Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

A leitura agora pode começar

O lançamento da Feira do Livro de Santa Maria ocorreu nesta terça-feira, 6 de abril, no auditório da Cesma.

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

MicrosoftInternetExplorer4


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-qformat:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-font-family:”Times New Roman”;
mso-fareast-theme-font:minor-fareast;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-bidi-font-family:”Times New Roman”;
mso-bidi-theme-font:minor-bidi;}

 

A novidade deste ano foi apresentada no
inicio da cerimônia pelo secretário de Cultura, João Luiz Roth. Explicou que a
viabilização da Feira se dava através da Lei de Incentivo à Cultura (LIC) e
agora a Prefeitura passa a ser responsável pela disponibilização de recursos.  “Ao invés da renúncia fiscal estamos adotando
o investimento cultural”, diz o secretário.  

O prefeito Cézar Schirmer disse que
cultura é também uma obrigação da economia.  A Prefeitura disponibilizará 110 mil reais
para a realização da Feira e a assinatura do convênio entre Prefeitura e a
Câmara do Livro ocorreu com a participação de todos os envolvidos no evento
como testemunhas. “O gasto na cultura é um investimento, mesmo numa cidade como
Santa Maria que tem tantas carências e necessidades”, explica Schirmer.

Foi lembrado pelos participantes que a
primeira Feira começou em 26 de maio de 1973 e é a segunda maior feira em
ambiente aberto mais antiga do país. A história da Feira do Livro começou com
os alunos de Comunicação da UFSM e, segundo Roth, naquela época foi uma
manifestação política, pois livros não eram bem vindos no período da ditadura.  O secretário considera que depois de todos
esses anos de Feira, esta atingiu um novo patamar por deixar de ser apenas uma
renúncia fiscal e estar incluída no calendário cultural da cidade.

O patrono Antônio Cândido de
Azambuja Ribeiro salientou a importância de conseguir trazer as comunidades próximas
de Santa Maria para participarem efetivamente da Feira. “É muito importante a
interação com o público, e realmente o contato com o cidadão energiza os
escritores”, diz Ribeiro. A patronesse da Feira do Livro Infantil, Onilse
Pozzobon, ainda salienta que a Feira promove um intercâmbio entre escritores e
leitores.

O Livro Livre, programação noturna
da Feira do Livro que visa exatamente essa comunicação do público com os
artistas, tem confirmado para a sua programação a presença dos escritores
Moacyr Scliar, Márcia Tiburi, Flávio Brasil, Daniel Galera, Guilherme Fiuza (autor
do livro “Meu nome não é Johnny”) e João Estrela (o real protagonista da
história).

O homenageado Cirilo Costa Beber
foi representado pelo filho Paulo Costa Beber. 
Paulo contou ter participado, quando ainda era adolescente, da primeira
Feira do Livro de Santa Maria e falou de Cirilo não como seu pai, mas como um cidadão
que amava os livros e a cidade e conclui dizendo: “A nossa vida passa, mas a
nossa obra não”.

 

Patrono da Feira do Livro:

Antônio Cândido de Azambuja Ribeiro
nasceu em Santa Maria. Formado em Direito pela UFSM em 1974, atuou como
professor de cursinho, comentarista do programa Redação Aberta (Rádio
Universidade), integrou a Associação Santa-Mariense de Letras (ASL). Fez parte
do Conselho Municipal de Cultura de Santa Maria e desde 2005 é membro
honorário. É co-autor dos livros “Da boca do Monte” e “O Apito do Trem” e, nesta
Feira do Livro, lançará a novela “A face oculta da lua (Inércia)”.

Patronesse da Feira do Livro Infantil:

Onilse Noal Pozzobon, formada
em História pela UFSM, em 1984, é membro da Casa do Poeta de Santa Maria  e do Baú do Livro. Publicou livros como “Fantasia
Alegre” e “Maravilha de criança”. Lançará nesta Feira “A viagem do senhor Besouro”.

Homenageado:

Cirilo Costa Beber nasceu em Faxinal do Soturno.
Concluiu  o curso de Contador pela Escola
de Comércio de Santa Maria e, em 1958, bacharelou-se em Economia pela Faculdade
de Ciências Econômicas e Políticas. Foi presidente da CACISM DE 1969 a 1983. Escreveu
diversos livros, entre eles “Santa Maria 200 Anos”. Faleceu em 2009, aos 89
anos.

 

 A Feira do Livro inicia dia 24 de abril e vai
até dia 9 de maio. A abertura oficial da Feira deve ocorrer dia 24 de abril, às
10h. 

Os horários de funcionamento serão:

 Sábados, das 10h às 21h

Domingos, das 13h às 21h

 e nos dias de semana, das 13h às 21h.

 

Fotos: Augusto Coelho (Laboratório de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

O lançamento da Feira do Livro de Santa Maria ocorreu nesta terça-feira, 6 de abril, no auditório da Cesma.

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

MicrosoftInternetExplorer4


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-qformat:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-font-family:”Times New Roman”;
mso-fareast-theme-font:minor-fareast;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-bidi-font-family:”Times New Roman”;
mso-bidi-theme-font:minor-bidi;}

 

A novidade deste ano foi apresentada no
inicio da cerimônia pelo secretário de Cultura, João Luiz Roth. Explicou que a
viabilização da Feira se dava através da Lei de Incentivo à Cultura (LIC) e
agora a Prefeitura passa a ser responsável pela disponibilização de recursos.  “Ao invés da renúncia fiscal estamos adotando
o investimento cultural”, diz o secretário.  

O prefeito Cézar Schirmer disse que
cultura é também uma obrigação da economia.  A Prefeitura disponibilizará 110 mil reais
para a realização da Feira e a assinatura do convênio entre Prefeitura e a
Câmara do Livro ocorreu com a participação de todos os envolvidos no evento
como testemunhas. “O gasto na cultura é um investimento, mesmo numa cidade como
Santa Maria que tem tantas carências e necessidades”, explica Schirmer.

Foi lembrado pelos participantes que a
primeira Feira começou em 26 de maio de 1973 e é a segunda maior feira em
ambiente aberto mais antiga do país. A história da Feira do Livro começou com
os alunos de Comunicação da UFSM e, segundo Roth, naquela época foi uma
manifestação política, pois livros não eram bem vindos no período da ditadura.  O secretário considera que depois de todos
esses anos de Feira, esta atingiu um novo patamar por deixar de ser apenas uma
renúncia fiscal e estar incluída no calendário cultural da cidade.

O patrono Antônio Cândido de
Azambuja Ribeiro salientou a importância de conseguir trazer as comunidades próximas
de Santa Maria para participarem efetivamente da Feira. “É muito importante a
interação com o público, e realmente o contato com o cidadão energiza os
escritores”, diz Ribeiro. A patronesse da Feira do Livro Infantil, Onilse
Pozzobon, ainda salienta que a Feira promove um intercâmbio entre escritores e
leitores.

O Livro Livre, programação noturna
da Feira do Livro que visa exatamente essa comunicação do público com os
artistas, tem confirmado para a sua programação a presença dos escritores
Moacyr Scliar, Márcia Tiburi, Flávio Brasil, Daniel Galera, Guilherme Fiuza (autor
do livro “Meu nome não é Johnny”) e João Estrela (o real protagonista da
história).

O homenageado Cirilo Costa Beber
foi representado pelo filho Paulo Costa Beber. 
Paulo contou ter participado, quando ainda era adolescente, da primeira
Feira do Livro de Santa Maria e falou de Cirilo não como seu pai, mas como um cidadão
que amava os livros e a cidade e conclui dizendo: “A nossa vida passa, mas a
nossa obra não”.

 

Patrono da Feira do Livro:

Antônio Cândido de Azambuja Ribeiro
nasceu em Santa Maria. Formado em Direito pela UFSM em 1974, atuou como
professor de cursinho, comentarista do programa Redação Aberta (Rádio
Universidade), integrou a Associação Santa-Mariense de Letras (ASL). Fez parte
do Conselho Municipal de Cultura de Santa Maria e desde 2005 é membro
honorário. É co-autor dos livros “Da boca do Monte” e “O Apito do Trem” e, nesta
Feira do Livro, lançará a novela “A face oculta da lua (Inércia)”.

Patronesse da Feira do Livro Infantil:

Onilse Noal Pozzobon, formada
em História pela UFSM, em 1984, é membro da Casa do Poeta de Santa Maria  e do Baú do Livro. Publicou livros como “Fantasia
Alegre” e “Maravilha de criança”. Lançará nesta Feira “A viagem do senhor Besouro”.

Homenageado:

Cirilo Costa Beber nasceu em Faxinal do Soturno.
Concluiu  o curso de Contador pela Escola
de Comércio de Santa Maria e, em 1958, bacharelou-se em Economia pela Faculdade
de Ciências Econômicas e Políticas. Foi presidente da CACISM DE 1969 a 1983. Escreveu
diversos livros, entre eles “Santa Maria 200 Anos”. Faleceu em 2009, aos 89
anos.

 

 A Feira do Livro inicia dia 24 de abril e vai
até dia 9 de maio. A abertura oficial da Feira deve ocorrer dia 24 de abril, às
10h. 

Os horários de funcionamento serão:

 Sábados, das 10h às 21h

Domingos, das 13h às 21h

 e nos dias de semana, das 13h às 21h.

 

Fotos: Augusto Coelho (Laboratório de Fotografia e Memória)