Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Abstenção foi de 7%

No primeiro, e único dia de Vestibular da Unifra o que ficou marcado foi a expectativa dos estudantes. Muitos estavam confiantes na prova e o objetivo principal ficou em torno de testar os conhecimentos. Mas nem todos tiveram sorte, após as 8hs os portões foram fechados e nenhum candidato pôde entrar. A decepção de quem ficou de fora era evidente, mas nem na insistência as portas foram abertas.

No início da manhã, os candidatos circulavam pelo pátio do conjunto I da Unifra. Pai, mãe e amigos acompanhavam quem veio fazer as provas. A expectativa era pelo tema da Redação e para conferir se estavam preparados para outras provas.

É o caso do candidato de Direito Noturno, Bruno Gressler Wontroba, 17 anos, que se preocupou em fazer uma boa prova para testar seus conhecimentos. "Eu quero passar bem nessa prova, ter uma noção do que é vestibular", conta. Apesar de já ter feito outros vestibulares, o nervosismo era evidente antes da prova, pois seu curso é um dos mais concorridos.

O militar Darlan Dalcin Rossato, 20 anos, também tenta uma vaga no curso de Direito Noturno, mas suas expectativas são poucas, já que seu objetivo é passar na prova da Escola de Especialistas de Aeronautica (EEAR). "Quero tentar, não sei no que vai dar. Mas seu eu passar pretendo cursar".

 

Antes do ínicio das provas era possível ver os candidatos tentando se distrair, conversas com amigos era uma maneira de não pensar só no concurso.  A candidata Sheila Costa, 24 anos, já tem experiência, pois cursou Direito em outra faculdade. Desta vez a tentativa é para o curso de Administração. "Tenho esperanças, as expectativas são as melhores possíveis. Quero passar prá poder cursar, não apenas competir", conta Sheila.

Mas nem só de nervosismo é a prova. O candidato, Guilherme Tonatto, 18 anos, está confiante e acredita que seu ponto forte contra os concorrentes é a Redação. "É, não tem como não dizer que não está nervoso, mas estou confiante para a prova", diz.

 

 

Depois das 8

Quem se atrasou e não pôde realizar a prova teve que adiar a oportunidade de ser aprovado em um curso superior. É o caso de Fernanda dos Santos, que pouco depois do sinal chegou ao conjunto I mas não conseguiu realizar a prova. Ela tentaria uma vaga no curso de Ciências Contábeis, mas, segundo ela, ficará para uma próxima oportunidade. "O sinal tocou há pouco, eu não encontrava o local de prova, por isso cheguei atrasada. Agora é tentar outra vez, não tem o que fazer", diz Fernanda, decepcionada. Na verdade, ela já chegou atrasada e foi prontamente informada sobre o local onde seria sua prova.

Abstenções

O índice de candidatos que não compareceram aos locais de prova ficou em torno de 7%. Segundo informações do presidente da comissão de seleção, professor Jovelino Pozzera, 82 candidatos não compareceram.

 

Fotos: Diego Fontanella e Rômulo D’Avila (Laboratório
de
Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

No primeiro, e único dia de Vestibular da Unifra o que ficou marcado foi a expectativa dos estudantes. Muitos estavam confiantes na prova e o objetivo principal ficou em torno de testar os conhecimentos. Mas nem todos tiveram sorte, após as 8hs os portões foram fechados e nenhum candidato pôde entrar. A decepção de quem ficou de fora era evidente, mas nem na insistência as portas foram abertas.

No início da manhã, os candidatos circulavam pelo pátio do conjunto I da Unifra. Pai, mãe e amigos acompanhavam quem veio fazer as provas. A expectativa era pelo tema da Redação e para conferir se estavam preparados para outras provas.

É o caso do candidato de Direito Noturno, Bruno Gressler Wontroba, 17 anos, que se preocupou em fazer uma boa prova para testar seus conhecimentos. "Eu quero passar bem nessa prova, ter uma noção do que é vestibular", conta. Apesar de já ter feito outros vestibulares, o nervosismo era evidente antes da prova, pois seu curso é um dos mais concorridos.

O militar Darlan Dalcin Rossato, 20 anos, também tenta uma vaga no curso de Direito Noturno, mas suas expectativas são poucas, já que seu objetivo é passar na prova da Escola de Especialistas de Aeronautica (EEAR). "Quero tentar, não sei no que vai dar. Mas seu eu passar pretendo cursar".

 

Antes do ínicio das provas era possível ver os candidatos tentando se distrair, conversas com amigos era uma maneira de não pensar só no concurso.  A candidata Sheila Costa, 24 anos, já tem experiência, pois cursou Direito em outra faculdade. Desta vez a tentativa é para o curso de Administração. "Tenho esperanças, as expectativas são as melhores possíveis. Quero passar prá poder cursar, não apenas competir", conta Sheila.

Mas nem só de nervosismo é a prova. O candidato, Guilherme Tonatto, 18 anos, está confiante e acredita que seu ponto forte contra os concorrentes é a Redação. "É, não tem como não dizer que não está nervoso, mas estou confiante para a prova", diz.

 

 

Depois das 8

Quem se atrasou e não pôde realizar a prova teve que adiar a oportunidade de ser aprovado em um curso superior. É o caso de Fernanda dos Santos, que pouco depois do sinal chegou ao conjunto I mas não conseguiu realizar a prova. Ela tentaria uma vaga no curso de Ciências Contábeis, mas, segundo ela, ficará para uma próxima oportunidade. "O sinal tocou há pouco, eu não encontrava o local de prova, por isso cheguei atrasada. Agora é tentar outra vez, não tem o que fazer", diz Fernanda, decepcionada. Na verdade, ela já chegou atrasada e foi prontamente informada sobre o local onde seria sua prova.

Abstenções

O índice de candidatos que não compareceram aos locais de prova ficou em torno de 7%. Segundo informações do presidente da comissão de seleção, professor Jovelino Pozzera, 82 candidatos não compareceram.

 

Fotos: Diego Fontanella e Rômulo D’Avila (Laboratório
de
Fotografia e Memória)