Novembro é o mês do empreendedorismo na UFN


Por Bruna Milani

 

 Da direita para a esquerda: Hélio Hey, da UFSM; Aislan Menk, sócio da Stars Aceleradora; Lissandro Dallanora, da ITEC/UFN; Marco Jacobsen, assessor de Desenvolvimento Econômico e Inovação da Prefeitura de Santa Maria e Tiago Sanchotone, responsável pelo SM Tecnoparque. Foto: Mariana Olhaberriet/LABFEM

Iniciou na tarde de segunda – feira, 05, na Universidade Franciscana, o mês do empreendedorismo promovido pelo Ambiente da Inovação da instituição. O objetivo é proporcionar a integração e a aproximação entre os gestores e representantes de empresa, com os universitários que pretendem seguir no ramo empresarial.

O painel Ecossistema de Inovação de Santa Maria e seus habitats reuniu professores e empresários. O primeiro a falar foi o professor Hélio Hey, da Universidade Federal de Santa Maria, que ressaltou a importância de estar representando a universidade e questionou o fato das pesquisas terem sido feitas para a geração de papers, e muito pouco delas terem revertido em bens e produtos. Segundo ele,  a aplicabilidade das pesquisas foi um dos objetivos que levaram à criação da Agittec na UFSM e da incubadora Pulsar, totalizando 30 empreendimentos desenvolvidos. “Eu nunca percebi na cidade um movimento para o fortalecimento e para a efetivação desse ecossistema como nós estamos tendo nesses últimos anos”, concluiu Hélio.

Já o responsável pelo Sm Teconoparque, Tiago Sanchotone, comentou com o público presente a sua trajetória desde a cidade de Alegrete com a UniPampa até a vinda para Santa Maria. ” O primeiro ponto é que a cidade é boa, o custo é baixo, a cidade tem colégio para as crianças e ainda existe segurança comparando com Porto Alegre, Florianópolis e São Paulo. O segundo ponto é o Parctecnológico que daqui a cinco anos vai ser diferente. Eu quero que Santa Maria tenha um ambiente para a geração que estamos construindo”, disse Tiago, afirmando ainda que atualmente estão vinculadas à empresa outros 24 negócios, o que irá aumentar com mais sete empreendimentos e duas instituições de ensino.

O assessor de Desenvolvimento Econômico e Inovação da Prefeitura de Santa Maria, Marco Jacobsen, mencionou a sua experiência com a política nos últimos dois anos. ” Eu atuo numa ponto ao ver da nossa secretária e ao ver deste governo, ela é bem John Locke com três princípios básicos que é garantir as regras do jogo com clareza, tentar fazer as leis de maneira prática, simples e claras, tentar garantir o ambiente jurídico para os empreendedores e a propriedade” comentou Marco.  “A gente já sente pequenas melhores e nota avanços, ainda não se está em pleno funcionamento como gostaríamos, mas já tem uma mudança gigante para os servidores através da lei de inovação. Isso são coisas pequenas, porque o governo a priori não deve ser ele o empreendedor e o que a gente entende temos tornado menos complexo esse ecossistema, mais seguro, menos burocrático para que os agentes externos, privados e entre eles as universidades e ao meu ver junto ao capital são os agentes que modificam o ambiente. A prefeitura tem se posicionado nesse sentido de construção e vem reforçando aqueles ambientes que já existem também” declarou o Assessor.

Por último, o dono da Stars Aceleradora, Aislan Menk, também contou sobre a trajetória de vida, desde o Estado de São Paulo à vinda para a Santa Maria e criticou a burocracia estatal que movimenta as empresas e o quanto ela pode atrapalhar ou beneficiar uma empresa, dependendo de como o negócio se posicionar. ” Santa Maria é uma cidade boa para empreender ou ruim? Depende. Qual a parte ruim? Santa Maria é uma cidade que os empresários são acomodados, o pessoal não gosta de inovar,conforme o que escuto. Dentro desse ambiente comecei a ver outras coisas” disse Aislan.  O empresário diz ter começado a enxergar as vantagens da cidade, que passou a chamar de “oceano azul” a ser explorado. “Nós formamos a Stars Aceleradora com o objetivo de captar dinheiro de investidores, pegar esse dinheiro, escolher startups e investir nelas. O investidor quer ganhar dinheiro, não é filantropia”, concluiu Menk.

O mês do empreendedorismo segue com mais três eventos na Universidade Franciscana. Confira:

20/11 – Painel: “Agrotechs, Fintechs, Edutechs: O que são? De onde vem? Para onde vão?”
Painelistas: Leonardo Veiga (Tecnopampa); Simone Zanon (T&M Consulting); Leandro Policarpo (Sebrae SM); Prof. Anderson Ellwanger-Mediador (UFN)
Local: Sala de Conferências do prédio 16, Conjunto III (7º andar)
Horário: 18h30min às 20h30min
Inscrições aqui.

23/11 – Open Innovation Day
Apresentação do Ambiente e Agência de Inovação da UFN para comunidade acadêmica.
Local: Sala 301, Prédio 8
Horário: 17h às 18h
Inscrições aqui. 

29/11 – Painel: “Trilhas da Inovação em Santa Maria”
Painelistas: Denilso Zanon (Rota Simuladores); Filipe Carloto (Fox IoT); Erlei Melgarejo (APL Polo de Defesa e Segurança/Defii); Coronel Portela (3ª Divisão de Exército-SM); André Blos-Mediador (Sebrae SM)
Local: Salão Azul, Conjunto I
Horário: 18h30min às 20h30min

 

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *