Crônicas

Uma janela e muitas surpresas

  Quando pensamos na busca do desconhecido, superar nossos medos, angústias, imaginamos algo grandioso como as diversas, descobertas feitas pelo o Homem, a conquista do espaço, a exploração das profundezas do oceano, a evolução da genética, o uso de novos aparelhos tecnológicos. Mas, às vezes, esses desafios estão nas coisas mais simples e tão mais próximas do que imaginamos, como o relato surpreendente de Franciel Schimidt, 18 anos, conhecido como Alemão, meu vizinho de janela. Aos […]

Batalha pela arte

Um dia desses acordei minimalista. É incrível quando percebemos como detalhes podem criar conceitos, ajudar a formar uma imagem. Foi nesse dia que vi o calçadão de Santa Maria de um ângulo diferenciado, a partir da admiração da arte do caricaturista Ezequiel Leite, uma figura que faz arte na rua, ou melhor, faz arte no calçadão de Santa Maria e se configura como mais uma peça dessa longa história que esse pedaço do município carrega. […]

Príncipe vira sapo, princesa mata um sunaga

O caso Matsunaga chocou o Brasil pela brutalidade com que Elize assassinou e esquartejou seu marido, Marcos Matsunaga. Imagine você, após uma briga com seu cônjuge, ser esquartejado. Seja por ciúmes, por traição ou por qualquer outro motivo, nada justifica matar uma pessoa. Ainda mais aquele alguém que você sonhou viver um conto de fadas e se propôs a passar o resto de seus dias: “Até que a morte os separe”. Elize teve suas razões […]

Ontem éramos crianças, hoje somos máquinas

Eu não sentiria falta da pontada do barulho que os morcegos fazem na minha janela. Não sentiria falta daquela peça encrustada de poeira que vejo da mesa da cozinha com a cabeça bêbada escorada no azulejo. Sinto muita falta do que meus braços já não podem alcançar. Do que me é privado pelo espaço, pelo tempo, pela geografia e pela dimensão. Sinto falta da minha mãe, do meu pai e do meu gato xadrez. Do […]

Inocência Mata… ou não?

Por Alessandra Cichoski* Houve um burburinho na reunião de pauta: o pessoal estava discutindo sobre quem cobriria a Inocência Mata. Todos se entreolharam receosos, estranharam a ideia e riram. Quem encontraria a Inocência? A única coisa certa, é que ela estaria por aquelas redondezas, naquela noite. A questão era conseguir encontrá-la em um momento onde, normalmente, ela é perdida. O repórter que permitiu aventurar-se com a pauta, logo começou suas pesquisas: A Inocência já esteve […]