Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Oficina de Voz encerra neste sábado

 Voz, o meio mais eficiente utilizado pelo homem para se comunicar. Pensando nisso, a Unifra disponibilizou, para seus alunos do curso de Comunicação Social, a oportunidade de conhecerem e treinarem suas vozes.  A oficina com a fonoaudióloga Deise Guex começou na terça, dia 9 e encerra neste sábado, dia 13.

Sempre em tom informal, as aulas ensinaram os alunos a identificar as qualidades e deficiências vocais uns nos outros. Problemas na respiração, postura e dicção eram analisados e diagnosticados e, depois, os estudantes eram orientados como corrigir suas falhas.

 

 Acostumada a trabalhar na área da terapia ocupacional, Deise ficou satisfeita com a oportunidade. A fonoaudióloga conta que a maioria das pessoas está distante de um contato mais próximo com a própria voz. E a oficina torna-se uma oportunidade de qualificar os alunos e ensiná-los a usar a voz como uma ferramenta. “Atingimos boa parte do objetivo pretendido, trabalhar com público jovem e criativo foi bem interessante e produtivo”, concluiu Deise.  

  
Na última aula, os alunos vão assistir às gravações audiovisuais para se avaliarem e corrigirem a linguagem oral e corporal de cada um. Potira Souto, uma das 20 inscritas na oficina de voz, gostou da idéia e se sentiu muito satisfeita com os resultados. “O mais legal é aprender a se auto-analisar, assim fica fácil para buscarmos os tratamentos necessários”, opinou a acadêmica.

Aqui vão algumas dicas para cuidar bem da voz:

– Procure não conversar enquanto está malhando, pois acaba forçando demais as pregas vocais.

– Boca e garganta precisam de água para funcionarem corretamente: beber bastante líquido para aumentar a produção de saliva.  

– O ar condicionado diminui a umidade do ar, ressecando a garganta. Cuidado com ele.

– Preste bastante atenção na sua postura, respiração e articulação ao falar.

– O álcool e, principalmente, cigarros, são inimigos da voz.

 

Fotos: Daniele Badia  (Laboratório de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 Voz, o meio mais eficiente utilizado pelo homem para se comunicar. Pensando nisso, a Unifra disponibilizou, para seus alunos do curso de Comunicação Social, a oportunidade de conhecerem e treinarem suas vozes.  A oficina com a fonoaudióloga Deise Guex começou na terça, dia 9 e encerra neste sábado, dia 13.

Sempre em tom informal, as aulas ensinaram os alunos a identificar as qualidades e deficiências vocais uns nos outros. Problemas na respiração, postura e dicção eram analisados e diagnosticados e, depois, os estudantes eram orientados como corrigir suas falhas.

 

 Acostumada a trabalhar na área da terapia ocupacional, Deise ficou satisfeita com a oportunidade. A fonoaudióloga conta que a maioria das pessoas está distante de um contato mais próximo com a própria voz. E a oficina torna-se uma oportunidade de qualificar os alunos e ensiná-los a usar a voz como uma ferramenta. “Atingimos boa parte do objetivo pretendido, trabalhar com público jovem e criativo foi bem interessante e produtivo”, concluiu Deise.  

  
Na última aula, os alunos vão assistir às gravações audiovisuais para se avaliarem e corrigirem a linguagem oral e corporal de cada um. Potira Souto, uma das 20 inscritas na oficina de voz, gostou da idéia e se sentiu muito satisfeita com os resultados. “O mais legal é aprender a se auto-analisar, assim fica fácil para buscarmos os tratamentos necessários”, opinou a acadêmica.

Aqui vão algumas dicas para cuidar bem da voz:

– Procure não conversar enquanto está malhando, pois acaba forçando demais as pregas vocais.

– Boca e garganta precisam de água para funcionarem corretamente: beber bastante líquido para aumentar a produção de saliva.  

– O ar condicionado diminui a umidade do ar, ressecando a garganta. Cuidado com ele.

– Preste bastante atenção na sua postura, respiração e articulação ao falar.

– O álcool e, principalmente, cigarros, são inimigos da voz.

 

Fotos: Daniele Badia  (Laboratório de Fotografia e Memória)