Alimentação vegana e a suplementação de vitamina B12


Por Agência CentralSul de Notícias

 

Alimentação vegana é considerada uma dieta saudável, mas traz controvérsias. Foto: Natalie Aires

O ser humano sempre teve um relacionamento muito próximo com a comida. Ela é causa de doença e de saúde. O cuidado alimentar tem sido um dos pontos destacados pelo adeptos da dieta vegana. Segundo a Sociedade Vegana, veganos tem como ideia excluir de sua vida toda e qualquer forma de exploração animal, e não apenas da alimentação, mas também do vestiário, produtos de beleza e cotidiano. Diferentemente dos vegetarianos, os veganos excluem o consumo de carne e seus derivados.
Diante disto, alguns questionamentos são feitos e especialistas ressaltam a importância de, antes de fazer modificações radicais na alimentação como é o caso da dieta vegana, serem feitas consultas médicas. Um dos fatores que demonstram a relevância de se procurar aconselhamento médico é a diminuição drástica de algumas vitaminas no organismo, ocasionadas pela falta de nutrientes que são de origem animal, como é o caso da vitamina B12 , apontada pela nutricionista Franciele Almeida como sendo uma realidade para os veganos. E além da vitamina B12, algumas outras alterações impactam o organismo pela deficiência do consumo de carne, que é o caso da vitamina D.

O endocrinologista Matheus Severo alerta para a necessidade de repor vitamina D e B12 para os adeptos do veganismo. Foto: arquivo pessoal

O médico endocrinologista, Mateus Dornelles Severo, mestre em endocrinologia, titulado pela SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia) orienta ser importante se expor ao sol, ou ingerir cogumelos shitake para ter o aporte de vitamina D que o organismo necessita. Ele ressalta que alguns cuidados devem ser levados em conta para manter um padrão vegano com garantia de saúde. Entre eles, incluir diferentes fontes de proteína de origem vegetal, já que diferentemente da carne, leite ou ovos, os produtos vegetais isolados não costumam ter todos os aminoácidos essenciais; se expor ao sol ou ingerir cogumelos shitake para ter aporte apropriado se vitamina D; a principal fonte de cálcio com boa biodisponibilidade é o leite e seus derivados. Amêndoas, folhas escuras e gergelim tem cálcio mas a biodisponibilidade é menor. Se a ingestão desses alimentos forem pouco frequente pode ser necessário suplementação. Algumas bebidas de soja são adicionadas se cálcio. Por se tratar de produtos processados, devem ser consumidas com moderação. Deve-se  manter a ingestão de fontes vegetais de gorduras boas (castanhas e nozes, abacate, linhaça, chia) para garantir o aporte apropriado de ácidos graxos essenciais.E ainda, como a vitamina B12 vem exclusivamente de fontes animais, ,  deve ser suplementada sempre.

Para o médico nutrólogo Eric Slywitch a deficiência de B12 não é exclusiva de vegetarianos e veganos, pois atinge cerca de 40% da população brasileira e cerca de 50% dos vegetarianos e veganos. Porém, nos veganos e vegetarianos essa é uma realidade, pois afinal a vitamina B12 é encontrada com maior concentração em alimentos de origem animal como, por exemplo, em vísceras, carne, peixe, queijo, gemas de ovo e leite. Ela existe em frutas e vegetais, porém não pode ser aproveitada, pois ao fazer a higienização para o consumo, perde-se o possibilidade de aproveitamento.

A nutricionista Franciele Almeida ressalta a importância de se informar e receber orientações de profissionais para ter uma dieta de qualidade “Recomendo pesquisar e ler muito sobre o assunto, assim como procurar um profissional, a fim de ajustar sua dieta, e de forma gradual ir ao menor consumo de alimentos de fonte animal, vale lembrar que também é importantíssimo o acompanhamento dos exames de sangue.”

Os fatores que influenciam a opção pela alimentação vegana, que varia desde questões sociais ou até mesmo de ordem particular, mas podemos destacar que  uma delas é qualidade nutritiva que a dieta proporciona, pois os aminoácidos, vitaminas e minerais são mais facilmente encontrados em fontes vegetais, assim como as proteínas, afinal os veganos em sua dieta ingerem alimentos vegetais, que oferecem mais cálcio, folato e fibras que auxiliam muito na proteção e desenvolvimento do nosso organismo e microbiota intestinal,  mas apesar dos nutrientes, existem deficiências sentidas pelo organismo como é o caso do ferro, mas para isso se tem a opção de consumo de folhas verdes escuras que agregando a vitamina C se transforma em ferro de absorção rápida, outro fator que causa dúvida é a suplementação de cálcio no organismo e indagada sobre isso Franciele alerta “ A deficiência de cálcio  é um mito, pois vegetais e folhas possuem uma quantidade muito significativa deste mineral, gergelim, por exemplo, é uma ótima fonte.”

Prato vegano com bife de lentilha. Foto: arquivo pé-de-couve culinária

Em meio a tantas controvérsias, os especialistas são categóricos ao falar sobre a suplementação de vitamina B12, pessoas com deficiência de vitamina B12, segundo estudos disponibilizados no Site Dr. Jörg Schweikart especializado em artigos de nutrição, saúde e ciência, afirmam que os sintomas para deficiência da vitamina não são específicos. Os sintomas que são mais comuns estão divididos em categorias, tais como problemas do sistema nervoso: dor, formigamento, problemas de coordenação, perda de memória; anemia: perda de força, fraqueza imunológica, fadiga crônica, dificuldade de concentração; problemas síntese de neurotransmissores e hormônios: distúrbios psicológicos, depressão, psicose; problemas digestivos: obstipação, diarreia, inflamação da boca e ou gastrointestinais.

  Dieta vegana é considerada alimentação saudável

O Ministério da Saúde publicou a última versão do Guia Alimentar para a População Brasileira em 2014, onde reconheceu a alimentação vegana como saudável destacando alguns pontos para que se alcance uma dieta segura.

“Por diversas razões, algumas pessoas optam por não consumir alimentos de origem animal, sendo assim denominadas vegetarianas. A restrição pode ser apenas com relação a carnes ou pode envolver também ovos e leite ou mesmo todos os alimentos de origem animal. Embora o consumo de carnes ou de outros alimentos de origem animal, como o de qualquer outro grupo de alimentos, não seja absolutamente imprescindível para uma alimentação saudável, a restrição de qualquer alimento obriga que se tenha maior atenção na escolha da combinação dos demais alimentos que farão parte da alimentação. Quanto mais restrições, maior a necessidade de atenção e, eventualmente, do acompanhamento por um nutricionista.” – página 84.

Denise Kanopf explora a culinária que não inclui alimentos de origem vegetal. Foto: arquivo pessoal

Para a culinarista e estudante de introdução à gastronomia, Denise Kanopf, que trabalha com alimentação vegana desde 2015, é perfeitamente possível ter saúde se alimentando exclusivamente de vegetais, inclusive proteínas. Denise monta cardápios unicamente veganos, para a produção ter o aporte necessário de cada alimento, Denise tem como principal fonte o médico nutrólogo, especialista em alimentação vegetariana Dr. Eric Slywitch, graduado pela faculdade de Medicina de Jundiaí, mestre em Ciências pela Unifesp, e atualmente diretor do Departamento de Medicina e Nutrição da Sociedade Vegetariana Brasileira, é responsável por estudos que norteiam Denise na elaboração das receitas que muitas vezes passam por adaptação. Kanopf destaca a importância de sempre estar estudando e aprendendo novas técnicas, para que os pratos desenvolvidos tenham o valor nutricional indicado para uma alimentação segura.

 A recomendação, de forma geral, segundo Denise é que o prato ou refeição seja composto por 50% de hortaliças (legumes e verduras, preferencialmente cruas ou cozidas, dar uma atenção especial às verde-escuras que contém cálcio), 25% de cereais/tubérculos (arroz, milho, mandioca, cenoura trigo – dar prioridade aos integrais e não aos refinados), e 25% de leguminosas, que são os feijões (e lentilha, ervilha, grão de bico e soja). Porém, Denise também destaca que o uso de vitamina B12 é necessário, pois mantendo o cardápio exclusivo que retira o consumo total carnes e seus derivados esse procedimento se faz fundamental.

Por Natalie Aires
Reportagem produzida para a disciplina de Jornalismo Científico

Sobre o autor:

Agência CentralSul de Notícias

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *