Temporais castigam a Santa Maria e região


Por Lavignea Witt

 

Santa Maria volta a ser atingida por temporal. Foto: João Vilnei/PMSM.

A cidade de Santa Maria voltou a ser atingida por temporal nesta quarta-feira, 30. Os ventos — que chegaram a atingir 65 km/h — e a chuva, destelharam casas, derrubaram postes e árvores em diferentes pontos da cidade. Nos últimos 30 dias, choveu 489 mm. Segundo a Superintendência da Defesa Civil Municipal, foram registradas ocorrências devido ao temporal, em nove bairros da cidade e também no interior. Cerca de 30 casas foram atingidas, 18 árvores caíram e 12 delas atingiram vias públicas. Lonas foram distribuídas pela Defesa Civil, Guarda Municipal e Corpo de Bombeiros.

Prejuízos devido à chuva

No bairro Campestre do Menino Deus, casas foram destelhadas e uma árvore caiu nas ruas Guaraci Tibique e Guaraci Schmit. No bairro Itararé, a parede de uma casa localizada na Rua Marechal Deodoro desabou, onde atingiu um imóvel vizinho. Uma casa foi destelhada, e um poste caiu na Travessa Monumento. Não houve feridos. Dois postes de luz caíram na rua Passo dos Weber, no bairro Chácara das Flores, e na rua Engenheiro Renato Pereira, no bairro Pinheiro Machado, uma árvore caiu sobre a rede elétrica. A RGE já foi acionada para a solução dos problemas.

Casas são destelhadas em Santa Maria devido a temporal. Foto: João Vilnei/PMSM.

Os bairros Carolina, Menino Jesus e Caturrita, também registraram casos de destelhamento em algumas casas. Na Região Leste, houve casos de destelhamento nas ruas Ouro Preto, bairro Camobi, Lauro Machado Soares, bairro São José, e Residencial Leonel Brizola no bairro Diácono João Luiz Pozzobon. Já no interior, casos de residências destelhadas foram registrados em Boca do Monte, no Passo da Ferreira.

A Unidade Básica de Saúde (UBS) Joy Betss, na rua Castro Alves, suspendeu os atendimentos nesta quarta-feira, por conta de um destelhamento ocorrido no posto de saúde no bairro Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Os agendamentos serão retomados em breve e serão divulgados assim que possível. A direção da Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Casa da Criança, na Rua Venâncio Aires, precisou suspender as aulas na última quarta-feira, 30, por conta de peças do imóvel que sofreram alagamentos.

Alguns pontos de alagamentos foram registrados. São eles: na Rua Ronda Alta, no Bairro Salgado Filho, Rua General Portinho, no Bairro Passo D’Areia, na Rua Santa Catarina, no Bairro Pinheiro Machado e na Rua Júlio Prado Lima, no Bairro Nossa Senhora da Medianeira.

Áreas de risco são monitoradas

A área do Balneário Passo do Verde, ao Sul da cidade, no Distrito de Passo do Verde, e a barragem do DNOS, no Bairro Campestre do Menino Deus, na Região Norte, recebem atenção especial do Poder Público. Há possibilidade de alagamento no Passo do Verde, devido à alta do Rio Vacacaí. Na barragem do DNOS, que represa o Rio Vacacaí-Mirim, uma equipe da Defesa Civil Municipal, esteve no local na manhã desta quarta, e apontou que a situação está sob controle. A Corsan, fez uma vistoria técnica na última quarta-feira, 30.

Áreas de risco são monitoradas após temporal. Foto: João Vilnei/PMSM.

Uma ponte na rua Irmã Dulce, no bairro Renascença, é monitorada, porque parte da cabeceira cedeu. Uma tubulação que passa pela travessia rompeu, aumentando o fluxo de água e causou o dano. A Defesa Civil, no entanto, verificou que não há risco. Porém, a travessia está sendo permitida apenas por veículos de passeio e pedestres. Veículos de grande porte, como ônibus e caminhões, estão proibidos de passar. A Corsan, foi acionada para a realização de uma avaliação técnica, para então providenciar o conserto.

Caso o volume de água aumente, é possível que a mesma seja interditada. A Secretaria de Mobilidade já foi acionada para fazer a sinalização, estreitando a pista de forma a impedir que veículos de grande porte façam a travessia. Os ônibus do transporte coletivo já foram notificados para não passar pelo local. A ponte, é a unica passagem dos moradores do bairro Renascença, para a região do Shopping Praça Nova.

Quais as medidas caso haja desastres naturais?

A Prefeitura de Santa Maria, disponibilizou um documento com orientações em relações a vendavais, inundações e alagamentos, deslizamentos e desabamentos de construções, raios e descargas elétricas e chuva de granizo. Em cada tópico, há dicas e procedimentos a serem adotados para a segurança de todos e todas.

Telefones de urgência

Defesa Civil Municipal: (55) 3222-5192

Defesa Civil Estadual: 199

Guarda Municipal: 153

Corpo de Bombeiros: 193

Local para doações a quem sofreu com danos após o temporal

A sede da Defesa Civil Municipal (Rua Boa Vista, nº 50, no Bairro Pinheiro Machado) está aberta para receber doações. Entre o que é mais necessário, estão colchões, roupas e alimentos não perecíveis.

Fonte: Comunicação PMSM.

 

 

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *