Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

João Derly conhece projeto social em Santa Maria

 

Atleta olímpico, bicampeão mundial e medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro (2007), o judoca gaúcho João Derly esteve em Santa Maria, neste sábado, 4 de abril, para conhecer o projeto Judoca Cidadão, desenvolvido pelo Avenida Tênis Clube.

 

 

 Empolgados com a chance de conhecer o ídolo, os jovens judocas do ATC chegaram cedo. Às 9h30min, João chegou para a coletiva de imprensa. Entre outros assuntos, João Derly falou sobre sua participação nas Olimpíadas de Pequim e contou um pouco do início de sua carreira: “A derrota em Pequim veio com um gosto amargo. Perder, após conseguir derrotar adversários muito fortes e ter chegado tão longe, foi bem doloroso. Quero experimentar o sabor de uma medalha olímpica. Vamos trabalhar para buscá-la em 2012. Quanto ao início de minha carreira, tudo começou por uma questão de saúde. Eu era uma criança hiperativa e que tinha problemas respiratórios. Os médicos, então, sugeriram a prática de esportes.  Fiquei na dúvida entre a natação e o judô, mas como eu era um menino que gostava bastante de ‘lutinhas’, acabei optando pelo judô”.

 

 Quando questionado pelos jornalistas sobre a situação dos atletas do interior do estado que precisam ir para a capital ou até mesmo outros estados em busca de incentivo e patrocinadores, João disse lamentar a triste realidade. “É difícil para um atleta do interior conseguir patrocínio na sua cidade. Lamento que eles necessitem deixar sua terra natal e tenham que ir até para outros estados afim de receberem a atenção e o reconhecimento que merecem”, comentou.

 

Logo após a coletiva, João, a imprensa e demais presentes, assistiram a um vídeo sobre o projeto social Judoca Cidadão. Ao término, o atleta falou da importância de projetos desse tipo que, segundo ele, “dão um norte para a criançada”. Ele explicou ainda que o principal objetivo do projeto deve ser formar cidadãos. Com isso, “ganharemos não apenas campeões do esporte, mas também campeões da vida”, acrescentou.

 

 Cumprida a programação oficial, foi a vez da meninada e dos pais tirarem fotos e pegarem um autógrafo com o campeão mundial.  O judoca Mateus Brasil Mello, 13, pratica judô há 4 anos, participou do Campeonato Brasileiro da sua categoria e foi um dos primeiros a chegar para ver João. “Comecei por um incentivo de um colega que me trouxe para o judô. Acabei gostando e, desde então, nunca parei de treinar. No início foi difícil, mas com dedicação consegui obter vitórias, ganhar competições, o que estimulou ainda mais os treinamentos.  O João Derly é um ídolo em quem procuro me espelhar. Vejo ele vencendo competições importantes e isso me incentiva muito. O sonho de todo atleta que está começando é participar de uma Olimpíada ou de um Pan-Americano, que nem o João. Todo mundo quer ir. Acredito que é só se empenhar, treinar, que um dia se chega lá. Acredito que eu possa conseguir!”, exclamou.

 

 Em entrevista exclusiva para a Agência Central Sul de Notícias, João Derly falou sobre a vitória e a derrota no tatame, dirigindo-se a quem está começando: “Temos que absorver as coisas da melhor maneira possível. Então, quando você entra numa competição e dá aquele ‘friozinho na barriga’, deve pensar que não é vida ou morte. Às vezes a gente acaba se sufocando naquela angústia, naquela apreensão de uma possível vitória ou derrota, e acaba se prejudicando. A dica é manter a tranquilidade e fazer o seu melhor. Temos que entender que alguém tem que sair vencedor. Se não for você, dedique-se ao treinamento e lute para que seja na próxima”.

 

Decacampeão estadual (90/91/92/93/94/95/96/97/98/99/2001), o atleta da SOGIPA deu dicas para quem está vencendo e quer manter o rendimento: “Quando a gente vence muitas vezes temos que ter o cuidado de saber perder. E, quando perde, tem que captar as coisas boas e assimilar as derrotas para que possa melhorar. Essa é a grande dificuldade. Se chegar é difícil, manter-se é mais ainda.Você já tem que ir para o treinamento focado. É esse foco que vai te ajudar nas competições e, consequentemente, manter o teu trabalho”.

 

A visita de João Derly, acompanhado da diretoria da Federação Gaúcha de Judô, Carlos Eurico da Luz Pereira (presidente) e Juarez Weinmann (vice-presidente), coincidiu com a Copa Cidade de Santa Maria de Judô (Seletiva Estadual Final para o Campeonato Brasileiro Regional). A competição, que reuniu 500 judocas de todo o estado, começou às 11 horas, no Centro Desportivo Municipal. Confira os resultados da copa no site da Federação Gaúcha de Judô

 

Fotos: Ariéli Ziegler (Laboratório de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

 

Atleta olímpico, bicampeão mundial e medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro (2007), o judoca gaúcho João Derly esteve em Santa Maria, neste sábado, 4 de abril, para conhecer o projeto Judoca Cidadão, desenvolvido pelo Avenida Tênis Clube.

 

 

 Empolgados com a chance de conhecer o ídolo, os jovens judocas do ATC chegaram cedo. Às 9h30min, João chegou para a coletiva de imprensa. Entre outros assuntos, João Derly falou sobre sua participação nas Olimpíadas de Pequim e contou um pouco do início de sua carreira: “A derrota em Pequim veio com um gosto amargo. Perder, após conseguir derrotar adversários muito fortes e ter chegado tão longe, foi bem doloroso. Quero experimentar o sabor de uma medalha olímpica. Vamos trabalhar para buscá-la em 2012. Quanto ao início de minha carreira, tudo começou por uma questão de saúde. Eu era uma criança hiperativa e que tinha problemas respiratórios. Os médicos, então, sugeriram a prática de esportes.  Fiquei na dúvida entre a natação e o judô, mas como eu era um menino que gostava bastante de ‘lutinhas’, acabei optando pelo judô”.

 

 Quando questionado pelos jornalistas sobre a situação dos atletas do interior do estado que precisam ir para a capital ou até mesmo outros estados em busca de incentivo e patrocinadores, João disse lamentar a triste realidade. “É difícil para um atleta do interior conseguir patrocínio na sua cidade. Lamento que eles necessitem deixar sua terra natal e tenham que ir até para outros estados afim de receberem a atenção e o reconhecimento que merecem”, comentou.

 

Logo após a coletiva, João, a imprensa e demais presentes, assistiram a um vídeo sobre o projeto social Judoca Cidadão. Ao término, o atleta falou da importância de projetos desse tipo que, segundo ele, “dão um norte para a criançada”. Ele explicou ainda que o principal objetivo do projeto deve ser formar cidadãos. Com isso, “ganharemos não apenas campeões do esporte, mas também campeões da vida”, acrescentou.

 

 Cumprida a programação oficial, foi a vez da meninada e dos pais tirarem fotos e pegarem um autógrafo com o campeão mundial.  O judoca Mateus Brasil Mello, 13, pratica judô há 4 anos, participou do Campeonato Brasileiro da sua categoria e foi um dos primeiros a chegar para ver João. “Comecei por um incentivo de um colega que me trouxe para o judô. Acabei gostando e, desde então, nunca parei de treinar. No início foi difícil, mas com dedicação consegui obter vitórias, ganhar competições, o que estimulou ainda mais os treinamentos.  O João Derly é um ídolo em quem procuro me espelhar. Vejo ele vencendo competições importantes e isso me incentiva muito. O sonho de todo atleta que está começando é participar de uma Olimpíada ou de um Pan-Americano, que nem o João. Todo mundo quer ir. Acredito que é só se empenhar, treinar, que um dia se chega lá. Acredito que eu possa conseguir!”, exclamou.

 

 Em entrevista exclusiva para a Agência Central Sul de Notícias, João Derly falou sobre a vitória e a derrota no tatame, dirigindo-se a quem está começando: “Temos que absorver as coisas da melhor maneira possível. Então, quando você entra numa competição e dá aquele ‘friozinho na barriga’, deve pensar que não é vida ou morte. Às vezes a gente acaba se sufocando naquela angústia, naquela apreensão de uma possível vitória ou derrota, e acaba se prejudicando. A dica é manter a tranquilidade e fazer o seu melhor. Temos que entender que alguém tem que sair vencedor. Se não for você, dedique-se ao treinamento e lute para que seja na próxima”.

 

Decacampeão estadual (90/91/92/93/94/95/96/97/98/99/2001), o atleta da SOGIPA deu dicas para quem está vencendo e quer manter o rendimento: “Quando a gente vence muitas vezes temos que ter o cuidado de saber perder. E, quando perde, tem que captar as coisas boas e assimilar as derrotas para que possa melhorar. Essa é a grande dificuldade. Se chegar é difícil, manter-se é mais ainda.Você já tem que ir para o treinamento focado. É esse foco que vai te ajudar nas competições e, consequentemente, manter o teu trabalho”.

 

A visita de João Derly, acompanhado da diretoria da Federação Gaúcha de Judô, Carlos Eurico da Luz Pereira (presidente) e Juarez Weinmann (vice-presidente), coincidiu com a Copa Cidade de Santa Maria de Judô (Seletiva Estadual Final para o Campeonato Brasileiro Regional). A competição, que reuniu 500 judocas de todo o estado, começou às 11 horas, no Centro Desportivo Municipal. Confira os resultados da copa no site da Federação Gaúcha de Judô

 

Fotos: Ariéli Ziegler (Laboratório de Fotografia e Memória)