Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

9ª edição do SMVC encerra com praça lotada

smvc_bruno_mello_3.jpgDepois de aparecer por toda a semana, a chuva resolveu dar uma trégua no
último dia do Santa Maria Vídeo e Cinema (SMVC). O festival realizou
neste ano a sua 9ª edição, marcada pela presença do grande público que
não hesitou em ir à praça Saldanha Marinho, mesmo com a falta de
colaboração do tempo.

Neste sábado, dia 4 de setembro, à tarde, houve
mostra competitiva de videoclipes no Centro Cultural Cesma, na
Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria (Cesma). E a partir das 19h,
iniciou a cerimônia de encerramento do 9º SMVC, na praça. Mesmo com o frio intenso, o público não deixou de conferir a premiação do festival. O homenageado da noite foi o cineasta, filósofo e poeta cearense, Rosemberg Cariry. Ele recebeu o troféu Vento Norte das mãos do cineasta Manfredo Caldas. Emocionado, Cariry falou sobre os muitos povos brasileiros, sobre a diversidade que encontrou em Santa Maria quando viu descendentes de italianos jogando capoeira na praça e que é importante encontrar a alma da cidade através das pessoas.

smvc_bruno_mello.jpg

A premiação iniciou com os videoclipes. A produção local de Ariane Nogueira com o videoclipe da banda Rinoceronte recebeu menção honrosa pelo trabalho cultural da cidade. O prêmio de melhor videoclipe foi para Alan Bittencourt com A maçã e Eu. Alan Bittencourt é acadêmico de Design Gŕafico da Feevale, em Novo Hamburgo e produziu o clipe em stop motion (técnica de animação utilizando fotografias) em apenas 40 horas.

Algumas produções realizadas por acadêmicos de Jornalismo do Centro Universitário Franciscano (Unifra) também foram premiadas. Menção honrosa por mostrar a cidade através dos depoimentos de seus habitantes e troféu Lanterninha Aurélio para Olhares de Santa Maria, de Pricila Lameira.

Menção Honrosa pela temática que destaca um lado inusitado da região para Casos e Causos, de Eduardo Ramos e troféu Cacism para Bilhetes, de Alice Balbé. A jornalista recém formada, Pricila Lameira, afirmou que foi ótimo receber os dois prêmios e um reconhecimento ao ótimo trabalho de toda a equipe.

 
smvc_bruno_mello_2.jpgO curta Veloz, com roteiro, direção e edição de Felipe Iop Capeleto e Marcos Borba, recebeu três prêmios no SMVC 2010: melhor edição/montagem, melhor direção e melhor curta de Santa Maria e região. Segundo Capeleto, a ideia do roteiro surgiu devido à falta de tempo dos dois diretores. Em uma semana decidiram escrever e gravaram caminhos percorridos por eles mesmos. Nessa mesma semana, tudo ficou pronto. O texto foi escrito e gravado na hora em que o psicólogo Felipe de Oliveira assistiu ao curta. "Ele foi falando o que ele ia pensando e ele também sofre de falta de tempo", comentou Capeleto. Felipe Iop Capeleto, 26 anos, e Marcos Borba, 30 anos, são editores de imagens e trabalham com os cursos de Comunicação Social da Unifra.

Outro curta bastante premiado nessa edição do Santa Maria Vídeo e Cinema foi Eletrotorpe, de Nalu Béco e Yuri Amaral. Eletrotorpe participou da mostra competitiva nacional e recebeu o troféu Vento Norte nas seguintes categorias: Melhor edição/montagem, melhor roteiro, melhor direção e melhor curta-metragem nacional do 9º SMVC.
 
Yuri Amaral contou que esse foi seu trabalho de conclusão de curso na faculdade de Cinema da Universidade de São Paulo (USP) e a ideia de fazer um multiplot (várias histórias em um único roteiro) veio para mostrar um pouco da cena da música eletrônica no Brasil. Ele ressalta que parte do filme foi gravado em uma festa de verdade, onde os atores foram colocados em determinadas situações para a gravação. O elenco conta com a atriz – hoje global – Mayana Moura, que na época (2006) tinha recém voltado dos Estados Unidos e teve no curta seu primeiro papel no cinema.

O curta premiado na mostra competitiva da internet foi , de Fernando Gomes Cortes, Bruno Barbosa Godinho e Marcus Vinicius de Oliveira. Mais detalhes da premiação no twitter do SMVC @Festival_SMVC

Imagens: Bruno Mello (Laboratório de Fotografia e Memória)

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

smvc_bruno_mello_3.jpgDepois de aparecer por toda a semana, a chuva resolveu dar uma trégua no
último dia do Santa Maria Vídeo e Cinema (SMVC). O festival realizou
neste ano a sua 9ª edição, marcada pela presença do grande público que
não hesitou em ir à praça Saldanha Marinho, mesmo com a falta de
colaboração do tempo.

Neste sábado, dia 4 de setembro, à tarde, houve
mostra competitiva de videoclipes no Centro Cultural Cesma, na
Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria (Cesma). E a partir das 19h,
iniciou a cerimônia de encerramento do 9º SMVC, na praça. Mesmo com o frio intenso, o público não deixou de conferir a premiação do festival. O homenageado da noite foi o cineasta, filósofo e poeta cearense, Rosemberg Cariry. Ele recebeu o troféu Vento Norte das mãos do cineasta Manfredo Caldas. Emocionado, Cariry falou sobre os muitos povos brasileiros, sobre a diversidade que encontrou em Santa Maria quando viu descendentes de italianos jogando capoeira na praça e que é importante encontrar a alma da cidade através das pessoas.

smvc_bruno_mello.jpg

A premiação iniciou com os videoclipes. A produção local de Ariane Nogueira com o videoclipe da banda Rinoceronte recebeu menção honrosa pelo trabalho cultural da cidade. O prêmio de melhor videoclipe foi para Alan Bittencourt com A maçã e Eu. Alan Bittencourt é acadêmico de Design Gŕafico da Feevale, em Novo Hamburgo e produziu o clipe em stop motion (técnica de animação utilizando fotografias) em apenas 40 horas.

Algumas produções realizadas por acadêmicos de Jornalismo do Centro Universitário Franciscano (Unifra) também foram premiadas. Menção honrosa por mostrar a cidade através dos depoimentos de seus habitantes e troféu Lanterninha Aurélio para Olhares de Santa Maria, de Pricila Lameira.

Menção Honrosa pela temática que destaca um lado inusitado da região para Casos e Causos, de Eduardo Ramos e troféu Cacism para Bilhetes, de Alice Balbé. A jornalista recém formada, Pricila Lameira, afirmou que foi ótimo receber os dois prêmios e um reconhecimento ao ótimo trabalho de toda a equipe.

 
smvc_bruno_mello_2.jpgO curta Veloz, com roteiro, direção e edição de Felipe Iop Capeleto e Marcos Borba, recebeu três prêmios no SMVC 2010: melhor edição/montagem, melhor direção e melhor curta de Santa Maria e região. Segundo Capeleto, a ideia do roteiro surgiu devido à falta de tempo dos dois diretores. Em uma semana decidiram escrever e gravaram caminhos percorridos por eles mesmos. Nessa mesma semana, tudo ficou pronto. O texto foi escrito e gravado na hora em que o psicólogo Felipe de Oliveira assistiu ao curta. "Ele foi falando o que ele ia pensando e ele também sofre de falta de tempo", comentou Capeleto. Felipe Iop Capeleto, 26 anos, e Marcos Borba, 30 anos, são editores de imagens e trabalham com os cursos de Comunicação Social da Unifra.

Outro curta bastante premiado nessa edição do Santa Maria Vídeo e Cinema foi Eletrotorpe, de Nalu Béco e Yuri Amaral. Eletrotorpe participou da mostra competitiva nacional e recebeu o troféu Vento Norte nas seguintes categorias: Melhor edição/montagem, melhor roteiro, melhor direção e melhor curta-metragem nacional do 9º SMVC.
 
Yuri Amaral contou que esse foi seu trabalho de conclusão de curso na faculdade de Cinema da Universidade de São Paulo (USP) e a ideia de fazer um multiplot (várias histórias em um único roteiro) veio para mostrar um pouco da cena da música eletrônica no Brasil. Ele ressalta que parte do filme foi gravado em uma festa de verdade, onde os atores foram colocados em determinadas situações para a gravação. O elenco conta com a atriz – hoje global – Mayana Moura, que na época (2006) tinha recém voltado dos Estados Unidos e teve no curta seu primeiro papel no cinema.

O curta premiado na mostra competitiva da internet foi , de Fernando Gomes Cortes, Bruno Barbosa Godinho e Marcus Vinicius de Oliveira. Mais detalhes da premiação no twitter do SMVC @Festival_SMVC

Imagens: Bruno Mello (Laboratório de Fotografia e Memória)