Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Apoio para realizar as provas com tranqüilidade

 Para entrarem calmos e confiantes nas provas, os candidatos contam com o apoio de pais, namorados e amigos. Priscila Anzolin, 22 anos, veio acompanhada do namorado Cristian, 19, para tentar uma vaga no curso de Engenharia Ambiental. Ex- aluna do curso de Arquitetura e Urbanismo, ela conta que não teve muito tempo para estudar, mas veio com garra para tentar um curso que tem uma perspectiva melhor de carreira. “A presença do namorado é importante nessa hora porque posso descarregar as tensões e o “stress”.  Quando a gente não tem família é muito  bom ter alguém que apóia a gente”, finaliza ela que morava em Xanxerê, Santa Catarina.

 A intranqüilidade causada pelo medo que a filha Juliana, 18, não achasse o local da prova fez com que Sandra Lovatto, 43, a acompanhasse. Outro motivo foi o pedido da vestibulanda para que fossem juntas. Segundo a mãe, Juliana, que presta concurso para Enfermagem, se mostrou tranqüila e comentou que a escolha do curso não teve influências de ninguém. Sandra acredita que a área escolhida pela filha tem um bom campo de trabalho.

 Para os filhos possam prestar vestibular e se preparar para o ensino superior, alguns pais mudam suas rotinas. Foi o que aconteceu com João Genaro Paz, 53, e Ana Lúcia Brandão Paz, 46. Eles são pais da vestibulanda Mariana, 18, que tenta uma vaga para o curso de Farmácia. A família morava em Santiago, mas como o pai é aposentado  e a mãe é professora, acabaram pedindo transferência para Santa Maria. A mudança visou a preparação de Mariana para  o vestibular.

O fato de ser filha única fez com que eles a acompanhassem até o Campus II da Unifra.  Ana Lúcia disse estar mais nervosa que a candidata, já o pai deu um recado a Mariana: “Muita calma nessa hora”.

 Confiantes no desempenho da filha  Clóvis Fernando Bem Brum, 50, e Nelci Dente Brum, 47, vieram de Santiago e aproveitaram o tempo das provas para procurar apartamento em Santa Maria  caso a filha passe. Brum considera que a família é extremamente importante em todos os momentos na vida. “Os pais são apoiadores sempre”, resume Nelci.

Fotos: Bibiane Moreira ( Núcleo de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

 Para entrarem calmos e confiantes nas provas, os candidatos contam com o apoio de pais, namorados e amigos. Priscila Anzolin, 22 anos, veio acompanhada do namorado Cristian, 19, para tentar uma vaga no curso de Engenharia Ambiental. Ex- aluna do curso de Arquitetura e Urbanismo, ela conta que não teve muito tempo para estudar, mas veio com garra para tentar um curso que tem uma perspectiva melhor de carreira. “A presença do namorado é importante nessa hora porque posso descarregar as tensões e o “stress”.  Quando a gente não tem família é muito  bom ter alguém que apóia a gente”, finaliza ela que morava em Xanxerê, Santa Catarina.

 A intranqüilidade causada pelo medo que a filha Juliana, 18, não achasse o local da prova fez com que Sandra Lovatto, 43, a acompanhasse. Outro motivo foi o pedido da vestibulanda para que fossem juntas. Segundo a mãe, Juliana, que presta concurso para Enfermagem, se mostrou tranqüila e comentou que a escolha do curso não teve influências de ninguém. Sandra acredita que a área escolhida pela filha tem um bom campo de trabalho.

 Para os filhos possam prestar vestibular e se preparar para o ensino superior, alguns pais mudam suas rotinas. Foi o que aconteceu com João Genaro Paz, 53, e Ana Lúcia Brandão Paz, 46. Eles são pais da vestibulanda Mariana, 18, que tenta uma vaga para o curso de Farmácia. A família morava em Santiago, mas como o pai é aposentado  e a mãe é professora, acabaram pedindo transferência para Santa Maria. A mudança visou a preparação de Mariana para  o vestibular.

O fato de ser filha única fez com que eles a acompanhassem até o Campus II da Unifra.  Ana Lúcia disse estar mais nervosa que a candidata, já o pai deu um recado a Mariana: “Muita calma nessa hora”.

 Confiantes no desempenho da filha  Clóvis Fernando Bem Brum, 50, e Nelci Dente Brum, 47, vieram de Santiago e aproveitaram o tempo das provas para procurar apartamento em Santa Maria  caso a filha passe. Brum considera que a família é extremamente importante em todos os momentos na vida. “Os pais são apoiadores sempre”, resume Nelci.

Fotos: Bibiane Moreira ( Núcleo de Fotografia e Memória)