Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Saúde em risco

É cada vez mais comum o uso de suplementos alimentares, tanto para conseguir
um melhor rendimento esportivo, como para obter o corpo perfeito. Porém, se
mal administrado, o suplemento pode passar de mocinho a vilão

Os suplementos alimentares são cada vez mais comuns em acadêmias de
musculação.  O principal motivo das pessoas recorrerem a estas substâncias é
a busca por um resultado a curto prazo.

 Os suplementos compostos por
aminoácidos, por exemplo, trazem em alguns meses, resultados que demorariam
alguns anos para serem alcançados. Não são considerados
dopping, e são muito usados por atletas que necessitam de um alto
rendimento.

O educador físico, Rômulo Duarte, que trabalha em academia de
musculação, fala que os suplementos são recomendados às pessoas que
somente com a alimentação, não conseguem suprir as necessidades diárias do
corpo.  Segundo ele, uma pessoa com vida ativa, que trabalha e pratica
acadêmia e esportes durante toda a semana, gasta entre 2000 e 3500 Kcal.
Esse gasto é facilmente reposto através a alimentação. Porém, um  maratonista
ou um triatleta gasta até 9000 Kcal, e somente com o suplemento é possível
suprir esse déficit calórico. Para determinar a quantidade de suplemento e
qual produto deve ser ingerido, a pessoa deve específicar, primeiramente, o
resultado que quer obter, se é hipertrofia (aumento da massa muscular),
emagrecimento, definição, ganho de resistênca física, etc. A partir disso
deve procurar um nutricionista que irá fazer os exames nescessários
prescrever o uso destas substâncias. Vários fatores determinam a dosagem,
como peso, altura, alimentação, atividades diárias, sendo bastante
difícil que duas pessoas utilizem a mesma quantidade de suplemento. O
educador ressalta que o grande problema é o uso indiscriminado dos
suplementos, "um vai indicando para o outro, o que é errado, porque cada
pessoa precisaria de uma certa dosagem para suprir as necessidades diárias
dela, isso é muito individual", diz Romulo.
O professor de judô e jiu jitsu, Márcio Goethel, defende o uso dos
suplementos. Segundo ele, essas substâncias vieram para ajudar na obtenção
dos resultados, não de um modo mais fácil, mas de um modo mais saudável,
pois elas ajudam a suprir as necessidades diárias das pessoas. Porém, Márcio
fala sobre o perigo de usar tais substâncias, pois a creatina, por exemplo,
que é um suplemento a base de proteína e bastante utilizado em treinos de
hipertrofia muscular, se administrado de forma incorreta, pode se depositar
nos rins causando insuficiência renal. Segundo ele, uma colher de sopa de
creatina (aproximadamente 5 gramas) corresponde a pessoa ingerir de 4,5 a 5
quilos de carne durante cinco dias. Ou  seja, a concentração é tão alta que
quando a dosagem é elevada, o corpo não consegue eliminar a substância, que
fica acumulada nos corpo, prejudicando todo o organismo.
Praticantes de alterofilismo, como Glauco Oliveira e Jeferson Ligório, 
defendem o uso dos suplementos. "Na minha opinião, para uma pessoa que
queira ganhar massa muscular ou aumentar o corpo, se fizer um trabalho
acompanhado de um nutricionista, bem regrado, não vejo problema.  Penso que juntando um professor de educação física e um nutricionista é possível obter um trabalho de bastante sucesso", afrima.

Para Gláuco o suplemento traz um auxílio psicológico.  "Acho que a pessoa
deve tomar o recomendado, perguntar para um professor, não abusar na dose
para não ter problemas, até porque suplemento todo mundo aconselha a tomar,
não é que nem anabolizante que todo mundo é contra, em alguns treinos
somente com uso do suplemento é possível obter resultado satisfatório, no
psicológico é o que mais ajuda", afirma Glauco
Já a Psicóloga Mariana Dias, ressalta que as pessoas devem tomar cuidado
ao tomar suplementos. Mariana diz que os suplementos, se usados
corretamente, não possuem efeito nocivo algum, porém se usados de forma
indiscriminada podem trazer sérios problemas. "A ingestão de forma incorreta
pode causar aumento de pelo, arretimia cardíaca e sintomas psíquicos. As
alterações psicológicas deixam a pessoa primeiramente num estado de euforia,
alegre podendo treinar 15 horas por dia sem ficar cansada, ou agressividade,
causando depois a depressão",  relata a psicóloga. Segundo ela, existem
muitos quadros de suicídio nesses casos.
Romulo Duarte diz que "principalmente nos meses de setembro a dezembro o uso de suplementos  aumenta, em razão da busca incessante por uma estética. As pessoas fazem
exercícios físicos durante esses meses e recorrem aos suplementos para tirar
o atrasado do restante do ano", diz o educador. Segundo ele, quem possui uma
boa alimentação não necessita de suplementos, pois com uma boa alimentação é
possível conseguir todos elementos que o corpo precisa. Muitas vezes o
usuário já tem uma boa alimentação, então o organismo tem que trabalhar em
dobro, às vezes três vezes mais, para expelir essa dosagem em excesso, então
acaba sobrecarregando rins, fígado e os demais órgãos. 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

É cada vez mais comum o uso de suplementos alimentares, tanto para conseguir
um melhor rendimento esportivo, como para obter o corpo perfeito. Porém, se
mal administrado, o suplemento pode passar de mocinho a vilão

Os suplementos alimentares são cada vez mais comuns em acadêmias de
musculação.  O principal motivo das pessoas recorrerem a estas substâncias é
a busca por um resultado a curto prazo.

 Os suplementos compostos por
aminoácidos, por exemplo, trazem em alguns meses, resultados que demorariam
alguns anos para serem alcançados. Não são considerados
dopping, e são muito usados por atletas que necessitam de um alto
rendimento.

O educador físico, Rômulo Duarte, que trabalha em academia de
musculação, fala que os suplementos são recomendados às pessoas que
somente com a alimentação, não conseguem suprir as necessidades diárias do
corpo.  Segundo ele, uma pessoa com vida ativa, que trabalha e pratica
acadêmia e esportes durante toda a semana, gasta entre 2000 e 3500 Kcal.
Esse gasto é facilmente reposto através a alimentação. Porém, um  maratonista
ou um triatleta gasta até 9000 Kcal, e somente com o suplemento é possível
suprir esse déficit calórico. Para determinar a quantidade de suplemento e
qual produto deve ser ingerido, a pessoa deve específicar, primeiramente, o
resultado que quer obter, se é hipertrofia (aumento da massa muscular),
emagrecimento, definição, ganho de resistênca física, etc. A partir disso
deve procurar um nutricionista que irá fazer os exames nescessários
prescrever o uso destas substâncias. Vários fatores determinam a dosagem,
como peso, altura, alimentação, atividades diárias, sendo bastante
difícil que duas pessoas utilizem a mesma quantidade de suplemento. O
educador ressalta que o grande problema é o uso indiscriminado dos
suplementos, "um vai indicando para o outro, o que é errado, porque cada
pessoa precisaria de uma certa dosagem para suprir as necessidades diárias
dela, isso é muito individual", diz Romulo.
O professor de judô e jiu jitsu, Márcio Goethel, defende o uso dos
suplementos. Segundo ele, essas substâncias vieram para ajudar na obtenção
dos resultados, não de um modo mais fácil, mas de um modo mais saudável,
pois elas ajudam a suprir as necessidades diárias das pessoas. Porém, Márcio
fala sobre o perigo de usar tais substâncias, pois a creatina, por exemplo,
que é um suplemento a base de proteína e bastante utilizado em treinos de
hipertrofia muscular, se administrado de forma incorreta, pode se depositar
nos rins causando insuficiência renal. Segundo ele, uma colher de sopa de
creatina (aproximadamente 5 gramas) corresponde a pessoa ingerir de 4,5 a 5
quilos de carne durante cinco dias. Ou  seja, a concentração é tão alta que
quando a dosagem é elevada, o corpo não consegue eliminar a substância, que
fica acumulada nos corpo, prejudicando todo o organismo.
Praticantes de alterofilismo, como Glauco Oliveira e Jeferson Ligório, 
defendem o uso dos suplementos. "Na minha opinião, para uma pessoa que
queira ganhar massa muscular ou aumentar o corpo, se fizer um trabalho
acompanhado de um nutricionista, bem regrado, não vejo problema.  Penso que juntando um professor de educação física e um nutricionista é possível obter um trabalho de bastante sucesso", afrima.

Para Gláuco o suplemento traz um auxílio psicológico.  "Acho que a pessoa
deve tomar o recomendado, perguntar para um professor, não abusar na dose
para não ter problemas, até porque suplemento todo mundo aconselha a tomar,
não é que nem anabolizante que todo mundo é contra, em alguns treinos
somente com uso do suplemento é possível obter resultado satisfatório, no
psicológico é o que mais ajuda", afirma Glauco
Já a Psicóloga Mariana Dias, ressalta que as pessoas devem tomar cuidado
ao tomar suplementos. Mariana diz que os suplementos, se usados
corretamente, não possuem efeito nocivo algum, porém se usados de forma
indiscriminada podem trazer sérios problemas. "A ingestão de forma incorreta
pode causar aumento de pelo, arretimia cardíaca e sintomas psíquicos. As
alterações psicológicas deixam a pessoa primeiramente num estado de euforia,
alegre podendo treinar 15 horas por dia sem ficar cansada, ou agressividade,
causando depois a depressão",  relata a psicóloga. Segundo ela, existem
muitos quadros de suicídio nesses casos.
Romulo Duarte diz que "principalmente nos meses de setembro a dezembro o uso de suplementos  aumenta, em razão da busca incessante por uma estética. As pessoas fazem
exercícios físicos durante esses meses e recorrem aos suplementos para tirar
o atrasado do restante do ano", diz o educador. Segundo ele, quem possui uma
boa alimentação não necessita de suplementos, pois com uma boa alimentação é
possível conseguir todos elementos que o corpo precisa. Muitas vezes o
usuário já tem uma boa alimentação, então o organismo tem que trabalhar em
dobro, às vezes três vezes mais, para expelir essa dosagem em excesso, então
acaba sobrecarregando rins, fígado e os demais órgãos.