Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Cultura para todos os gostos

Andar por ruas históricas do Rio de Janeiro. Ouvir muitos idiomas em meio à multidão. Esbarrar em famosos a cada cinco minutos. Embalar-se a ritmos de várias partes do país. Respirar cultura. A 7ª Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP) proporciona a você todas estas sensações e muito mais.
A abertura, dia 1º de julho, contou com uma conferência de Davi Arrigucci Jr., um dos mais renomados críticos do país, e um vibrante show de Adriana Calcanhoto. A cantora contagiou o público com músicas próprias ou em versos musicados de autores como Manoel Bandeira – homenageado desta edição da FLIP.

O segundo dia contou com palestras das mais variadas artes. Uma novidade para o evento foi abrir espaço para cartunistas. Rafael Coutinho, Fábio Moon, Gabriel Bá e Rafael Grampá conversaram com o mediador Joca Reiners Terron e público sobre a beleza de desenhar e como a poesia está por trás dos quadrinhos. Declararam também que HQ’s não  são só para gringos, e apontam Maurício de Souza como um quadrinista de sucesso no país e no exterior.

A FLIP aproveita o ano da França no Brasil com a presença de dois palestrantes franceses. David Foenkinos é um autor parisiense, descrito pelo Le Monde como “cômico depressivo”, pois prefere usar o humor para discutir temas sérios. Já o escritor Ollivier Pourriol propõe aos leitores um convite singular: aprender filosofia a partir de filmes pop. Todas as mesas com autores estrangeiros têm tecnologia de tradução simultânea, para facilitar a participação dos interessados.

Nem a chuva fina que atingiu Paraty (RJ) desanima público, autores e comissão organizadora. Ao chegar no Centro Histórico as pessoas são recepcionadas por um grupo de Maracatu, que circula pelas instalações da FLIP, levando animação para crianças, adultos, estrangeiros, famosos, palestrantes ou brasileiros.

 


LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Andar por ruas históricas do Rio de Janeiro. Ouvir muitos idiomas em meio à multidão. Esbarrar em famosos a cada cinco minutos. Embalar-se a ritmos de várias partes do país. Respirar cultura. A 7ª Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP) proporciona a você todas estas sensações e muito mais.
A abertura, dia 1º de julho, contou com uma conferência de Davi Arrigucci Jr., um dos mais renomados críticos do país, e um vibrante show de Adriana Calcanhoto. A cantora contagiou o público com músicas próprias ou em versos musicados de autores como Manoel Bandeira – homenageado desta edição da FLIP.

O segundo dia contou com palestras das mais variadas artes. Uma novidade para o evento foi abrir espaço para cartunistas. Rafael Coutinho, Fábio Moon, Gabriel Bá e Rafael Grampá conversaram com o mediador Joca Reiners Terron e público sobre a beleza de desenhar e como a poesia está por trás dos quadrinhos. Declararam também que HQ’s não  são só para gringos, e apontam Maurício de Souza como um quadrinista de sucesso no país e no exterior.

A FLIP aproveita o ano da França no Brasil com a presença de dois palestrantes franceses. David Foenkinos é um autor parisiense, descrito pelo Le Monde como “cômico depressivo”, pois prefere usar o humor para discutir temas sérios. Já o escritor Ollivier Pourriol propõe aos leitores um convite singular: aprender filosofia a partir de filmes pop. Todas as mesas com autores estrangeiros têm tecnologia de tradução simultânea, para facilitar a participação dos interessados.

Nem a chuva fina que atingiu Paraty (RJ) desanima público, autores e comissão organizadora. Ao chegar no Centro Histórico as pessoas são recepcionadas por um grupo de Maracatu, que circula pelas instalações da FLIP, levando animação para crianças, adultos, estrangeiros, famosos, palestrantes ou brasileiros.