Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Riograndense de olho em 2007

 

 

 

Ainda não foi definido o calendário da segundona do Gauchão para o próximo ano. Mesmo assim,  o Riograndense, da presidente Norma Rolim (foto), já trabalha com o objetivo de colocar a equipe para a disputa da competição.

De olho na próxima temporada, a diretoria corre atrás parceiros para investimentos no futebol. O desejo é ter um grande investidor no clube. “Nós gostaríamos de ter um grande patrocinador como âncora na parte financeira, mas em Santa Maria a gente não é muito feliz quanto a isso”, revela Norma Rolim, presidente do Riograndense. Entretanto, com o desenvolvimento das atividades e conseqüente mostra do trabalho que vai sendo realizado, a presidente acredita que é possível conseguir patrocínios.

Para fazer futebol não é fácil, muito menos arranjar um patrocínio de peso. É por isso que a direção valoriza e busca apoio de empresas de médio e pequeno porte e, ainda, de pessoas físicas que queiram colaborar com o ‘Piriquito’. “Para fazer futebol falta bastante em termos financeiros”, diz Norma. Para que o Riograndense participe da Segunda Divisão do Gauchão 2007 é necessário um investimento inicial de R$ 30 mil para despesas que envolvem a formação de uma equipe. Compromissos que vão desde o pagamento de salários de jogadores e comissão técnica até despesas com realização de viagens. 

Desde o final da segundona deste ano, a diretoria vem realizando reuniões semanais para planejar o futuro do clube. “Essas reuniões são para as pessoas que estão fazendo alguma coisa não perderem o contato”, afirma a presidente. Nos encontros, os assuntos tratam de projetar o futuro da instituição. O objetivo é partilhar responsabilidades e colocar sugestões para o crescimento e fortalecimento do clube.

No momento está aberta uma campanha para sócios. Com o dinheiro arrecadado, as despesas com funcionários, luz, água, telefone e manutenção do estádio serão pagas. Outra meta da direção é administrar o clube como uma empresa. “Para que se tenha um futebol organizado, é preciso que o clube esteja organizado”, diz Norma Rolim. 

 

 

Infra-estrutura

As melhorias no Estádio dos Eucaliptos estão sendo realizadas. A parte social está em obra e abrange as instalações do clube, como refeitórios, vestiários, pavilhão social, entre outras. A reforma mais visível e importante já foi concluída: a do gramado dos Eucaliptos.

No último dia 15 de novembro aconteceu a inauguração do campo. Com o novo gramado, o Piriquito poderá mandar os jogos em casa. No ano passado, as partidas eram disputadas no Estádio Presidente Vargas (Baixada) do Inter-SM. O retorno dos jogos para os Eucaliptos trará um maior retorno financeiro. Segundo Norma Rolim, muitos torcedores tradicionais não compareciam na casa do arqui-rival. Agora, só resta esperar. A expectativa da diretoria é de que o Riograndense volte a disputar competições e faça bonito dentro de campo já na próxima temporada. 

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

 

 

 

Ainda não foi definido o calendário da segundona do Gauchão para o próximo ano. Mesmo assim,  o Riograndense, da presidente Norma Rolim (foto), já trabalha com o objetivo de colocar a equipe para a disputa da competição.

De olho na próxima temporada, a diretoria corre atrás parceiros para investimentos no futebol. O desejo é ter um grande investidor no clube. “Nós gostaríamos de ter um grande patrocinador como âncora na parte financeira, mas em Santa Maria a gente não é muito feliz quanto a isso”, revela Norma Rolim, presidente do Riograndense. Entretanto, com o desenvolvimento das atividades e conseqüente mostra do trabalho que vai sendo realizado, a presidente acredita que é possível conseguir patrocínios.

Para fazer futebol não é fácil, muito menos arranjar um patrocínio de peso. É por isso que a direção valoriza e busca apoio de empresas de médio e pequeno porte e, ainda, de pessoas físicas que queiram colaborar com o ‘Piriquito’. “Para fazer futebol falta bastante em termos financeiros”, diz Norma. Para que o Riograndense participe da Segunda Divisão do Gauchão 2007 é necessário um investimento inicial de R$ 30 mil para despesas que envolvem a formação de uma equipe. Compromissos que vão desde o pagamento de salários de jogadores e comissão técnica até despesas com realização de viagens. 

Desde o final da segundona deste ano, a diretoria vem realizando reuniões semanais para planejar o futuro do clube. “Essas reuniões são para as pessoas que estão fazendo alguma coisa não perderem o contato”, afirma a presidente. Nos encontros, os assuntos tratam de projetar o futuro da instituição. O objetivo é partilhar responsabilidades e colocar sugestões para o crescimento e fortalecimento do clube.

No momento está aberta uma campanha para sócios. Com o dinheiro arrecadado, as despesas com funcionários, luz, água, telefone e manutenção do estádio serão pagas. Outra meta da direção é administrar o clube como uma empresa. “Para que se tenha um futebol organizado, é preciso que o clube esteja organizado”, diz Norma Rolim. 

 

 

Infra-estrutura

As melhorias no Estádio dos Eucaliptos estão sendo realizadas. A parte social está em obra e abrange as instalações do clube, como refeitórios, vestiários, pavilhão social, entre outras. A reforma mais visível e importante já foi concluída: a do gramado dos Eucaliptos.

No último dia 15 de novembro aconteceu a inauguração do campo. Com o novo gramado, o Piriquito poderá mandar os jogos em casa. No ano passado, as partidas eram disputadas no Estádio Presidente Vargas (Baixada) do Inter-SM. O retorno dos jogos para os Eucaliptos trará um maior retorno financeiro. Segundo Norma Rolim, muitos torcedores tradicionais não compareciam na casa do arqui-rival. Agora, só resta esperar. A expectativa da diretoria é de que o Riograndense volte a disputar competições e faça bonito dentro de campo já na próxima temporada.