Primeira animação infantil inteiramente em Libras lança o 2º episódio


Por Bibiana Iop

 

Um projeto inédito no Brasil entra no seu segundo ano e lança amanhã, 28 de junho, mais um episódio do primeiro desenho animado produzido inteiramente em libras.  Trata-se da animação Min e as mãozinhasvoltada para crianças surdas e sem condições de exercitar a fala. Embora existam muitas produções culturais infantis, são raras as que englobam esse público. Foi pensando nisso que Paulo Henrique dos Santos decidiu criar um desenho inteiramente em libras.

Santos trabalhou sete anos com animações, tendo feito parte da produção de desenhos como Turma da Mônica e Sítio do Pica-pau Amarelo. O episódio piloto do desenho foi lançado no YouTube no dia 26 de setembro de 2018, marcado como o Dia do Surdo, e é voltado para crianças de três e seis anos, tendo como objetivo educar e mostrar que as crianças surdas também se divertem e tem as mesmas necessidades daquelas com a audição preservada.

Na animação, Min é uma garota surda que fala Libras. A cada episódio, ela passa por várias aventuras com seu amigo Esquilo, super agitado e que está aprendendo Libras com a amiga. Nessas aventuras, Min e Esquilo conhecem outros personagens, que não conseguem se comunicar direito por causa das línguas diferentes. “Cada um tem a sua língua, o gato fala ‘gatês’, o elefante fala ‘elefantês’ e por aí vai, mas com tantas línguas diferentes, é difícil um entender o outro! Mas a Min está pronta para ensinar Libras para todos, uma língua que vai incluir e aproximar todos esses mundos”, diz a legenda do primeiro episódio do desenho no Youtube.

Na história, é possível ouvir uma melodia bem leve de fundo e qualquer som é ilustrado na tela através de onomatopeias – “Clap, Clap” para o movimento das mãos em ritmo de palmas; “Toc, Toc” usado para representar a batida de uma porta, “Tuc,Tuc” para o lançamento de uma pedrinha, “Tum, Tum” para a queda do galho.

Cada capítulo do desenho irá ensinar cinco sinais de libras, pretendendo promover a inclusão e diversão, para que os surdos se divirtam e os ouvintes aprendam sobre essa comunidade e como interagir com eles. Santos pretende produzir e lançar mais 13 episódios para a primeira temporada. A produção tem apoio da  Lei Rouanet, e patrocínio do grupo Potencial, além da captação pelo financiamento coletivo através do site Apoia-se, neste link. O valor de produção de cada episódio é de R$ 30.000,00, para pagar todo o trabalho de roteiro, cenário, animação, edição, professores de Libras, intérpretes e músicos.

Brasil

No Brasil, cerca de 9,7 milhões de pessoas são surdas ou tem deficiência auditiva, segundo levantamentos do IBGE. No entanto, somente no ano de 2002  a Língua Brasileira de Sinais (Libras) foi oficialmente reconhecida.  E somente em 2005, que o Decreto 5.626 incluiu libras como uma disciplina curricular obrigatória na formação de professores surdos, professores bilíngues, pedagogos e fonoaudiólogos.

O sistema de Libras, para a comunidade surda, é considerada língua materna, antes mesmo do idioma nativo, apresenta uma série de palavras, sinais e expressões que formam uma estrutura própria gramatical e semântica. Assim como cada povo desenvolveu seu idioma oral, cada comunidade criou sua língua de sinais, ou seja, há versões para diferentes países.

Confira o primeiro episódio abaixo e amanhã acesse o canal para assistir ao novo episódio.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *