Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Histórias de sucesso

     Você está na fila do supermercado ou passeando no parque e de repente, ouve algo como: “Faz assim: quando ele começar a implicar, tu estoura um copo na parede. Mas vai com tudo”. Esse tipo de situação inspirou a jornalista e produtora cultural Dedé Ribeiro a criar pequenas histórias compostas por seis frases e apenas dois personagens: os microdramas.

     A idéia surgiu porque Dedé tem o hábito de prestar atenção nas conversas de quem está ao redor. “Desde pequena eu tenho o hábito de imaginar o contexto das frases que ouço na rua. No ano passado, tive a idéia de colocar no papel essas pequenas histórias. A frase que eu ouço na rua é sempre uma das seis que compõem o diálogo”, conta ela.
 

     O projeto, que teve início em setembro de 2006, primeiramente só era divulgado através dos e-mails de Dedé. Cada vez que escrevia, ela anexava um microdrama ao final da mensagem. Depois, houve a criação de um blog, onde um microdrama é postado obrigatoriamente a cada domingo. Além disso, algumas histórias foram passadas para adesivos e distribuídas nas ruas de Porto Alegre. Você pode ter passado por um deles na parada de ônibus, no banheiro de um bar, num orelhão ou em qualquer outro lugar onde um microdrama pode ter acontecido.       
     

     Atualmente, Dedé também tem feito apresentações ao vivo das pequenas histórias. Ela leva as narrativas em papéis individuais e distribui um para cada dupla da platéia. Depois, cada dupla interpreta um microdrama em voz alta. “Quando me convidaram para a primeira apresentação eu achei que seria muito chato ficar lá lendo, então levei as historinhas para o público interpretar. É muito gostoso e o público adora”, explica Dedé. Já foram realizadas cinco dessas apresentações, incluindo locais como a Palavraria e o Sarau Elétrico.     
     

    Segundo a produtora cultural, os microdramas possuem muita teatralidade. Em função disso, ocorrerá uma adaptação para as telas em forma de curta metragem. O filme, que terá direção de Daniel Pedroso, já foi aprovado pela Lei Rouanet (Lei Federal de Incentivo a Cultura) e está em processo de captação de recursos. Uma mosca servirá de fio condutor para a história, que contará oito microdramas.    
 

     A resposta do público tem sido positiva em relação ao projeto. Além da participação pública nos saraus, Dedé tem recebido inúmeros e-mails e os microdramas já ganharam até uma comunidade no orkut. “Está sendo muito bacana. Melhor do que eu imaginava”, completa.  

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

     Você está na fila do supermercado ou passeando no parque e de repente, ouve algo como: “Faz assim: quando ele começar a implicar, tu estoura um copo na parede. Mas vai com tudo”. Esse tipo de situação inspirou a jornalista e produtora cultural Dedé Ribeiro a criar pequenas histórias compostas por seis frases e apenas dois personagens: os microdramas.

     A idéia surgiu porque Dedé tem o hábito de prestar atenção nas conversas de quem está ao redor. “Desde pequena eu tenho o hábito de imaginar o contexto das frases que ouço na rua. No ano passado, tive a idéia de colocar no papel essas pequenas histórias. A frase que eu ouço na rua é sempre uma das seis que compõem o diálogo”, conta ela.
 

     O projeto, que teve início em setembro de 2006, primeiramente só era divulgado através dos e-mails de Dedé. Cada vez que escrevia, ela anexava um microdrama ao final da mensagem. Depois, houve a criação de um blog, onde um microdrama é postado obrigatoriamente a cada domingo. Além disso, algumas histórias foram passadas para adesivos e distribuídas nas ruas de Porto Alegre. Você pode ter passado por um deles na parada de ônibus, no banheiro de um bar, num orelhão ou em qualquer outro lugar onde um microdrama pode ter acontecido.       
     

     Atualmente, Dedé também tem feito apresentações ao vivo das pequenas histórias. Ela leva as narrativas em papéis individuais e distribui um para cada dupla da platéia. Depois, cada dupla interpreta um microdrama em voz alta. “Quando me convidaram para a primeira apresentação eu achei que seria muito chato ficar lá lendo, então levei as historinhas para o público interpretar. É muito gostoso e o público adora”, explica Dedé. Já foram realizadas cinco dessas apresentações, incluindo locais como a Palavraria e o Sarau Elétrico.     
     

    Segundo a produtora cultural, os microdramas possuem muita teatralidade. Em função disso, ocorrerá uma adaptação para as telas em forma de curta metragem. O filme, que terá direção de Daniel Pedroso, já foi aprovado pela Lei Rouanet (Lei Federal de Incentivo a Cultura) e está em processo de captação de recursos. Uma mosca servirá de fio condutor para a história, que contará oito microdramas.    
 

     A resposta do público tem sido positiva em relação ao projeto. Além da participação pública nos saraus, Dedé tem recebido inúmeros e-mails e os microdramas já ganharam até uma comunidade no orkut. “Está sendo muito bacana. Melhor do que eu imaginava”, completa.