Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Vestibular 2009: é tempo de lucrar

 O vestibular de verão 2009 da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) começou na terça-feira, dia 13, e para algumas pessoas o momento já é de comemoração. Os quatro dias do concurso são motivo de festa para lojistas, empresários e para a rede hoteleira, que lucram com o movimento provocado pelos vestibulandos. Sozinhos ou acompanhados por familiares, os estudantes chegam de diversas regiões e causam agitação nas ruas, no comércio e nos restaurantes. Até para se hospedar ficou difícil, pois os jovens lotam os hotéis e as casas de hospedagem.

A corrida em busca de uma vaga na UFSM ganha destaque no calendário do comércio, o que faz desse um dos períodos mais significativos para o setor em Santa Maria. De acordo com a administradora de uma lanchonete, Márcia Wasem, para atender os novos clientes foi necessário estender até janeiro a organização e o atendimento utilizados no Natal de 2008. Márcia espera que nesse vestibular o consumo de sucos, doces e salgados, aumente 60%.

Mas a lancheria não é o único local preparado para enfrentar a ‘invasão de estudantes’. Essa semana os funcionários de um restaurante localizado no segundo andar de um shopping, não terão folga. O gerente do lugar, Odolir Dalmago, terá de pagar hora extra aos garçons e cozinheiros, que devem preparar 100kg de alimento a mais por dia: “A quantidade de pessoas aumenta e isso sempre reflete”, comenta.

 

Ir às compras

 Uma blusa, um tênis, uma camiseta ou uma calça. As lojas de roupas torcem para que os vestibulandos não deixem a cidade universitária sem levar na mala ao menos uma peça de vestuário. Os lugares voltados para a moda jovem investem nas promoções para chamar a atenção dos clientes. Na gerência de um desses estabelecimentos, Lizi Carneiro garante que a época é de movimento, o que gera um lucro de 10% a mais no faturamento.

 

Não há vagas

Quem deixou para procurar por hospedagem nas últimas semanas pode ter ficado sem vaga. Em alguns hotéis, as reservas estão esgotadas há meses. Na hospedagem gerenciada por Rosélia Aquino, desde outubro não existem mais quartos disponíveis para o vestibular de verão 2009. Na tarde dessa terça-feira, os 53 aposentos, que foram transformados em duplos ou triplos com a adição de mais camas, estavam ocupados, sendo a maioria por vestibulandos vindos de Pelotas.

 A ocupação de todas as acomodações de um hotel situado no Parque Itaimbé fez com que sua administração aumentasse o número de funcionários. Para que os futuros universitários realizassem a prova bem alimentados foi alterado o horário de trabalho na copa e no serviço de café da manhã, que está sendo servido às 5h. Também foram contratados seguranças, para os turnos da noite e da madrugada, e pessoas encarregadas da limpeza e arrumação.

 

De portas abertas

Já virou tradição. Todo ano as casas de família cadastradas pela Comissão Permanente do Vestibular (Coperves) abrem as portas para receber os vestibulandos. Com diárias que variam de R$ 25 a R$ 100, o serviço de alojamento é uma opção a mais para aqueles que procuram por estadia.

 Esse ano a residência da telefonista Jucineide Vaz dos Santos ficou pequena para tantos vestibulandos. A falta de quartos disponíveis para os oito visitantes fez com que até a sala de estar fosse transformada em dormitório. Jucineide colocou à disposição três vagas, mas acabou abrigando mais hóspedes que surgiram nos últimos dias. “Domingo a mãe de dois meninos ligou desesperada que não tinham conseguido lugar para o filho”, comenta.

O acampamento improvisado não incomoda os jovens e muito menos a anfitriã. Jucineide está acostumada com as visitas, pois há mais de quatro anos recebe estudantes para o vestibular da UFSM. A ocasião é uma oportunidade para fazer amigos e também garante uma renda extra no mês em que está de férias. 

Apelidada de CDV (Casa do Vestibulando), a moradia abriga apenas uma adolescente acompanhada da mãe. Conforme Jucineide, sempre tem um hóspede que vem acompanhado de um dos pais. Rodeada pelos colegas, Nathana Marina Diska, 17 anos, comenta fazer o primeiro vestibular no Estado. A jovem que veio de Friburgo, Santa Catarina, tenta uma vaga para Direito Noturno e aproveitou a tarde do primeiro dia de provas para revisar algumas disciplinas com os rapazes.

O líder e um dos estudantes mais velhos da casa, Daniel Gonçalves da Silva, 23 anos, ainda não se despediu de uma universidade e deseja entrar em outra. Ele, que em maio se forma em Tecnologia em Agropecuária: Sistema de Produção, pela Universidade do Estado do Rio Grande do Sul (UERGS), entrou no concurso em busca de uma colocação no curso de Agronomia.

Daniel chegou sozinho na cidade, mas não veio de muito longe. Natural de Cachoeira do Sul, acredita ter faltado um pouco de estudo para a execução dos testes. “Comecei a estudar tarde para esse vestibular, pois minhas aulas acabaram na semana passada. Algumas coisinhas faltaram”, profere.

O Vestibular 2009 da Universidade Federal de Santa Maria termina na próxima sexta-feira, dia 16, e oferece 2.327 vagas, distribuídas entre os 66 cursos de graduação.

 

Fotos: Carolina Moro (Laboratório de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

 O vestibular de verão 2009 da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) começou na terça-feira, dia 13, e para algumas pessoas o momento já é de comemoração. Os quatro dias do concurso são motivo de festa para lojistas, empresários e para a rede hoteleira, que lucram com o movimento provocado pelos vestibulandos. Sozinhos ou acompanhados por familiares, os estudantes chegam de diversas regiões e causam agitação nas ruas, no comércio e nos restaurantes. Até para se hospedar ficou difícil, pois os jovens lotam os hotéis e as casas de hospedagem.

A corrida em busca de uma vaga na UFSM ganha destaque no calendário do comércio, o que faz desse um dos períodos mais significativos para o setor em Santa Maria. De acordo com a administradora de uma lanchonete, Márcia Wasem, para atender os novos clientes foi necessário estender até janeiro a organização e o atendimento utilizados no Natal de 2008. Márcia espera que nesse vestibular o consumo de sucos, doces e salgados, aumente 60%.

Mas a lancheria não é o único local preparado para enfrentar a ‘invasão de estudantes’. Essa semana os funcionários de um restaurante localizado no segundo andar de um shopping, não terão folga. O gerente do lugar, Odolir Dalmago, terá de pagar hora extra aos garçons e cozinheiros, que devem preparar 100kg de alimento a mais por dia: “A quantidade de pessoas aumenta e isso sempre reflete”, comenta.

 

Ir às compras

 Uma blusa, um tênis, uma camiseta ou uma calça. As lojas de roupas torcem para que os vestibulandos não deixem a cidade universitária sem levar na mala ao menos uma peça de vestuário. Os lugares voltados para a moda jovem investem nas promoções para chamar a atenção dos clientes. Na gerência de um desses estabelecimentos, Lizi Carneiro garante que a época é de movimento, o que gera um lucro de 10% a mais no faturamento.

 

Não há vagas

Quem deixou para procurar por hospedagem nas últimas semanas pode ter ficado sem vaga. Em alguns hotéis, as reservas estão esgotadas há meses. Na hospedagem gerenciada por Rosélia Aquino, desde outubro não existem mais quartos disponíveis para o vestibular de verão 2009. Na tarde dessa terça-feira, os 53 aposentos, que foram transformados em duplos ou triplos com a adição de mais camas, estavam ocupados, sendo a maioria por vestibulandos vindos de Pelotas.

 A ocupação de todas as acomodações de um hotel situado no Parque Itaimbé fez com que sua administração aumentasse o número de funcionários. Para que os futuros universitários realizassem a prova bem alimentados foi alterado o horário de trabalho na copa e no serviço de café da manhã, que está sendo servido às 5h. Também foram contratados seguranças, para os turnos da noite e da madrugada, e pessoas encarregadas da limpeza e arrumação.

 

De portas abertas

Já virou tradição. Todo ano as casas de família cadastradas pela Comissão Permanente do Vestibular (Coperves) abrem as portas para receber os vestibulandos. Com diárias que variam de R$ 25 a R$ 100, o serviço de alojamento é uma opção a mais para aqueles que procuram por estadia.

 Esse ano a residência da telefonista Jucineide Vaz dos Santos ficou pequena para tantos vestibulandos. A falta de quartos disponíveis para os oito visitantes fez com que até a sala de estar fosse transformada em dormitório. Jucineide colocou à disposição três vagas, mas acabou abrigando mais hóspedes que surgiram nos últimos dias. “Domingo a mãe de dois meninos ligou desesperada que não tinham conseguido lugar para o filho”, comenta.

O acampamento improvisado não incomoda os jovens e muito menos a anfitriã. Jucineide está acostumada com as visitas, pois há mais de quatro anos recebe estudantes para o vestibular da UFSM. A ocasião é uma oportunidade para fazer amigos e também garante uma renda extra no mês em que está de férias. 

Apelidada de CDV (Casa do Vestibulando), a moradia abriga apenas uma adolescente acompanhada da mãe. Conforme Jucineide, sempre tem um hóspede que vem acompanhado de um dos pais. Rodeada pelos colegas, Nathana Marina Diska, 17 anos, comenta fazer o primeiro vestibular no Estado. A jovem que veio de Friburgo, Santa Catarina, tenta uma vaga para Direito Noturno e aproveitou a tarde do primeiro dia de provas para revisar algumas disciplinas com os rapazes.

O líder e um dos estudantes mais velhos da casa, Daniel Gonçalves da Silva, 23 anos, ainda não se despediu de uma universidade e deseja entrar em outra. Ele, que em maio se forma em Tecnologia em Agropecuária: Sistema de Produção, pela Universidade do Estado do Rio Grande do Sul (UERGS), entrou no concurso em busca de uma colocação no curso de Agronomia.

Daniel chegou sozinho na cidade, mas não veio de muito longe. Natural de Cachoeira do Sul, acredita ter faltado um pouco de estudo para a execução dos testes. “Comecei a estudar tarde para esse vestibular, pois minhas aulas acabaram na semana passada. Algumas coisinhas faltaram”, profere.

O Vestibular 2009 da Universidade Federal de Santa Maria termina na próxima sexta-feira, dia 16, e oferece 2.327 vagas, distribuídas entre os 66 cursos de graduação.

 

Fotos: Carolina Moro (Laboratório de Fotografia e Memória)