Ato público: professores protestam contra governo estadual


Por Fernando Cezar

 

Protesto em função do parcelamento de salários ocorreu hoje em Santa Maria Foto. Maiquel Rosauro

Professores e funcionalismo estadual precisam sobreviver com R$ 350,00, menos da metade do salário mínimo. Será possível sustentar uma família, pagar aluguel, saldar dívidas e, ainda, se alimentar com este valor? Com base nisso, o CPERS/Sindicato realizou um grande ato, nesta quinta-feira, 21, na Praça Saldanha Marinho, em Santa Maria.

O protesto visou denunciar  o mal pagamento e o descaso do governo do Estado para com os servidores estaduais, os quais receberam o seu salário mais uma vez parcelado, com o valor inicial de R$350,00.

O ato é organizado pelo Comando de Greve do 2º Núcleo do CPERS de Santa Maria e contará com a participação de colegas do 4º Núcleo – Cachoeira do Sul, 18º Núcleo – Santa Cruz do Sul e 41º Núcleo – São Gabriel. A Seção Sindical dos Docentes da UFSM (Sedufsm), a Associação dos Servidores da UFSM (Assufsm) e o Diretório Central dos Estudantes da UFSM (DCE/UFSM) também confirmaram presença.

Durante a manifestação, foram realizados uma sessão Plenária Regional, uma Aula Pública e por fim, Ato Público Unificado em Defesa da Educação e dos Direitos, com uma marcha que percorreu o centro de Santa Maria.

A greve da categoria teve início em 5 de setembro e não tem data para ser finalizada. O CPERS cobra o fim imediato da política de parcelamento de salários.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *