Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Onde tudo se inicia…

“O alicerce de nossa obra é a juventude”, “Muitos me chamam de louco, mas dou a vida por aquilo que acredito”. Essas são duas de muitas frases conhecidas do jovem revolucionário Che Guevara, um ícone na política de todos os tempos. Esse que até hoje é ovacionado pelos jovens. Aliás, quando falamos em juventude, lembramos de duas importantes características: uma fase de passagem no ciclo da vida e uma predisposição natural para a rebeldia, como se fossem portadores de uma essência revolucionária. Como 2008 é um ano eleitoral em Santa Maria, a Agência Central Sul está fazendo uma série de reportagens especiais sobre os Jovens e a Política, um elo forte que conheceremos através dessas matérias.

O ponto inicial para o começo da trajetória política começa dentro do próprio colégio. Os jovens começam a se interessar pelo tema a partir da vontade de melhorar ou mudar algo dentro do ambiente estudantil, sendo que é no colégio que começam a se formar os espíritos de liderança. E é a partir de tudo isso que existem os Grêmios Estudantis. O que foi observado durante essa matéria é que a cidade e suas escolas, tanto particulares como públicas, estão carentes desses movimentos. Muitas extinguiram seus grêmios.

Mas a estudante e presidente do Grêmio Estudantil Rui Barbosa (GERB), do Colégio Sant’Anna, Elis Dalforno de Freitas, 14 anos, acha que os colégios que não possuem esse movimento político estão perdendo a ligação entre alunos e direção. Elis começou a se interessar em 2007 pelo assunto, em um encontro de líderes: “Eu queria mudanças no colégio, isso me motivou” explica. Ela conta que 15 pessoas estão envolvidas diretamente com a iniciativa e que através de uma reunião mensal com a escola decidem propostas, discutem idéias e atualidades e que, a partir disso, colocam os programas. Elis ressalta que é preciso uma parceria com a direção para chegar ao objetivo dos alunos. A estudante garante que teve que aprender pequenas atitudes políticas como lidar com um caixa de dinheiro zerado, mas que a experiência está servindo para o seu crescimento pessoal e intelectual: “Estou aprendendo como lidar com a sociedade”.

A também estudante e presidenta do Grêmio Estudantil do Colégio Santa Maria (GESMA), Jéssica Degrandi Soares, 16 anos, já participa há três anos das ações no colégio, mas é desde o ano passado que se tornou presidenta. Ela conta que a idéia surgiu a partir da vontade de realizar os desejos dos alunos na escola, mas também por um gosto pessoal pela política: “Queremos entrosar os alunos, por isso realizamos almoços, gincanas, interséries e criamos a videoteca, um espaço com filmes do PEIES  e vestibular”. O GESMA tem 10 pessoas envolvidas diretamente como o presidente, vice e tesoureiro, mais quatro apoios. Jéssica explica que só participa do grêmio quem for interessado e responsável, visto que exige dedicação intensa. Além disso, apenas alunos da 8° série para cima podem se incluir no grupo. Uma recente inovação realizada pelo GESMA é a criação de um jornal na escola, o Jornal Impresso é uma iniciativa com objetivo de unir os estudantes.

O sociólogo e também professor Luther Vargas Jacques considera a escola como espaço fundamental de transmissão e circulação dos saberes e acha extremamente importante o papel dos grêmios na formação da consciência e prática política. Jacques entende que é preciso dissociar o conceito de política, que é somente praticada no âmbito eleitoral e partidário: “No espaço dos grêmios estudantis é possível transitar e interagir, desde que, democraticamente, todas as esferas da política”. Para ele o afastamento dos jovens ou a diminuição de seu interesse pela política passa pelo descrédito nas instituições partidárias.

 

Comunidade no site de relacionamentos Orkut, do Grêmio Estudantil do Colégio Sant’Anna:

http://www.orkut.com.br/Profile.aspx?uid=10448676946906849647

 

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

“O alicerce de nossa obra é a juventude”, “Muitos me chamam de louco, mas dou a vida por aquilo que acredito”. Essas são duas de muitas frases conhecidas do jovem revolucionário Che Guevara, um ícone na política de todos os tempos. Esse que até hoje é ovacionado pelos jovens. Aliás, quando falamos em juventude, lembramos de duas importantes características: uma fase de passagem no ciclo da vida e uma predisposição natural para a rebeldia, como se fossem portadores de uma essência revolucionária. Como 2008 é um ano eleitoral em Santa Maria, a Agência Central Sul está fazendo uma série de reportagens especiais sobre os Jovens e a Política, um elo forte que conheceremos através dessas matérias.

O ponto inicial para o começo da trajetória política começa dentro do próprio colégio. Os jovens começam a se interessar pelo tema a partir da vontade de melhorar ou mudar algo dentro do ambiente estudantil, sendo que é no colégio que começam a se formar os espíritos de liderança. E é a partir de tudo isso que existem os Grêmios Estudantis. O que foi observado durante essa matéria é que a cidade e suas escolas, tanto particulares como públicas, estão carentes desses movimentos. Muitas extinguiram seus grêmios.

Mas a estudante e presidente do Grêmio Estudantil Rui Barbosa (GERB), do Colégio Sant’Anna, Elis Dalforno de Freitas, 14 anos, acha que os colégios que não possuem esse movimento político estão perdendo a ligação entre alunos e direção. Elis começou a se interessar em 2007 pelo assunto, em um encontro de líderes: “Eu queria mudanças no colégio, isso me motivou” explica. Ela conta que 15 pessoas estão envolvidas diretamente com a iniciativa e que através de uma reunião mensal com a escola decidem propostas, discutem idéias e atualidades e que, a partir disso, colocam os programas. Elis ressalta que é preciso uma parceria com a direção para chegar ao objetivo dos alunos. A estudante garante que teve que aprender pequenas atitudes políticas como lidar com um caixa de dinheiro zerado, mas que a experiência está servindo para o seu crescimento pessoal e intelectual: “Estou aprendendo como lidar com a sociedade”.

A também estudante e presidenta do Grêmio Estudantil do Colégio Santa Maria (GESMA), Jéssica Degrandi Soares, 16 anos, já participa há três anos das ações no colégio, mas é desde o ano passado que se tornou presidenta. Ela conta que a idéia surgiu a partir da vontade de realizar os desejos dos alunos na escola, mas também por um gosto pessoal pela política: “Queremos entrosar os alunos, por isso realizamos almoços, gincanas, interséries e criamos a videoteca, um espaço com filmes do PEIES  e vestibular”. O GESMA tem 10 pessoas envolvidas diretamente como o presidente, vice e tesoureiro, mais quatro apoios. Jéssica explica que só participa do grêmio quem for interessado e responsável, visto que exige dedicação intensa. Além disso, apenas alunos da 8° série para cima podem se incluir no grupo. Uma recente inovação realizada pelo GESMA é a criação de um jornal na escola, o Jornal Impresso é uma iniciativa com objetivo de unir os estudantes.

O sociólogo e também professor Luther Vargas Jacques considera a escola como espaço fundamental de transmissão e circulação dos saberes e acha extremamente importante o papel dos grêmios na formação da consciência e prática política. Jacques entende que é preciso dissociar o conceito de política, que é somente praticada no âmbito eleitoral e partidário: “No espaço dos grêmios estudantis é possível transitar e interagir, desde que, democraticamente, todas as esferas da política”. Para ele o afastamento dos jovens ou a diminuição de seu interesse pela política passa pelo descrédito nas instituições partidárias.

 

Comunidade no site de relacionamentos Orkut, do Grêmio Estudantil do Colégio Sant’Anna:

http://www.orkut.com.br/Profile.aspx?uid=10448676946906849647