Quem foram os primeiros vestibulandos a chegar na UFN


Por Bruna Milani

 

Os vestibulandos que primeiro chegaram na UFN. Foto: Thais Trindade/LABFEM

Nessa sexta – feira (29), ocorreu o vestibular da Universidade Franciscana. Mesmo com o mau tempo, os vestibulandos marcaram presença, até mesmo aqueles que vieram de outras cidades, como é o caso de três amigos de Ponta Alta, cidade localizada perto de Passo Fundo, norte do estado do Rio Grande do Sul.

Jorjana Luiza Copini, Marcelo Sartuni e Valéria Giacomelli foram os primeiros candidatos a chegar no conjunto III da UFN, para prestarem o vestibular. O trio pretende conseguir uma vaga em um dos cursos mais concorridos, Medicina. Ansiosos e na expectativa pela prova, eles comentaram que escolheram a instituição pelo fato de que na região onde moram ela é muito conhecida e também pela maneira como a prova é aplicada, com questões acessíveis e um tempo razoável.

“Desde o começo do ensino médio eu tinha uma afeição pelo corpo humano e com o tempo fui gostando da área da saúde. Também tenho primas trigêmeas que nasceram prematuramente e com isso passei muito tempo no hospital com elas e foi a onde eu decidi que era isso o que eu queria”, relatou Marcelo, 19 anos, que também fez uma promessa caso viesse a passar. “Eu vou descolorir os cabelos e depois raspar”.

O histórico familiar também motivou a estudante Jorjana Copini de 17 anos, que possui parentes com Síndrome de Turner, Alzheimer e diabetes. Já é a segunda vez que a vestibulanda vem para Santa Maria em busca da vaga na Universidade. “Eu espero que o curso tenha um custo adequado e uma matriz curricular boa”, argumenta Copini.

Já para Giacomelli, 18 anos, a medicina sempre lhe chamou a atenção por ter uma vontade inata de ajudar o próximo. “Eu queria um curso que pudesse ajudar as pessoas, então optei pela medicina”.

O curso de medicina conta com 2545 inscritos, num total de 63 pessoas por vaga.

 

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *