Voleibol de Santa Maria: entidades fomentam a prática esportiva


Por José Matheus Beck

 

Maria Eugênia celebra a convocação para seleção gaúcha sub-15. Foto: AVF/Divulgação

O voleibol foi criado em 1895 com o objetivo de originar um esporte de equipes sem contato físico entre os adversários, de modo a minimizar os riscos de lesões. Era praticado de forma recreativa, com regras diferentes das atuais, com pouca técnica e nenhuma tática. A partir dos anos 1970, a Confederação Brasileira de Voleibol estimulou o desenvolvimento do esporte nacional e internacional. Em Santa Maria, há associações que fomentam a prática esportiva.

A Associação Volêi Futuro foi fundada em 2008 com categorias de base feminino. Atualmente, a entidade tem quatro equipes femininas: mirim, infantil, infanto-juvenil e adulta.

Os treinos acontecem no Centro Desportivo Municipal (CDM) de duas a três vezes por semana. São conduzidos pelos técnicos Jean-Pierre Chagas e Maria Esther Gomes de Souza (Mirim), e Maurício Fruet (Infantil, Infanto-juvenil e adultos).

“O Volêi em Santa Maria vem num crescente em número de entidades. Contudo, ainda carece de qualidade. Ou seja, tem muita gente que está montando equipes. Isso é positivo. Porém, faltam profissionais capacitados para trabalhar com o voleibol”, analisa o presidente da AVF, Jean-Pierre Chagas Avila.

Durante o ano, a AVF disputa o Estadual nas categorias mirim, infantil e infanto-juvenil. E também participa de torneios na cidade, como a Copa Dores, e em outros municípios gaúchos. Financeiramente, a AVF custeia suas atividades por meio de patrocinadores, recursos do Projeto Esporte Brasil (Proesp) e as mensalidades pagas pelas atletas. Algumas desportistas são convocadas para selecionados do estado. O caso mais recente é o de Maria Eugênia Rodrigues Tólio, que está na Sub-15 do Rio Grande do Sul.

“Ficamos muitos felizes, mas não surpresos. Acompanhamos a trajetória dela (Maria Eugênia) na entidade. Uma atleta determinada e disposta a pagar o preço para estar na seleção gaúcha”. Comenta o presidente.

A Associação Amigos do Volêi de Santa Maria (AAVSM) surgiu em 1973, com o incentivo de Paulo Roberto Laporta, com objetivo de arrecadar fundos para que a equipe disputasse o Estadual. Entretanto, algum tempo depois foi fechada. Em 1998, o professor Laporta uniu seus ex-alunos e atletas para reinaugurar a associação. A agremiação, inicialmente, utilizou as instalações do Clube Recreativo Dores. Atualmente, não se restringe aos associados da entidade.

Com 35 atletas, todos acima dos 40 anos, praticam, semanalmente, voleibol. A associação utilizou, nesta temporada, as instalações do SEST/SENAT para os encontros às terças e aos sábados A Associação Amigos do Voleibol não joga na força livre e sim, torneios na categoria máster. Atualmente há duas categorias (40+ e 45+).

“O voleibol praticado, atualmente, embora inalterado em suas premissas básicas, é completamente diferente de décadas atrás. ” Explica o presidente da AAVSM, Ricardo Luis Forneck.

Ainda, segundo o presidente, o esporte é pouco praticado na cidade. E ao invés de lamentar o pouco número de praticantes, prefere ressaltar a luta dessas equipes de não deixar o esporte ser esquecido no coração dos santa-marienses.

 

Principais Títulos

– Uruguai 2016: Torneio Maxi Voley, Paso de Los Toro e Torneio de Maxi Voley de Tacuarembó;

– Campeão do Torneio Sul-Americano de voleibol e Copa Paulo Roberto Laporta 2017, em Santa Maria;

– Vice-campeão do Torneio da Cidade de Tacuarembó 2017, Uruguai;

 

“Possuímos uma boa relação com os times do exterior. Recebemos convites para participar de várias competições organizadas por eles (uruguaios, argentinos e paraguaios). Contudo, a condição financeira não nos ajuda”. Comenta Ricardo.

De acordo com o presidente, neste ano percorreram mais de 5.600km representando a cidade e o esporte local. Ele também projeta o calendário de competições para 2018. A partir de abril, a entidade participará de uma competição por mês (no Brasil ou exterior).

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *