Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Na Sola do Pé

Em Santa Maria, como também em outras regiões do país, a procura pela dança de salão aumentou nos últimos tempos. Certamente a mídia foi a grande incentivadora deste processo. O quadro “A Dança dos Famosos” no “Domingão do Faustão”, popularizou a dança de salão e encantou os telespectadores.

A forma de dança em casal nos salões tem origem nos bailes da nobreza européia. Os tipos variados como tango, samba de gafieira, maxixe, salsa e bolero vieram através dos colonizadores para as várias regiões da América.

Na cidade existem vários cursos, tanto em academias de dança, quanto nos clubes. A vontade de aprender a dançar não tem idade, as aulas são procuradas dos mais jovens até os mais velhos.

“O homem está resgatando a dança de salão, porém a dança é uma forma de cultura milenar”, afirma o professor Arabutan Lima, 55 anos, primeiro incentivador da dança em Santa Maria.  “O trabalho corporal ajuda no equilíbrio, aguça a sensibilidade e atrai energias positivas”, complementa o professor.

Um dos alunos de Arabutan no clube Santamariense, José Ramón , simplifica: “A dança relaxa, diverte e ajuda a não pisar no pé da parceira”.

Existem professores de dança que vêem negativamente essa estimulação da mídia. A bailarina e coreógrafa, Thaís Müller, 35 anos, que também é proprietária do Stúdio de Dança Thaís Müller há 16 anos, acredita que o fato de a Dança de Salão estar na mídia, serve para a banalização da mesma. “Há muita procura, porém faltam profissionais qualificados. Para ensinar, o professor precisa estudar, pesquisar e principalmente ter uma boa formação. A dança não é um show, pois existe toda uma metodologia que o professor deve saber”, afirma Thaís.

O Stúdio de Dança Thaís Müller oferecerá nos dias 14, 15 e 16 de setembro de 2007, durante o 13° Santa Maria em Dança*, os cursos de Tango, Malambo e Folclore Argentino, ministrados por três casais argentinos: Pablo Daniel Ruiz e Luciana Canale, Federico Ibànez e Nuria Lazo, Nazareno Calfulef e Gisela Muñoz.

O Festival ocorre no complexo poliesportivo do Clube Recreativo Dores e oferecerá cursos como: Clássico, Jazz, Dança de Rua, Música e Dança: Diálogos, Contemporânea, Dançando Através do Lúdico, Música, Dança e Tecnologia, Iluminação e Danças Dramáticas da Ponta da Língua à Sola dos Pés.

(*) A história dos troféus do Santa Maria em Dança: os troféus do Festival são sempre baseados em fotos das apresentações das edições anteriores. A foto escolhida resulta em um quadro pintado por Marília Chartune, que por sua vez é esculpido pelo artista plástico Paulo Cristo. O troféu do 13° Santa Maria em Dança já pode ser visto no Stúdio Thaís Müller. A escultura é inspirada na coreografia “Relações”, interpretada pelos bailarinos Nicolas Xavier e Nathalia Flores do Balé dos estudantes IV da cidade de Santa Maria.

Fotos: Núcleo de Fotografia e Memória (Vinícius Freitas)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Em Santa Maria, como também em outras regiões do país, a procura pela dança de salão aumentou nos últimos tempos. Certamente a mídia foi a grande incentivadora deste processo. O quadro “A Dança dos Famosos” no “Domingão do Faustão”, popularizou a dança de salão e encantou os telespectadores.

A forma de dança em casal nos salões tem origem nos bailes da nobreza européia. Os tipos variados como tango, samba de gafieira, maxixe, salsa e bolero vieram através dos colonizadores para as várias regiões da América.

Na cidade existem vários cursos, tanto em academias de dança, quanto nos clubes. A vontade de aprender a dançar não tem idade, as aulas são procuradas dos mais jovens até os mais velhos.

“O homem está resgatando a dança de salão, porém a dança é uma forma de cultura milenar”, afirma o professor Arabutan Lima, 55 anos, primeiro incentivador da dança em Santa Maria.  “O trabalho corporal ajuda no equilíbrio, aguça a sensibilidade e atrai energias positivas”, complementa o professor.

Um dos alunos de Arabutan no clube Santamariense, José Ramón , simplifica: “A dança relaxa, diverte e ajuda a não pisar no pé da parceira”.

Existem professores de dança que vêem negativamente essa estimulação da mídia. A bailarina e coreógrafa, Thaís Müller, 35 anos, que também é proprietária do Stúdio de Dança Thaís Müller há 16 anos, acredita que o fato de a Dança de Salão estar na mídia, serve para a banalização da mesma. “Há muita procura, porém faltam profissionais qualificados. Para ensinar, o professor precisa estudar, pesquisar e principalmente ter uma boa formação. A dança não é um show, pois existe toda uma metodologia que o professor deve saber”, afirma Thaís.

O Stúdio de Dança Thaís Müller oferecerá nos dias 14, 15 e 16 de setembro de 2007, durante o 13° Santa Maria em Dança*, os cursos de Tango, Malambo e Folclore Argentino, ministrados por três casais argentinos: Pablo Daniel Ruiz e Luciana Canale, Federico Ibànez e Nuria Lazo, Nazareno Calfulef e Gisela Muñoz.

O Festival ocorre no complexo poliesportivo do Clube Recreativo Dores e oferecerá cursos como: Clássico, Jazz, Dança de Rua, Música e Dança: Diálogos, Contemporânea, Dançando Através do Lúdico, Música, Dança e Tecnologia, Iluminação e Danças Dramáticas da Ponta da Língua à Sola dos Pés.

(*) A história dos troféus do Santa Maria em Dança: os troféus do Festival são sempre baseados em fotos das apresentações das edições anteriores. A foto escolhida resulta em um quadro pintado por Marília Chartune, que por sua vez é esculpido pelo artista plástico Paulo Cristo. O troféu do 13° Santa Maria em Dança já pode ser visto no Stúdio Thaís Müller. A escultura é inspirada na coreografia “Relações”, interpretada pelos bailarinos Nicolas Xavier e Nathalia Flores do Balé dos estudantes IV da cidade de Santa Maria.

Fotos: Núcleo de Fotografia e Memória (Vinícius Freitas)