Gestão do futuro é tema de oficina na UFN


Por Bruna Milani

 

Professor Lissandro Dornelles da UFN. Foto:Vítor Cargnelutti/LABFEM

Serviços, marcas, tecnologia e outros mecanismos rondam o mercado de trabalho que a cada dia preocupa-se com o futuro. Essa foi uma das discussões na tarde de hoje, dia 11, durante o II Fórum Integrado de Negócios, com a oficina sobre  Gestão inovadora com foco no futuro, ministrada por Lissandro Dorneles Dalla Nora,  professor da Universidade Franciscana.

O workshop atingiu os cursos de Administração, Ciências contábeis e Ciências Econômicas para debater sobre os desafios que universitários enfrentarão ao ingressarem no mercado de trabalho após a formação acadêmica. “A gestão da inovação é muito complexa. Todos vocês vão ter que fazer a gestão da inovação, não existe mais fazer só o tradicional, tem que se adaptar e sempre recebemos desafios”, argumentou Lissandro.

Através de slides foi demonstrado a linha do tempo da evolução da tecnologia, marcas e serviços. Para o professor hoje em dia existem computadores que podem ser transformados em tablets e vídeo games que parecem mais com a realidade do que um jogo, que resultou em um exercício passado para o público presente para escreverem como foi um determinado objeto, como ele se apresenta hoje e como que ele vai ser visto amanhã. “de que forma eu vou tornar sustentável a minha organização se eu não olho para o amanhã”, refletiu.

A gestão do futuro prevê também que negócios feitos no passado, como os mascates citado na oficina, possam voltar e ser transformado em algo sustentável. “Amazon, aliexpress, são os novos mascates porque eles vendem produtos de diversas empresas e a conexão em rede, as compras virtuais predominam. Vocês vão ter que transformar os negócios para se adaptarem a isso. E ai vem a questão de marketing multinível”, comentou o professor. Para ele, as empresas e as pessoas apresentam evolução em velocidades que geram perfis diferentes para quem vai fazer gestão. Muita coisa está   acontecendo nessa própria geração, até mesmo com as marcas. ” As marcas muitas vezes representam a imagem da empresa, o que ela quer colocar”, destacou Lissandro. Na apresentação foram mostradas marcas como: Apple, Shell, Nokia, entre outros.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *