Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Interesses que compõem idéias

 Uma bola e um campo de areia na vizinhança. Foi o necessário para despertar interesse pelo futebol em um menino. Foi assim, no areião no bairro Perpétuo Socorro que Gilson Piber, 40 anos, começou a se interessar por jornalismo esportivo. Jornalista há 18 anos, já teve experiências em rádios locais, jornais impressos e agências de notícias. Hoje é professor universitário da Unifra e integra a equipe da Coordenadoria de Comunicação Social na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Em 1998, devido a uma pesquisa de monografia de Especialização na pós-graduação do CEFD/UFSM, pôde reunir diversos materiais sobre o futebol de salão, o popular futsal. Resultaria em um livro, dez anos depois.

Através de uma parceria com o professor doutor aposentado do curso de Educação Física da UFSM, Sérgio Carvalho, surgiu a obra O Futsal em Santa Maria-fragmentos históricos. Carvalho foi seu orientador na monografia e tornaram-se amigos nessa trajetória. Piber argumenta que o volume não é um livro histórico de todos os fatos que aconteceram desse esporte na cidade: “São alguns acontecimentos que julgo importantes do ano de 1956 a 1970, totalizando os 15 primeiros anos da prática do futsal no município”. A invenção traz uma homenagem a cinco personagens destaque desse desporto para o autor: Ivinho da Silva, José Edson Link, Lauro Trevisan e Luiz Carlos Druzian. Carlinhos Lopes um dos destaques no livro, foi responsável pela introdução da modalidade no município e é considerado por Piber um momento ênfase na obra.

 

O jornalista enfatiza as dificuldades que o futsal enfrenta na atualidade em Santa Maria pela falta de apoio: “O grande problema está na questão do patrocínio. Uma equipe competitiva, com estrutura e condições de representar bem a cidade nas competições estaduais precisa dispor de recursos financeiros”.

Piber lançou, também, uma obra denominada Linhas do coração, que se distingue da anterior. Apesar de sua trajetória ter sido centrada no esporte, ele não deixou sua atenção se desviar dos acontecimentos do mundo. Com isso, fez um livro contendo 50 artigos de sua autoria, retirados da página 4 do jornal Diário de Santa Maria e do site do jornalista Claudemir Pereira, no qual é articulista.

Aborda temas variados do cotidiano da cidade, como política, trânsito, economia e até morte. Piber destaca um artigo em especial, chamado A cegueira que preocupa, que aborda um comentário crítico sobre o passe livre em Santa Maria. Ele explica que o título do livro faz alusão às linhas de um texto ou às linhas de um trem que traziam as pessoas de todos os cantos do Estado para o coração do Rio Grande. É, também, uma homenagem aos 150 anos da cidade.

O livro teve colaboração das professoras da Unifra Laura Fabrício e Sione Gomes e de Paulo Ricardo Silva, Cyrana Matzenbacher, Rodrigo Simões, Gilberto Rezer e Pedro Negri. A obra teve produção independente.

Ambos os livros do jornalista foram lançados na Feira do Livro de Santa  Maria desse ano e estão tendo boa aceitação: “São obras bem diferentes para atrair gostos distintos. Estão recebendo bem os livros. Tudo que é feito com coração tem boa receptividade”, opina Piber.
        

Gilson Piber também participa do programa Sala de Debate da rádio Antena 1 –  93,5 FM.

Fotos: Andréia Silva

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 Uma bola e um campo de areia na vizinhança. Foi o necessário para despertar interesse pelo futebol em um menino. Foi assim, no areião no bairro Perpétuo Socorro que Gilson Piber, 40 anos, começou a se interessar por jornalismo esportivo. Jornalista há 18 anos, já teve experiências em rádios locais, jornais impressos e agências de notícias. Hoje é professor universitário da Unifra e integra a equipe da Coordenadoria de Comunicação Social na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Em 1998, devido a uma pesquisa de monografia de Especialização na pós-graduação do CEFD/UFSM, pôde reunir diversos materiais sobre o futebol de salão, o popular futsal. Resultaria em um livro, dez anos depois.

Através de uma parceria com o professor doutor aposentado do curso de Educação Física da UFSM, Sérgio Carvalho, surgiu a obra O Futsal em Santa Maria-fragmentos históricos. Carvalho foi seu orientador na monografia e tornaram-se amigos nessa trajetória. Piber argumenta que o volume não é um livro histórico de todos os fatos que aconteceram desse esporte na cidade: “São alguns acontecimentos que julgo importantes do ano de 1956 a 1970, totalizando os 15 primeiros anos da prática do futsal no município”. A invenção traz uma homenagem a cinco personagens destaque desse desporto para o autor: Ivinho da Silva, José Edson Link, Lauro Trevisan e Luiz Carlos Druzian. Carlinhos Lopes um dos destaques no livro, foi responsável pela introdução da modalidade no município e é considerado por Piber um momento ênfase na obra.

 

O jornalista enfatiza as dificuldades que o futsal enfrenta na atualidade em Santa Maria pela falta de apoio: “O grande problema está na questão do patrocínio. Uma equipe competitiva, com estrutura e condições de representar bem a cidade nas competições estaduais precisa dispor de recursos financeiros”.

Piber lançou, também, uma obra denominada Linhas do coração, que se distingue da anterior. Apesar de sua trajetória ter sido centrada no esporte, ele não deixou sua atenção se desviar dos acontecimentos do mundo. Com isso, fez um livro contendo 50 artigos de sua autoria, retirados da página 4 do jornal Diário de Santa Maria e do site do jornalista Claudemir Pereira, no qual é articulista.

Aborda temas variados do cotidiano da cidade, como política, trânsito, economia e até morte. Piber destaca um artigo em especial, chamado A cegueira que preocupa, que aborda um comentário crítico sobre o passe livre em Santa Maria. Ele explica que o título do livro faz alusão às linhas de um texto ou às linhas de um trem que traziam as pessoas de todos os cantos do Estado para o coração do Rio Grande. É, também, uma homenagem aos 150 anos da cidade.

O livro teve colaboração das professoras da Unifra Laura Fabrício e Sione Gomes e de Paulo Ricardo Silva, Cyrana Matzenbacher, Rodrigo Simões, Gilberto Rezer e Pedro Negri. A obra teve produção independente.

Ambos os livros do jornalista foram lançados na Feira do Livro de Santa  Maria desse ano e estão tendo boa aceitação: “São obras bem diferentes para atrair gostos distintos. Estão recebendo bem os livros. Tudo que é feito com coração tem boa receptividade”, opina Piber.
        

Gilson Piber também participa do programa Sala de Debate da rádio Antena 1 –  93,5 FM.

Fotos: Andréia Silva