Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Esportes

O que esperar dessa Copa?

Essa não será qualquer Copa do Mundo ou apenas mais um Mundial com as principais seleções do planeta, mas sim algo diferente. A primeira diferença já começa pela época a ser disputada, diferentemente das outras edições,

UFN em clima de Copa

Na tarde desta quinta-feira, 10, a Universidade Franciscana promoveu a Copa do Mundo da UFN. Durante o intervalo dos cursos da tarde, às 15h, teve apresentação ao vivo do programa da Rádio Web UFN, A Copa

Com esses 26, o hexa é logo ali

Na tarde da segunda-feira, 7, o técnico da Seleção Brasileira, Tite, convocou os 26 jogadores que irão representar o país na Copa do Mundo do Catar, que inicia no dia 20 deste mês. Sem nenhuma grande

Mesmo sem títulos, temporada do Inter é positiva

O que parecia ser um ano conturbado depois de eliminações, acaba sendo uma temporada que o torcedor sai esperançoso para 2023. A derrota para o Grêmio no Campeonato Gaúcho, a eliminação para o Globo na Copa

Obrigação feita, agora é pensar em 2023

Depois de mais uma rodada perfeita para o Grêmio na Série B, onde todos os resultados que o tricolor precisava para depender só de si foram favoráveis, veio o alívio. Com a vitória por 3 a

Caravana do Esporte promove debate sobre jornalismo esportivo

Uma conversa com os jornalistas Alice Bastos Neves, Luciano Périco, Maurício Saraiva e Tiago Cirqueira, ocorreu na última sexta-feira, 19, no salão do Júri da Universidade Franciscana. A caravana apresentou alguns temas na hora do debate,

A maior competição do mundo começou. Com quatro jogos por dia, o amante de futebol está vidrado na televisão o dia inteiro. Se você acredita no hexa ou não, é decisão sua, mas vai ter que concordar que entre as favoritas, foi a Seleção Brasileira que teve o melhor teste até agora.  

O primeiro desafio foi contra a Sérvia, uma seleção organizada e com bons nomes no elenco. Uma defesa muito física que não deu espaço para o Brasil no primeiro tempo. Mesmo com toda a qualidade do meio campo e ataque brasileiro, o jogo e os toques rápidos não apareciam, talvez tenha sido culpa do nervosismo da estreia, já que na segunda etapa, a história foi bem diferente.

Alguém tinha que aparecer, alguém tinha que ser o protagonista e puxar a responsabilidade. Richarlison apareceu. Sem ter feito uma boa primeira etapa, sofreu com a marcação dura dos zagueiros sérvios. Talvez fosse o jogo para o Pedro, mais alto, mais técnico e consegue se virar com menos espaço, mas Richarlison mostrou que não, era o jogo dele.

O camisa 9 aproveitou o rebote e, bem posicionado, marcou o primeiro, trazendo alívio para o torcedor brasileiro que já estava preocupado. Depois, ele de novo, faz o segundo, o que até então é o gol mais bonito da Copa, num voleio no canto do goleiro ele mostra e afirma que aquela vaga é dele e ninguém tira. 2 a 0 e um baile no segundo tempo. A próxima batalha é contra a Suíça, que venceu Camarões na primeira rodada, o jogo vai valer a liderança do grupo. 

O momento do segundo gol. Foto: Goal/Twitter

Mas nem tudo foram flores para os favoritos da Copa, a Argentina foi surpreendida pela Árabia Saudita na primeira zebra do Mundial. Messi e companhia começaram melhor, fizeram 1 a 0 de pênalti e ainda tiveram gols impedidos. Porém, na segunda etapa o jogo virou, literalmente. Os árabes pressionaram em toda bola sem deixar os argentinos respirarem, mesmo jogando com as linhas de marcação muito altas, o time comandado por Scalone não conseguiu aproveitar os espaços. 2 a 1 em poucos minutos na segunda etapa e muita comemoração. Agora os argentinos precisam vencer os próximos dois jogos para passar com tranquilidade ou Argentina e França pode rolar já nas oitavas.

O momento da virada. Foto: B24/Twitter

Outra grande zebra aconteceu no Grupo E, o jovem e promissor time da Alemanha entrou em campo com muita expectativa e acabou esbarrando na qualidade japonesa. Como os argentinos, a Alemanha também saiu vencendo 1 a 0 com um pênalti e tomou a virada no segundo tempo. Com 26% de posse de bola, o Japão surpreendeu com gols na reta final da partida. O próximo jogo será Alemanha e Espanha, praticamente uma final para os alemães que, se perderem, já estão fora.  

Essa não será qualquer Copa do Mundo ou apenas mais um Mundial com as principais seleções do planeta, mas sim algo diferente. A primeira diferença já começa pela época a ser disputada, diferentemente das outras edições, essa será no final do ano, isso faz com que os principais jogadores cheguem em seus auges físicos, já que o calendário europeu está na metade. 

Pode ser esse ano que o torcedor verá a Copa mais parelha de todos os tempos, com muitos favoritos, muitas possíveis surpresas e craques em praticamente todas as seleções. 

O troféu mais desejado de 2022.

OS FAVORITOS

Brasil, Argentina e França podem ser consideradas o TOP 3 para 2022. Uma seleção brasileira organizada, com nove opções para o ataque, uma defesa sólida, jogadores se destacando nos principais clubes da Europa e Neymar em seu melhor início de temporada no PSG com sede do hexa. 

Já a Argentina tem o jogador mais diferenciado do mundo, Lionel Messi comanda um time cheio de experiência e juventude que está há 36 jogos invictos. Olhos abertos também para Julián Álvarez, que com 22 anos já ganha espaço com Pep Guardiola no Manchester City depois de se destacar no River Plate.

E por último, mas não menos favorita, a seleção francesa. A última campeã mundial chega com um time repleto de jovens jogadores com muito futebol a oferecer. Mbappé e Benzema podem fazer o ataque mais letal da Copa. Isso só acontece se a maldição dos campeões não aparecer de novo, desde 2010, os últimos vitoriosos não passam da fase de grupos. Itália (2010), Espanha (2014), Alemanha (2018), todas eliminadas ainda na fase inicial, Didier Deschamps tentará mudar a história em 2022.

AS SURPRESAS

Entre as tantas seleções que podem surpreender na Copa do Mundo, destaco duas: Uruguai e Dinamarca. Além dessas, é claro que os outros elencos podem incomodar, como a poderosa e longeva geração belga, Louis van Gaal e sua renovação holandesa e os inventores do futebol com seus jovens craques. 

A seleção uruguaia é mais uma que mescla experiência com a juventude e chega com seu melhor plantel desde 2010, quando alcançou uma semifinal na África do Sul. Fede Valverde, Darwin Nunez, Arrascaeta, Luiz Suárez e companhia podem chegar longe no Catar. Um possível confronto contra o Brasil pode acontecer já nas oitavas, caso um passe em 1º e outro em 2º em seus grupos. 

A Dinamarca chega com status de realidade para muitos e não mais uma surpresa. Depois de chegar nas semifinais da última Eurocopa e passear nas Eliminatórias, o time comandado por Kasper Hjulmand é um dos favoritos no grupo D junto com a França. Caso passe em segundo, a seleção dinamarquesa já encontra a Argentina, se passar em primeiro, nas oitavas. 

ESTREIAS

Os donos da casa, o Catar abre o Mundial contra o Equador neste próximo domingo (20), às 13h. Já a seleção brasileira entra em campo na quinta-feira (24) e enfrenta a Sérvia, às 16h.

Na tarde desta quinta-feira, 10, a Universidade Franciscana promoveu a Copa do Mundo da UFN. Durante o intervalo dos cursos da tarde, às 15h, teve apresentação ao vivo do programa da Rádio Web UFN, A Copa & Eu, e gravação do programa da UFN TV, Clima de Copa.

Segundo o acadêmico do curso de Jornalismo e apresentador da rádio, Lucas Acosta, “é um momento importante para a Rádio porque nós fomos convidados pela instituição. Fazer este programa no intervalo, ao vivo, onde várias pessoas podem nos acompanhar, é muito gratificante. Neste clima de Copa, onde todos acompanham o futebol, sendo fãs ou não, é bom nós podermos colaborar com este aumento de expectativa da chegada da Copa com o apoio da universidade”.

A Copa & Eu foi apresentada ao vivo na ocasião. Imagem: Nelson Bofill

A rádio teve apresentação de Lucas Acosta e Alam Carrion, Felipe Perosa nas reportagens e Clenilson Oliveira na central técnica. A UFN TV que cobriu a atividade e entrevistou participantes e envolvidos no projeto por meio de reportagens realizadas por Laíz Lacerda e Rogério Giaretta. Os programas apresentaram diversas entrevistas com os estudantes da instituição que compartilharam seus momentos mais marcantes da Copa do Mundo.

A coordenadora de relacionamentos da UFN, Laíse Chaves, comentou sobre o projeto ser uma ação conjunta, “a Copa já está chegando, todo mundo acaba se envolvendo, incluindo os professores, alunos e funcionários da universidade. Então foi uma ação conjunta, a Rádio já tem esse programa e a TV vai ter um quadro também, então surgiu essa ideia de brincar um pouco nesse clima de Copa”.

Acadêmico de Jornalismo e repórter Felipe Perosa, entrevistando o professor Bebeto Badke durante o programa de rádio A Copa & Eu. Imagem: Nelson Bofill

Segundo o acadêmico Ian Lopes “o programa A Copa & Eu já é uma ótima ideia. Trazer ele para o pátio e tornar mais interativo, foi ainda melhor. Gostei muito de ser entrevistado e acho muito bom também pela experiência que é adquirida como repórter ao gravar esse programa ao vivo”.

O programa A Copa e Eu é liberado semanalmente no canal do Youtube e Spotify da Rádio Web UFN, e a cada semana o programa trás um entrevistado diferente. As gravações realizadas pela TV serão disponibilizadas durante o programa Clima de Copa. A produção também envolve o campeonato e vai ser divulgada durante o período dos jogos.

Na tarde da segunda-feira, 7, o técnico da Seleção Brasileira, Tite, convocou os 26 jogadores que irão representar o país na Copa do Mundo do Catar, que inicia no dia 20 deste mês. Sem nenhuma grande surpresa, ficou assim a lista final:

Lista final para a Copa. Foto: Divulgação CBF

Os três goleiros já estavam certos há um bom tempo, com Alisson de titular, a Seleção tem o mesmo goleiro de 4 anos atrás, mas agora bem mais seguro e preparado para um mundial. A primeira e única grande discussão dessa lista é o lateral direito Daniel Alves, que não fez bons jogos pelo Pumas, do México, neste segundo semestre de 2022 e agora treina com o Barcelona B. O jogador entra na cota de confiança de Tite, já que mesmo sem atuar e sem viver um bom momento está entre os 26. Provavelmente, ainda não será titular e terá um papel de liderança no vestiário. Apesar de não concordar com a convocação do lateral, é necessário entender que as outras opções para a direita também não são das melhores. Emerson Royal, do Tottenham, corria por fora, mas criticado pela própria torcida do clube inglês, não foi convocado. 

O quarteto de zagueiros também sem surpresas. Ainda existia uma discussão pela quarta vaga, entre Bremer (convocado), da Juventus, e Gabriel Magalhães, do Arsenal. O defensor do clube italiano ganhou a disputa por ter sido um dos melhores jogadores do Campeonato Italiano 2021 e nessa temporada está construindo uma defesa forte e organizada junto com outros selecionados, Danilo e Alex Sandro, a química entre eles fez a diferença.

Já no meio campo, a ausência de Coutinho, que mesmo sem fazer uma temporada fora de série, estaria na lista de Tite, por também entrar na cota de confiança do treinador. O meia do Aston Villa se lesionou no treinamento dias antes da convocação. Everton Ribeiro, do Flamengo, toma seu lugar, o jogador foi campeão da Copa do Brasil e Libertadores e, por isso, também faz por merecer a convocação.

Tite está levando nove opções para o ataque, três para cada posição. É o maior número de atacantes convocados em todas as copas. Isso resulta em maiores possibilidades para o técnico, que vai variar seu estilo de jogo e formação de acordo com o adversário. A única dúvida que ainda existia era pela 26ª vaga, que ficou com Gabriel Martinelli. Matheus Cunha, do Atlético de Madrid, e Roberto Firmino, do Liverpool, ainda tinham chances.

Eu se fosse o Tite, convocaria o atacante do time inglês, por poder entregar no jogo mais que os outros jogadores. Firmino pode jogar tanto como número 9, como número 10 e ainda como um segundo atacante, e sem a criatividade de Coutinho, o atacante do Liverpool poderia ser a solução. Mas como não sou o Tite e sou apenas mais um torcedor que sentou no sofá nervoso para acompanhar um homem lendo um papel, resta torcer e acreditar, porque com esses 26, o hexa é logo ali.

Lucas Acosta é acadêmico do 6º semestre do curso de Jornalismo da UFN, apresenta o Titular da Rede, Camisa 10 e A Copa & Eu na RádioWeb UFN e escreve, periodicamente, uma coluna sobre esporte na Central Sul Agência de Notícias

O que parecia ser um ano conturbado depois de eliminações, acaba sendo uma temporada que o torcedor sai esperançoso para 2023. A derrota para o Grêmio no Campeonato Gaúcho, a eliminação para o Globo na Copa do Brasil e o vexame contra o Melgar na Sul-Americana pareciam que iriam deixar marcados o ano do Internacional.

Chegou Mano Menezes, sem 100% da confiança da torcida, também chegaram reforços pontuais para o elenco e a temporada mudou completamente. Mesmo longe do Palmeiras no número de pontos, o Colorado ainda teve chance de conquistar o Campeonato Brasileiro mais uma vez. Com a derrota por 1 a 0, contra o América-MG, nesta última quarta-feira, o clube paulista conquistou mais um Brasileirão ainda na concentração para o jogo contra o Fortaleza. Mas para completar a festa, o time comandado por Abel Ferreira fez 4 a 0, com direito a gol da joia Endrick, de apenas 16 anos.

Apesar da vice-colocação, o torcedor deve ficar esperançoso para um ano de 2023 ainda melhor. Com uma base sólida montada nesta temporada, um goleiro confiante que tomou a posição na reta final, um quarteto defensivo seguro com destaques como Bustos e Vitão, um meio campo que ainda com dúvidas é muito promissor e um achado como centroavante que luta por cada bola como se fosse a última. Tudo isso graças a uma janela de transferências arriscada, mas muito bem pensada.

Elenco colorado em treinamento. Foto Twiiter Internacional

A base está pronta para a temporada que vem, reservas imediatos e um número 9 devem ser prioridade para 2023. Mano Menezes quer trabalhar com um grupo menor que esse ano, por isso jogadores ainda devem sair. A maior dúvida é Edenílson, que tem o aval do técnico para ficar, mas boa parte da torcida acredita não ter clima mais para o jogador. O ano de 2023 promete muito para o torcedor colorado, as chances reais de título existem em todas as competições a serem disputadas.

Lucas Acosta é acadêmico do 6º semestre do curso de Jornalismo da UFN, apresenta o Titular da Rede, Camisa 10 e A Copa & Eu na RádioWeb UFN e escreve, periodicamente, uma coluna sobre esporte na Central Sul Agência de Notícias

Depois de mais uma rodada perfeita para o Grêmio na Série B, onde todos os resultados que o tricolor precisava para depender só de si foram favoráveis, veio o alívio. Com a vitória por 3 a 0 contra o já rebaixado e último colocado Náutico, o acesso foi garantido e o Grêmio volta para o lugar onde os gigantes devem ficar, a Série A do Campeonato Brasileiro.

SOBRE O JOGO

Apesar do alívio no apito final, o início não parecia tranquilo. O Grêmio começou nervoso, errando passes fáceis, por conta disso praticamente não passava do meio campo. Já o Náutico, sem obrigação nenhuma e apenas cumprindo tabela, ensaiava uma pressão que parava nas próprias limitações do time.

Ainda no primeiro tempo, Bitello, um dos destaques do tricolor na temporada, abriu o placar no rebote do goleiro, deixando a torcida tranquila. O segundo tempo começou com Geuvânio, atacante do Timbu expulso, após forte entrada em Kannemann, o que deixou o time ainda mais vulnerável. Repetindo a história de 2005, o único remanescente da Batalha dos Aflitos, Lucas Leiva fez o segundo. Bitello em mais um rebote fez o terceiro para completar o marcador e colocar o Grêmio na elite novamente.

AGORA É TUDO 2023

Logo após o apito do árbitro, o pensamento já era no próximo ano. As entrevistas do técnico Renato Portaluppi e do atacante Diego Souza foram grandes exemplos disso. O comandante do tricolor fez fortes críticas direcionadas à direção do clube, afirmando que amadores não poderiam trabalhar mais no Grêmio. Já o atacante, ressaltou: “Com todo respeito ao elenco, mas precisamos se reforçar muito para 2023”.

A consciência de que foi um ano fraco existe, isso é fundamental. Uma temporada de sofrimento para o torcedor, que não conseguiu ver jogos tranquilos, já que era difícil confiar em uma boa performance do time. Com Roger foi assim, com Renato também, o Grêmio vencia, mas não convencia. Os jogadores e a direção devem muito à torcida, que mesmo com o desempenho medíocre não deixou de apoiar e acompanhar, colocando mais de 40 mil pessoas em cinco jogos na Arena.

Torcida tricolor presente no Estádio dos Aflitos.

Os reforços precisam chegar e não podem ser poucos, pelo menos dez jogadores devem ser contratados para a temporada que vem. Laterais, zagueiros, meias e atacantes, praticamente todas as posições necessitam ser contempladas para 2023. Agora é essa a obrigação.    

Imagens: reprodução Twitter

Lucas Acosta é acadêmico do 6º semestre do curso de Jornalismo da UFN, apresenta o Titular da Rede, Camisa 10 e A Copa & Eu na RádioWeb UFN e escreve, a partir de hoje, periodicamente uma coluna sobre esporte na Central Sul Agência de Notícias

Foto: Divulgação CUFA Frederico Westphalen/RS

O edital “Segue o Jogo” é uma parceria do Governo Estadual, por meio da Secretaria do Esporte e Lazer, em colaboração com a Central Única das Favelas (Cufa-RS), que tem como objetivo mapear e selecionar projetos sociais esportivos voluntários e investir nas iniciativas. Os projetos devem estar dentro de áreas urbanas dos 23 municípios participantes do programa RS Seguro, Santa Maria é um dos municípios contemplados. As inscrições seguem abertas até dia 6 de outubro. 

O “Segue o Jogo” disponibiliza um investimento de R$ 3,6 milhões para a iniciativa. Os projetos serão selecionados para receber kits de materiais esportivos, para isso é necessário que esses projetos tenham 4 anos ou mais de atuação comprovada. Os critérios de seleção e destinação dos valores são: agente esportivo individual, poderá receber até R$ 2 mil em materiais; coletivos informais, poderão receber até R$ 5 mil em materiais; e coletivos formais com CNPJ, poderão receber até R$ 10 mil em materiais. O edital assegura que haverá a divisão proporcional dos recursos entre os 23 municípios. 

As cidades contempladas além de Santa Maria são: Alvorada/RS, Bento Gonçalves/RS, Cachoeirinha/RS, Canoas/RS, Capão da Canoa/RS, Caxias do Sul/RS, Cruz Alta/RS, Esteio/RS, Farroupilha/RS, Gravataí/RS, Guaíba/RS, Ijuí/RS, Lajeado/RS, Novo Hamburgo/RS, Passo Fundo/RS, Pelotas/RS, Porto Alegre/RS, Rio Grande/RS, São Leopoldo/RS, Sapucaia do Sul/RS, Tramandaí/RS e Viamão/RS. 

Na cerimônia de lançamento do projeto, no Palácio Piratini, a Secretária Estadual do Esporte e Lazer Letícia Boll Vargas destacou em sua fala a transformação motivada pelo esporte. “ Através dessa transformação promovemos mais educação, saúde e a integração. Nós vemos jovens indo tão longe e podendo transformar suas realidades. Através do projeto vamos chegar em diversas comunidades e que a gente consiga realizar muitas ações transformadoras”, pronunciou a secretária.   

O edital visa potencializar e dar continuidade às ações esportivas já realizadas e reconhecidas nas comunidades, reconhecendo a importância do esporte e do voluntariado para o desenvolvimento social. Serão contempladas atividades das diversas modalidades esportivas. Salienta-se que os projetos selecionados não receberão o dinheiro em espécie, apenas em kits com materiais esportivos. Acesse o documento do edital para mais informações.

Você tem um projeto esportivo? Veja abaixo como realizar a inscrição

Interessados em participar do edital podem realizar a inscrição por diversos meios:

– No Site do Segue o Jogo ou por este link

– Por e-mail, para o endereço editalsegueojogo@gmail.com

– Por WhatsApp, pelo número (55) 9 9941-0660; 

– Via Google Formulários, por meio do link https://forms.gle/amYivM559V6C9fwr5

– Via Facebook – Perfil Edital Segue o Jogo

– Via Instagram – @editalsegueojogo;

–  Com um Agente Local, o representante da organização responsável pelo edital haverá um formulário impresso para preenchimento;

– Presencialmente na sede da Secretaria Municipal de Esporte, que fica localizada na Rua Silva Jardim, número 1.660.

Para tirar dúvidas sobre o edital os interessados podem entrar em contato pelo número 0800 743 1111, todas as ligações para o número são gratuitas. A Prefeitura de Santa Maria também disponibiliza atendimento para tirar dúvidas, pelo número (55) 3921-7140, pelo WhatsApp (55) 9620-9130 ou presencialmente na sede da secretaria.

As jovens Marilia Valmarath, 14 anos, e Maria Luisa Dias, 13, foram impedidas de jogar os próximos jogos do campeonato estadual de futsal sub-15 do Rio Grande do Sul. Elas são jogadoras da Associação Caçapavana de Futsal (ACF), equipe de Caçapava do Sul, interior do RS. A ACF recebeu a notícia de maneira informal, do representante da Liga Gaúcha de Futsal, dizendo que as meninas não poderiam jogar. Como medida de precaução, a escola decidiu afastar as atletas e agora aguarda um pronunciamento oficial para então fazer a apelação.

Manifestação em prol das atletas. Imagem: Farrapo

Seguindo o regulamento da organização, as inscrições foram efetuadas e elas participaram de sete rodadas da competição , pois não havia cláusula proibindo a participação de meninas. Foi então que o representante da liga entrou em contato com a ACF e informou que não seria mais possível a participação das jovens nos próximos jogos.   

Nilberto Barbosa, vice-presidente da ACF, conta que: “Recebemos um contato informal do representante da Liga Gaúcha informando que as meninas não podiam jogar o Gaúchão Sub-15 de Futsal por se tratar de um campeonato apenas masculino, o que nos pegou de surpresa, pois a própria liga recebeu os documentos de inscrição das meninas e as liberam para jogar no BID da competição, e assim escalamos elas nas 7 rodadas que foram realizadas até então. Assim, aguardamos se haverá alguma formalização referente ao impedimento das meninas em jogar, o que ainda não ocorreu”. Caso a decisão formal seja negativa à volta das atletas a Associação pretende recorrer pois: “quem autorizou elas a jogarem até aqui foi a própria liga, revisaram os documentos e viram que eram meninas e as liberaram”, afirma Barbosa.

Foi então que indignação tomou conta das famílias, amigos e colegas das atletas. A campanha “Lugar de mulher é onde ela quiser” tomou conta dos grupos de Whatsapp, Facebook e Instagram.

A Associação apoia as manifestações, “achamos válido, pois acreditamos que se não há competição feminina na idade sub-15 elas não podem ser impedidas de jogar na masculina. A ressalva que fizemos é que não recebemos de forma oficial o impeditivo, apenas afastamos as meninas de forma preventiva”, Barbosa.

Marília Valmarath tem 14 anos, é estudante do 9º ano do ensino fundamental e joga de ala da ACF. A atleta conta que, “me senti bem mal (com a proibição) pois eu estava me esforçando bastante e treinando muito para eu jogar”. A jovem espera que possa continuar jogando, “estou botando bastante expectativas nisso”. Ela conta que sentiu-se muito feliz perante as manifestações e acolhida da comunidade.

Marilia Valmarath, atleta da ACF. Imagem: arquivo pessoal.

Maria Luisa Dias tem 13 anos, é estudante do 8º ano do ensino fundamental e é goleira da ACF. A jovem ficou muito chateada com a decisão: “eu iria jogar um pouco na próxima partida e aí aconteceu tudo isso”. “Teve um grande movimento não só das mulheres mas como dos homens também, fizeram uma camiseta e estão fazendo uma campanha”, relata a jovem. Suas expectativas são que a Liga reconheça o erro e que ela e Marilia voltem a jogar o campeonato.

Maria Luisa Dias, atleta da ACF. Imagem: arquivo pessoal.

Tentamos entrar em contato com a Liga Gaúcha de Futsal, porém não houve resposta.

Hoje, 25, o Camisa 10, programa de entrevistas da Rádio Web UFN, recebe o narrador e apresentador Marcelo De Bona. A transmissão está marcada para começar às 16h30 com o Titular da Rede. Hoje os dois programas acontecem juntos, excepcionalmente. Os espectadores podem acompanhar ao vivo pelo site da rádio da instituição ou, com imagens pelo canal no YouTube.

Marcelo de Bona estará presente no Camisa 10 desta semana. Imagem: divulgação

O participante do último Camisa 10 foi o atleta de padel Lucas Bergamini, número 31 no ranking da World Padel Tour (WPT), que reúne os melhores jogadores do esporte no mundo. A entrevista está disponível no YouTube.

“O Titular da Rede foi paralisado pela pandemia e retomado no segundo semestre de 2021. O professor Bebeto Badke, queria fazer algo 100% jornalístico, então o formato foi mudado para esse fim. Tem foco no esporte local. No Camisa 10 entrevistamos referências do esporte estadual. Era incluso no Titular, mas estava dando tão certo que separamos”, explicou Lucas Acosta, estudante do 6º semestre de jornalismo da UFN.

Colaboração: Ian Lopes

Uma conversa com os jornalistas Alice Bastos Neves, Luciano Périco, Maurício Saraiva e Tiago Cirqueira, ocorreu na última sexta-feira, 19, no salão do Júri da Universidade Franciscana.

Os jornalistas Alice Bastos Neves, Luciano Périco, Maurício Saraiva e Tiago Cirqueira. Imagem: Luiza Silveira

A caravana apresentou alguns temas na hora do debate, como a forma que o grupo RBS produz seu conteúdo,  como eles tentam passar suas informações, quadros do programa Globo Esporte, podcasts que estão em circulação, além da apresentação do novo quadro do Globo Esporte “Minha Raiz”, onde Alice vai ao interior do estado e assiste de perto a emoção de quem está torcendo para seu time sair da divisão de acesso do Gauchão. Também foi confirmada a terceira temporada da série “Vitórias”, esta que conta as histórias de superação das mulheres frente ao câncer. Alice contou sobre como foi gravar o GE de casa durante a quarentena enquanto fazia o tratamento contra o câncer, “eu parei, o mundo parou  porque veio a pandemia. Eu fiz todo o meu tratamento dentro de casa, do quarto que eu ocupava na casa dos meus pais, de lá entrava ao vivo todos os dias no GE. Voltei pra casa deles e fiquei com eles durante todo o tratamento. Quando estreamos a primeira temporada de vitórias, eu ainda estava carequinha e em uma nova conversa decidimos que, então, eu apresentaria o Globo Esporte sem a peruca que me acompanhava. Achei que era muito justo por todas as mulheres que passam por isso, e acabou repercutindo nacionalmente e internacionalmente. Foi uma atitude inicialmente motivada por algo pessoal, porém se tornou algo coletivo. Se uma mulher foi fazer o exame a partir desse conteúdo, estamos prestando um belíssimo serviço. Que bom que podemos tratar de todos esses temas, assim podemos transformar”.

Alice Bastos Neves, apresentadora do Globo Esportes. Imagem: Luiza Silveira

A acadêmica de jornalismo Caroline Freitas, contou que toda a conversa foi muito significativa: “Mas a parte que mais me tocou foi como eles conduziram a palestra. Trouxe uma aproximação de como é o dia a dia da carreira”. Para ela é necessário, na trajetória acadêmica, ouvir as experiências de profissionais da área. “O que me marcou muito no início da conversa, foi uma fala da Alice quando trouxe sua experiência acadêmica. Ela citou que fez outro curso durante sua graduação de jornalismo e disse que não podemos ter medo de experimentar, até decidirmos o que realmente queremos para nós”, acrescentou Caroline. A estudante também ressaltou que é gratificante ouvir frente a frente os profissionais que admira, “traz uma mistura de sentimentos. Mas o principal é que ouvi-los, bem ali na nossa frente, nos esclarece muitas dúvidas e inseguranças. Faz nos sentirmos no caminho certo”.

Tiago Cirqueira, gerente executivo Esporte do Grupo RBS. Imagem: Luiza Silveira

Miguel Cardoso, acadêmico do segundo semestre de Jornalismo, conta que para ele a palestra significou que está no caminho certo e que talvez o jornalismo não seja tão difícil quanto ele pensou que fosse no semestre anterior: “porque a conversa me mostrou que é possível ter contato com pessoas do tamanho deles. Eles mostraram humildade, falaram durante um grande período de tempo e isso me pegou de surpresa. Ainda mais pela parte do Tiago que fica por trás das câmeras, é algo que eu já pensei em fazer porque gosto da parte técnica. Ele conversou comigo depois da palestra e isso foi muito legal. Isso representou muita coisa para mim”.

Para ele as partes que mais o marcaram foram: quando o Jornalista Maurício Saraiva respondeu uma de suas perguntas sobre termos técnicos que são de difícil compreensão na TV aberta por ter todos os tipos de público e ele explicou como deveria proceder, além do sentimento de conhecê-los, “eu sou um grande fã da Alice, eu acho ela uma pessoa muito gentil. Foi legal tirar foto e conversar com ela. Mas principalmente o Tiago que mostrou que queria estar lá, ele fala muito bem. O Tiago falou de Counter-Strike, conversou sobre diversidade que é algo que precisa ser falado. Essa foi a primeira grande palestra da minha carreira”.

Maurício Saraiva, comentarista esportivo. Imagem: Luiza Silveira

O acadêmico Felipe Perosa está no segundo semestre de Jornalismo e, para ele, não foi uma palestra e sim uma aula, “significou muito, eles passaram tanto conhecimento que vão nos ajudar mais adiante e durante o curso de Jornalismo. Outras pessoas que estavam lá se interessaram pelo curso pois sentiram-se motivados. Eles são maravilhosos, inteligentíssimos e muito bons no que fazem”. A parte que o aluno mais gostou foi quando os jornalistas começaram a responder as perguntas, “eu acho que isso é muito importante, pois eles sabem o que estamos passando porque já fizeram a faculdade. Eles estavam ali dispostos a sanar nossas dúvidas em relação ao nosso futuro. Eu fiz duas perguntas que foram muito bem respondidas”, conta Perosa.

Para o acadêmico o sentimento de conhecê-los foi extremamente gratificante: “São pessoas que eu vejo na TV desde criança, pra mim é muito importante ver que eles existem, que eles são reais e que eu consigo chegar até eles. Eu acho que o principal medo da pessoa que quer entrar no jornalismo perder a humanização e acabar nos tornando robôs quando viramos famosos”.

Luciano Périco, narrador e radialista. Imagem: Luiza Silveira

A coordenadora do curso Sione Gomes explica que é de grande importância ouvir sobre  as experiências de quem está há mais tempo no mercado de trabalho, “profissionais que estão no dia a dia da profissão e que sentem a realidade de ser jornalista. É fundamental para os novos jornalistas enxergar na realidade o que se fala na sala de aula, aquilo que trabalha-se de forma experimental, laboratorial e espelhar-se nessa realidade. A vinda deles na academia, na universidade, contribui de uma forma gigantesca, tanto neste sentido na troca de experiências quanto no de relatos vivenciados por esses jornalistas. Para que estes profissionais tornem-se exemplos e referências para os acadêmicos seguirem e aprimorarem-se enquanto acompanham o desdobrar destas trajetórias. É sempre muito importante esse tipo de visita”, concluiu Sione.