Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Reflexos da queda do dólar em Santa Maria

Ainda na atmosfera de uma recente crise econômica mundial, o dólar surpreende e baixa a R$ 1.739. O preço registra a mínima do ano, que  é a menor desde 8 de setembro de 2008, quando o dólar  valia R$ 1,735. No
feriadão, agências de viagem se beneficiaram e os freeshops de Rivera,
no Uruguai lotaram. A curiosidade é: como Santa Maria sentiu essa
queda do dólar e se haverá prejuízos futuros para a economia local.

O professor de Economia e coordenador da pesquisa do Índice do Custo de Vida em Santa Maria*, José Maria Pereira, explica: “Para Santa Maria é mais
positivo que negativo. É uma cidade de setor de serviços, classe média,
funcionalismo público, militares. Então a queda beneficiou, neste
feriadão agências de turismo por exemplo. Se analisarmos quem vai a
Rivera, tendo deslocamento, custo de trasporte  e estando o dólar a R$ 1.73, vai também estando a R$ 2,00".

 "O que
ocorre é um favorecimento das importações, chegando produtos mais
baratos nos supermercados e redes como Wal Mart, Carrefour, etc. A
cidade praticamente não tem indústria, não produz nada de valor
agregado, logo não é tão afetada”, diz Pereira.

O professor ainda explica o sobe e desce do dólar e como isso pode ser melhor entendido: “O dólar, na verdade, é como se
fosse uma mercadoria. Precisamos de “x” reais para comprarmos 1 dólar.
Acontece que quando precisamos de menos reais, o dólar fica mais
barato. Já no outro lado, no outro país, o real fica mais caro. Tudo é
oferta e demanda. Se está entrando muito dólar no país, o preço do
dólar cai. Isso num regime como o nosso, um regime de câmbio flutuante".

Está entrando muito dólar, basicamente porque as taxas de juro no
Brasil são mais altas que a média das taxas internacionais e também
porque a crise econômica não atingiu tão fortemente o Brasil, entende o pesquisador da Unifra. "Dentre os
países emergentes", explica, "o Brasil ficou numa espécie de “oásis”, de uma
oportunidade de investimento bastante atraente do ponto de vista
internacional. Além de tudo temos a questão de investimento na bolsa de valores, que tem aumentado significativamente."

 Por que o  poder do dólar é  tão referenciado e  rege a economia de tal forma? O prof. José Maria Pereira explica: “O poder do dólar está
relacionado com o poder político, econômico e militar dos Estados
Unidos (EUA). A moeda é a identidade de um país. Pelo fato de os EUA
ser um dos maiores países do mundo em termos econômicos, desde a
segunda guerra mundial o dólar passou a ser uma moeda de livre curso
internacional.”

*O Boletim do ICVSM pode ser acessado na íntegra pelo site www.unifra.br/ICVSM

 

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ainda na atmosfera de uma recente crise econômica mundial, o dólar surpreende e baixa a R$ 1.739. O preço registra a mínima do ano, que  é a menor desde 8 de setembro de 2008, quando o dólar  valia R$ 1,735. No
feriadão, agências de viagem se beneficiaram e os freeshops de Rivera,
no Uruguai lotaram. A curiosidade é: como Santa Maria sentiu essa
queda do dólar e se haverá prejuízos futuros para a economia local.

O professor de Economia e coordenador da pesquisa do Índice do Custo de Vida em Santa Maria*, José Maria Pereira, explica: “Para Santa Maria é mais
positivo que negativo. É uma cidade de setor de serviços, classe média,
funcionalismo público, militares. Então a queda beneficiou, neste
feriadão agências de turismo por exemplo. Se analisarmos quem vai a
Rivera, tendo deslocamento, custo de trasporte  e estando o dólar a R$ 1.73, vai também estando a R$ 2,00".

 "O que
ocorre é um favorecimento das importações, chegando produtos mais
baratos nos supermercados e redes como Wal Mart, Carrefour, etc. A
cidade praticamente não tem indústria, não produz nada de valor
agregado, logo não é tão afetada”, diz Pereira.

O professor ainda explica o sobe e desce do dólar e como isso pode ser melhor entendido: “O dólar, na verdade, é como se
fosse uma mercadoria. Precisamos de “x” reais para comprarmos 1 dólar.
Acontece que quando precisamos de menos reais, o dólar fica mais
barato. Já no outro lado, no outro país, o real fica mais caro. Tudo é
oferta e demanda. Se está entrando muito dólar no país, o preço do
dólar cai. Isso num regime como o nosso, um regime de câmbio flutuante".

Está entrando muito dólar, basicamente porque as taxas de juro no
Brasil são mais altas que a média das taxas internacionais e também
porque a crise econômica não atingiu tão fortemente o Brasil, entende o pesquisador da Unifra. "Dentre os
países emergentes", explica, "o Brasil ficou numa espécie de “oásis”, de uma
oportunidade de investimento bastante atraente do ponto de vista
internacional. Além de tudo temos a questão de investimento na bolsa de valores, que tem aumentado significativamente."

 Por que o  poder do dólar é  tão referenciado e  rege a economia de tal forma? O prof. José Maria Pereira explica: “O poder do dólar está
relacionado com o poder político, econômico e militar dos Estados
Unidos (EUA). A moeda é a identidade de um país. Pelo fato de os EUA
ser um dos maiores países do mundo em termos econômicos, desde a
segunda guerra mundial o dólar passou a ser uma moeda de livre curso
internacional.”

*O Boletim do ICVSM pode ser acessado na íntegra pelo site www.unifra.br/ICVSM