Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Japão “Verde-Amarelo”

 

Mesmo com descendência japonesa, quando o assunto é futebol, o favorito ainda é o Brasil.

 

O Brasil jogou nesta tarde contra a seleção do Japão, que tem como técnico o ex-jogador e brasileiro Zico.
 O floriculturista Heido Kyiama é natural do Japão, mas vive em Santa Maria há 45 anos. “Eu torço para o Brasil, sim. Já voltei ao Japão outras vezes, mas fiz toda a minha vida aqui e minha família é brasileira”, conta.

Já o estudante de Engenharia da UFPR, Maurício Nishida, faz questão de torcer por seu país de origem: “minha família é bastante conservadora, mas torcemos pelo Japão porque nos parece uma espécie de fidelidade com nosso país. Além do mais, o treinador é brasileiro”, comenta.

O comerciante Massato Kawashima é brasileiro e filho de japoneses. “Nem todos nós somos tradicionais", salienta. O primeiro tempo foi comemorado pelos japoneses quando o Japão abriu o placar; mas a alegria do Japão durou pouco, já que no final do primeiro tempo o Brasil empatou com gol de Ronaldo. No segundo tempo, o Brasil marcou mais três gols.

Foto: Acervo Agência Central Sul ( Por Ana Marta Flores)

Arte: Ana Marta Flores

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

 

Mesmo com descendência japonesa, quando o assunto é futebol, o favorito ainda é o Brasil.

 

O Brasil jogou nesta tarde contra a seleção do Japão, que tem como técnico o ex-jogador e brasileiro Zico.
 O floriculturista Heido Kyiama é natural do Japão, mas vive em Santa Maria há 45 anos. “Eu torço para o Brasil, sim. Já voltei ao Japão outras vezes, mas fiz toda a minha vida aqui e minha família é brasileira”, conta.

Já o estudante de Engenharia da UFPR, Maurício Nishida, faz questão de torcer por seu país de origem: “minha família é bastante conservadora, mas torcemos pelo Japão porque nos parece uma espécie de fidelidade com nosso país. Além do mais, o treinador é brasileiro”, comenta.

O comerciante Massato Kawashima é brasileiro e filho de japoneses. “Nem todos nós somos tradicionais", salienta. O primeiro tempo foi comemorado pelos japoneses quando o Japão abriu o placar; mas a alegria do Japão durou pouco, já que no final do primeiro tempo o Brasil empatou com gol de Ronaldo. No segundo tempo, o Brasil marcou mais três gols.

Foto: Acervo Agência Central Sul ( Por Ana Marta Flores)

Arte: Ana Marta Flores