Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Trânsito é difícil em Santa Maria

No mês de dezembro, a agência de notícias Centralsul publicou uma matéria sobre o trânsito em Santa Maria, enfocando a insatisfação dos motoristas da cidade. “Ruim, péssimo e confuso”, foram adjetivos dados por alguns condutores ao trânsito local.

Trafegam em Santa Maria aproxidamente 120 mil veículos automotores, sendo 90 mil cadastrados na cidade e 30 mil circulantes de outras localidades. Segundo o diretor geral da Secretaria Municipal de Trânsito de Santa Maria, Cezar Augusto Vaz, a cidade tem estrutura para comportar todos estes veículos. “Até o momento, o Movimento Diário Médio de Veículos (VDM)  é mediano, sendo comportado pelas vias”, disse o secretário. Mesmo assim, foi encaminhado pela Secretaria o plano diretor de trânsito e transportes para a Câmara de Vereadores, com o objetivo de melhorar o trânsito.

 Os motoristas da cidade não concordaram com o diretor geral quando este diz que as ruas comportam elevado número de veículos rodando. A Secretaria de Trânsito registrou como ponto crítico apenas as ruas que ficam no Bairro Nossa Senhora de Lurdes, na região da rodoviária, e sugeriu que para melhorar essa conjuntura  é necessário aprimorar a sinalização e a hierarquização dessas vias.

Vaz apontou apenas uma região como ponto crítico, em contrapartida os motoristas mais experientes, como o taxista Mario Costa, têm na ponta da língua os lugares onde o trânsito é mais complicado. Ele cita  as ruas Floriano Peixoto, zonas próximas aos colégios Sant’Anna e Santa Maria; Dr. Bozzano, nas proximidades da praça Saturnino de Brito, devido ao número expressivo de barezinhos; e Duque de Caxias, entre a Venâncio Aires e a Niderauer.

Após estudos feitos sobre o trânsito em Santa Maria, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes de Mobilidade Urbana propôs, através de sua diretoria geral e de trânsito, o sincronismo dos semáforos da Av. Rio Branco através de cabos de comunicação. Essa medida já foi aplicada e é chamada "onda verde".

Parquímetros

Há algum tempo, era praticamente impossível estacionar no centro, mas os parquímetros mudaram esse quadro. Para Vaz, a implantação dos parquímetros melhorou não só o estacionamento, mas também o acesso e as condições visuais do centro, com menor número de veículos por quadra.  

A implantação do parquímetro em Santa Maria gerou muita polêmica na cidade, e isso se deve à sua política de funcionamento. Para estacionar, o motorista tem que desembolsar no mínimo R$ 0, 50 centavos e pode permanecer na vaga durante duas horas. Qualquer dano que o carro sofrer é de responsabilidade do seu proprietário. Alguns motoristas ficam tão indignados que chegam a agredir verbalmente os funcionários da empresa que administra os parquímetros da cidade. “No início era pior, agora eu acho que o pessoal está se acostumado”, disse um funcionário que não quis se identificar.

Assim, a procura por estacionamentos privados é maior.  “Desde o primeiro dia de funcionamento dos parquímetros o movimento aumentou mais de 50%”, conclui o funcionário de um estacionamento do centro da cidade, Tiago Cechin.

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

No mês de dezembro, a agência de notícias Centralsul publicou uma matéria sobre o trânsito em Santa Maria, enfocando a insatisfação dos motoristas da cidade. “Ruim, péssimo e confuso”, foram adjetivos dados por alguns condutores ao trânsito local.

Trafegam em Santa Maria aproxidamente 120 mil veículos automotores, sendo 90 mil cadastrados na cidade e 30 mil circulantes de outras localidades. Segundo o diretor geral da Secretaria Municipal de Trânsito de Santa Maria, Cezar Augusto Vaz, a cidade tem estrutura para comportar todos estes veículos. “Até o momento, o Movimento Diário Médio de Veículos (VDM)  é mediano, sendo comportado pelas vias”, disse o secretário. Mesmo assim, foi encaminhado pela Secretaria o plano diretor de trânsito e transportes para a Câmara de Vereadores, com o objetivo de melhorar o trânsito.

 Os motoristas da cidade não concordaram com o diretor geral quando este diz que as ruas comportam elevado número de veículos rodando. A Secretaria de Trânsito registrou como ponto crítico apenas as ruas que ficam no Bairro Nossa Senhora de Lurdes, na região da rodoviária, e sugeriu que para melhorar essa conjuntura  é necessário aprimorar a sinalização e a hierarquização dessas vias.

Vaz apontou apenas uma região como ponto crítico, em contrapartida os motoristas mais experientes, como o taxista Mario Costa, têm na ponta da língua os lugares onde o trânsito é mais complicado. Ele cita  as ruas Floriano Peixoto, zonas próximas aos colégios Sant’Anna e Santa Maria; Dr. Bozzano, nas proximidades da praça Saturnino de Brito, devido ao número expressivo de barezinhos; e Duque de Caxias, entre a Venâncio Aires e a Niderauer.

Após estudos feitos sobre o trânsito em Santa Maria, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes de Mobilidade Urbana propôs, através de sua diretoria geral e de trânsito, o sincronismo dos semáforos da Av. Rio Branco através de cabos de comunicação. Essa medida já foi aplicada e é chamada "onda verde".

Parquímetros

Há algum tempo, era praticamente impossível estacionar no centro, mas os parquímetros mudaram esse quadro. Para Vaz, a implantação dos parquímetros melhorou não só o estacionamento, mas também o acesso e as condições visuais do centro, com menor número de veículos por quadra.  

A implantação do parquímetro em Santa Maria gerou muita polêmica na cidade, e isso se deve à sua política de funcionamento. Para estacionar, o motorista tem que desembolsar no mínimo R$ 0, 50 centavos e pode permanecer na vaga durante duas horas. Qualquer dano que o carro sofrer é de responsabilidade do seu proprietário. Alguns motoristas ficam tão indignados que chegam a agredir verbalmente os funcionários da empresa que administra os parquímetros da cidade. “No início era pior, agora eu acho que o pessoal está se acostumado”, disse um funcionário que não quis se identificar.

Assim, a procura por estacionamentos privados é maior.  “Desde o primeiro dia de funcionamento dos parquímetros o movimento aumentou mais de 50%”, conclui o funcionário de um estacionamento do centro da cidade, Tiago Cechin.