Muay Thai de Santa Maria vai competir na Tailândia


Por João Pedro Foletto

 

Gustavo Raquelli (E) treina com o técnico Fernando Munekata (D). Meta é disputar Mundial, em março de 2020, na Tailândia
Foto: João Pedro Foletto

As artes marciais são um conjunto de técnicas de uma luta individual. O Muay Thai ou boxe tailandês é uma arte milenar originada na Tailândia e iniciada no Brasil nos anos 80. Hoje, ela é praticada em muitos países e já é reconhecida como esporte.  As técnicas de ataque e defesa ensinadas no Muay Thai são conhecidas como “arte dos oito membros”, pois o praticante pode utilizar as mãos, os cotovelos, as pernas e os pés para atacar o oponente.

Fernando Munekata, 27 anos, professor e dono do TC Munekata, em Santa Maria, explica que pessoas de todas as faixas etárias podem praticar muay thai. Segundo ele,  o público que mais procura a modalidade é o feminino, que busca atividades que ajudem a “queimar” muitas calorias. Munekata ressalta que, além dos benefícios físicos, a arte marcial ajuda no convívio social e no alívio do estresse.

Gustavo Raquelli, 14 anos, duas vezes campeão do Torneio Gaúcho de Muay Thai e uma vez campeão nacional, vai representar, com mais dois colegas do CT Munekata e da seleção brasileira, o país no Mundial de Muay Thai. O torneio vai ser em março de 2020, na Tailândia. Sobre as expectativas, o atleta comenta: “Sei que não será fácil, mas nós vamos estar bem preparados e fortes para enfrentar o que vier”. Raquelli iniciou sua carreira no taekwondo e ficou na modalidade por oito anos. Agora, ele pratica Muay Thai há um ano meio.

Para ajudar nos custos da viagem, o professor Munekata comenta que rifas e risotos são organizados, além da dupla buscar patrocínios.  O CT Munekata fica na RST-287, número 257, sala 9, no bairro Camobi, em Santa Maria. Mais informações pelo telefone (55) 99936-6635.

Confira a reportagem radiofônica abaixo.

 

Por Guilherme Superti e João Pedro Foletto. Matéria produzida para a disciplina de Jornalismo Esportivo, sob orientação do professor Gilson Piber.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *