Entrevista exclusiva do músico Esteban


Por Silvana Righi

 

No último sábado, 24, o Theatro Treze de Maio recebeu o músico Esteban e seu público fiel. Mesmo com chuva e frio não deixou de enfrentar fila para garantir uma poltrona na primeira fileira e assistir ao show que faz parte da carreira solo do ex-baixista da banda Fresno. A apresentação foi lançamento do seu novo EP, “Smokers in Airplanes”. Tavares conversou com ACS antes do show.

Show Esteban. Foto: Mariana Righi

ACS: Como foi retornar a Santa Maria, oito meses depois do último show?

Esteban: “É muito bom estar de volta em Santa Maria, principalmente para lançar a turnê desse projeto em inglês. Acho que é a cidade onde mais gostam de mim, mais que Porto Alegre e São Paulo e a que mais me sinto bem recebido”.

 

ACS: Quais as expectativa para o show do “Smokers in Airplanes”?

Esteban:”Vou tocar todas as músicas do disco ¡Adiós Esteban! e todas do novo EP. Não quero cortar música do setlist. Se a galera tá aqui para me ver e conhece todas as músicas, vou tocar tudo. Antes eu tocava cover porque eu gostava, alguns covers que tocava eu conheciamais que o público. E agora tem o EP. Daqui a pouco sai outro EP, dirigido pelo Aaron Marsh”.

ACS: Qual a ideia do novo EP dirigido pelo Aaron Marsh?

Esteban: “O Smokers in Airplanes saiu porque o Aaron não conseguiu produzir em tempo o meu outro EP. Ele está pronto, mas não chegou ainda, a previsão é chegar no final de outubro. Então, acabei lançando o Smokers, produzido em uma semana”.

ACS: O que representa a participação do Stephen Christian (Anberlin) na música “Follow”?

Esteban: “Primeiro eu sou feliz por ser fã dos caras, segundo eu sou feliz por ter tocado com os caras, depois sou feliz por ter virado amigo dos caras. A gentileza com que ele me tratou e recebeu esse trabalho que ele participou. Nem um brasileiro foi tão simpático comigo, nem amigo meu. Eu mandei um email para ele dizendo que precisava lançar o EP do Aaron não deu tempo de ficar pronto e eu tinha cinco dias para lançar e pedindo para me ajudar. Queria que ele escrevesse a parte dele na música. Mandei a música para ele, dez minutos depois ele tinha mandado pronta”.

ACS: Então foi como a realização de um sonho…

Esteban: “Meu objetivo não é ter fãs nos Estados Unidos, mas o Stephen foi um cara que impulsionou meu trabalho lá. É difícil de dizer que o teu ídolo é teu amigo, mas ele é, me trata muito bem. É realização de um sonho. A coisa mais forte que aconteceu foi ele ter tocado junto comigo, se tu for pensar como eu conheci o Anberlin e como eu divulguei a banda. Até o Stephen já falou em entrevista que o sucesso deles no Brasil eles devem a mim e o Lucas. É pretensioso dizer que sim, mas é verdade. Vou no show do Anberlin e eles me convidam pra cantar. Sou muito grato”.

Esteban em entrevista à reporter Silvana Righi, da ACS, antes do show. Foto: Mariana Righi

ACS: Qual é a sua relação com o guitarrista do Humberto Gessinger?

Esteban: “Eu toco com o Humberto e isso é muito louco. É difícil ficar nessa prepotência de eu toco com ele porque cheguei aqui. Eu toco com ele porque eu sou fã dele. Eu fico mais admirando ele de longe, fico mais me divertindo tocando com ele, do que absorvendo o momento. Eu sou fã do cara e ainda tenho a regalia de não tocar com ele quando tenho os meus shows”.

ACS: E como anda a vida pessoal do músico?

Esteban: “Vou mudar para o Rio de Janeiro mês que vem. Eu tava em São Paulo por causa da Titi (namorada do Tavares, que saiu da MTV e agora está no Multishow).  O escritório do Humberto Gessinger é no RJ. Estou fazendo o que quero na vida, quero ter um filho. O que acontece agora na minha vida, não aconteceu em seis anos de Fresno. Nunca tive um momento tão tranquilo e sereno como agora. Estou tocando sozinho, toco com meu ídolo, tenho a minha família. Mudou bastante coisa desde que sai da Fresno. Não que a saída da banda tenha melhorado a minha vida, mas eu estou tri bem. Voltei a falar com Lucas (vocal e guitarra da Fresno), tenho uma boa relação com a Fresno, as coisas que passaram, passaram”.

ACS: Você tem carreira solo, mas é ainda citado como ex-baixista da Fresno. Isso incomoda você?

Esteban: “Não me importo de ser reconhecido com o ex-Fresno, não me importo porque de fato eu sou o ex-baixista da Fresno, eu cheguei em muitos lugares por causa da banda. Inclusive eu ganhei prêmios no Multishow e na MTV, por causa da banda. Mas ao mesmo tempo agora eu sou guitarrista do Humberto. Esse é meu o presente e eu sou o Esteban. A vida é assim”.

 

 

Um Comentário

  • 28 ago 2013 | Permalink | Responder

    Além de Adiós, Esteban, em breve deve sair um EP gravado em parceria com Aaron Marsh, ex-vocalista da banda norte-americana Copeland. O EP, que nasceu depois de os dois se conhecerem pela internet, deverá ser batizado Me and Esteban.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *