaara, etapa da trilha com pouco declive. Foto: Tiago Korb/divulgação

Já pensou em se exercitar, relaxar, fazer novas amizades e ainda aproveitar o final de semana em meio à natureza, longe da rotina cansativa da cidade? Você não está sozinho! Existem possibilidades mais próximas do que você imagina. O Clube Trekking de Santa Maria, criado em 2007, organiza atividades que incluem várias modalidades como  trekking, rapel, hiking, travessias e acampamentos.

As trilhas são frequentes em toda a região, em percursos com morros, matas, cachoeiras e estradas. As trilhas são classificadas por níveis de dificuldade, podendo ser praticadas por pessoas dos mais diferentes perfis e com respeito ao limite físico individual.

No dia 11 de novembro, um sábado de muito sol, foi realizado uma destas atividades, a de número 870 nas Cachoeiras do Rincão do Canto, em Itaara. Uma trilha de nível 5 (Básico), ou seja, com 6 km de caminhada, considerada leve, sem declives acentuados, ideal para iniciantes. A rota é guiada por Tiago de Pellegrini Korb – presidente do Clube Trekking de Santa Maria – e sua equipe, que acompanham sempre o trajeto para que ninguém se perca e para a segurança e conforto de todos os praticantes.

Uma das quedas d’água da trilha em Itaara. Foto: Tiago Korb/divulgação

Os praticantes são diversificados. Vão de jovens atrás de novas experiências a atletas que dedicam boa parte da vida no esporte. O atleta Douglas Alencar Schollmeier, 30 anos, carteiro dos Correios que participa há 7 anos de provas de atletismo rústico. “Foi a segunda vez que participei, Conheci pela internet logo que cheguei em Santa Maria (agosto de 2017). Estava pesquisando por alguma coisa pra fazer na cidade, pois gosto muito de esportes, fui na primeira em setembro e gostei muito. A equipe é atenciosa e profissional. Sem falar nas belas paisagens e no exercício físico. Outra coisa legal é fazer novas amizades. A trilha do Rincão do Canto foi maravilhosa. Tem lindas cascatas e boa companhia. Agora é se preparar para próxima”, disse Douglas Alencar.

Outra alternativa é para quem não tem tempo para a prática constante de exercícios e aproveita o final de semana para unir o útil ao agradável, como Marcelo Meirelles, 21 anos, que nunca havia participado do Clube do Trekking. “Acabei conhecendo por uma amiga que estava no Facebook, viu o evento da trilha e convidou todo o pessoal de um grupo de amigos no Whatsapp”, conta. O jovem estudante de Engenharia Química e empresário Júnior passa quase todo o tempo de estudo e trabalho dentro de uma sala, por isso valoriza os “escapes” do cotidiano, principalmente com a parceria dos amigos. Quando foi questionado se voltaria a praticar, a resposta não poderia ser diferente: “sempre ouvi falar dessas cachoeiras aqui de Itaara, mas nunca tinha tido a oportunidade de conhecê-las. Fiquei realmente admirado com a beleza delas e daqueles rochedos naturais também. Realmente uma expectativa que foi mais que superada. Fiquei com gostinho de quero mais. Quanto ao preparo físico, pra mim, foi tranquilo, mesmo que, muitas vezes, abra mão do exercício por falta de tempo, consegui me dar bem e quero subir o nível de dificuldade.

O Clube Trekking não tem apoio da iniciativa pública, ou seja, é um serviço particular que luta com os seus próprios pés para realizar trilhas, descobri-las e explorá-las. Os eventos têm valor médio de R$35. Mais informações pelo site.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *