Por que a praça amanheceu pintada?


Por Julia Trombine

 

Praça do Mallet foi repaginada nesta semana após longo período de abandono. Foto: Julia Trombini

Já é triste pensar que a nossa cidade não possui muitos espaços públicos. E os poucos que existem, às vezes, não são adequados para o uso da população. Não estou generalizando, pelo contrário, acredito que as pessoas podem e devem utilizar os locais para lazer, esporte ou qualquer atividade ao ar livre. Afinal, o espaço público é considerado como aquele que é de uso comum e posse de todas as pessoas. Ao entender a cidade como um local de encontros, o espaço público, geralmente representado pelas praças, tem um papel muito importante para os cidadãos.

Moro no bairro Passo D’Areia há alguns anos e foram poucas as vezes que vi algum trabalho de melhoria feito pelo poder público nesse aspecto. O bairro tem uma praça que é conhecida pela quantidade de assaltos e violência na cidade, mesmo estando em frente a um lugar de segurança, que tem guardas 24 horas. Aos domingos, essa mesma praça reúne a comunidade de Santa Maria. As crianças brincam na pracinha, alguns idosos fazem atividades, as pessoas caminham, correm, jogam, outras levam seus animais de estimação para passear.  Todas essas atividades realizadas com atenção para não cair em um buraco. Mas eu não to querendo só falar do lado ruim de morar perto de uma praça e saber que muitas pessoas deixam de utilizar o seu espaço por medo de assaltos, ou porque não está adequada, que às vezes parece um matagal ou  que, quando chove, mesmo que pouco, a quadra parece uma piscina, ou então, que os brinquedos são quebrados ou somem. Ou, ainda porque já ficou muito conhecida e estereotipada como um um ponto da cidade que mostra a violência a luz do sol do meio-dia.

 A praça General Osório, conhecida como Praça do Mallet, amanheceu totalmente revitalizada  nesta semana. A grama foi cortada. Os brinquedos estão em boa condição de uso. A pintura da praça, realizada pela Sulclean, terceirizada pela Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, é notada rapidamente por qualquer pessoa que passa pelo local. Para um morador é ainda mais evidente, tendo em vista que é uma praça marcada pelo abandono. O branco das calçadas clareou esse trecho da Avenida Liberdade e eu não questiono o feito, mas me pergunto por qual motivo ela simplesmente amanheceu assim? Até que lembrei que o atual presidente do Brasil chega amanhã na cidade, em sua primeira visita ao Estado após a posse, para prestigiar a Festa Nacional da Artilharia no 3º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado, o Regimento Mallet, que fica em frente à praça.

Julia Trombini é jornalista escorpiana egressa da UFN. Fez parte da equipe do LabFem (Laboratório de Fotografia e Memória) como repórter fotográfica. Trabalhou também com diagramação, assessoria de imprensa e produção de conteúdo. Tem interesse em fotografia, audiovisual e temas de resistência política.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *