Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Manifestação estudantil no dia nacional do passe livre

Depois  da manifestação dos professores municipais pela manhã,  estudantes secubdarista e universitários tomam a Praça Saldanha Marinho no final da tarde de hoje.

O protesto, que é uma parceria com a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), estava previsto para as 17h30min.

Por volta das 18h, nove estudantes aguardavam a chegada de mais colegas. A chuva atrasou o inicio das atividades, mas não impossibilitou o inpicio de uma série de manifestações. Eram 18h6min quando começaram a ser ouvidos os gritos dos estudantes que vinham da Rua do Acampamento. Segurando faixas, eles seguiram até a Rua Venâncio Aires com a Av. Rio Branco, onde um acadêmico leu algumas das reivindicações, como a “melhoria da qualidade do transporte urbano na cidade” e o  “o não aumento da passagem”.

Os acadêmicos que chegaram à Praça Saldanha atrasados, vieram direto do Campus da UFSM, explicaram suas propostas aos demais passageiros e desceram pela porta de trás, sem pagar as passagens. Segundo Vinicius Dalbienco, estudante de Agronomia, dezenas de alunos resolveram não se deslocar até o centro da cidade e participar da manifestação devido ao mau tempo.

Todas as quartas-feiras, às 17h30min, os estudantes pretendem organizar a mobilização para atrair a atenção do resto da população.  O principal objetivo dos acadêmicos é propor uma audiência pública sobre o assunto.

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Depois  da manifestação dos professores municipais pela manhã,  estudantes secubdarista e universitários tomam a Praça Saldanha Marinho no final da tarde de hoje.

O protesto, que é uma parceria com a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), estava previsto para as 17h30min.

Por volta das 18h, nove estudantes aguardavam a chegada de mais colegas. A chuva atrasou o inicio das atividades, mas não impossibilitou o inpicio de uma série de manifestações. Eram 18h6min quando começaram a ser ouvidos os gritos dos estudantes que vinham da Rua do Acampamento. Segurando faixas, eles seguiram até a Rua Venâncio Aires com a Av. Rio Branco, onde um acadêmico leu algumas das reivindicações, como a “melhoria da qualidade do transporte urbano na cidade” e o  “o não aumento da passagem”.

Os acadêmicos que chegaram à Praça Saldanha atrasados, vieram direto do Campus da UFSM, explicaram suas propostas aos demais passageiros e desceram pela porta de trás, sem pagar as passagens. Segundo Vinicius Dalbienco, estudante de Agronomia, dezenas de alunos resolveram não se deslocar até o centro da cidade e participar da manifestação devido ao mau tempo.

Todas as quartas-feiras, às 17h30min, os estudantes pretendem organizar a mobilização para atrair a atenção do resto da população.  O principal objetivo dos acadêmicos é propor uma audiência pública sobre o assunto.