Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Diversidade cultural traduzida em artesanato e decoração

 
Quem chega ao Centro de Referência
de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter se depara com muitas cores, brilhos e
música instrumental que lembra o Oriente. Os primeiros estandes da Feira
Internacional do Artesanato e Decoração
(FENIAR) retratam aqueles comércios
orientais que a grande mídia costuma mostrar.
 
 
 
 

Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4


st1:*{behavior:url(#ieooui) }


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

Segundo o organizador do evento, o
empresário Mauro Locatelli, o público-alvo da feira são mulheres acima de 35
anos. Entretanto, há peças para agradar o público de todas as idades. Locatelli
ressalta a importância da FENIAR vir para Santa Maria, pois a cidade é
conhecida como cidade da cultura. A feira encontrou na cidade o apoio do
projeto Esperança/Cooesperança que é referência em economia solidária,
cooperativismo e fomento de diversidades culturais.

Lustres, bolsas, lenços, vasos e
uma quantidade significativa de objetos provocam fruição aos visitantes. Os
expositores desdobram-se para bem atender a todos que também chegam para
conferir as especiarias dos diversos países presentes na feira. Turquia, África
do Sul, Indonésia, Gana, Peru, Equador, Portugal e Brasil são alguns dos países
participantes do evento.

No corredor do meio da FENIAR, o
estande do Paquistão salta aos olhos do consumidor. O comerciante Ayaz
Khamblawala costuma participar de feiras pelo Brasil há cerca de 6 anos. Ao
misturar palavras em português e inglês ele diz que compra a mercadoria de
artesãos paquistaneses e expõe em feiras por vários países. Khamblawala trouxe
em sua primeira visita a Santa Maria objetos em madeira e onix; mas não a onix
negra que se vê por aqui e, sim, uma onix em tons esverdeados e nudes.

 

Brasil marca presença na FENIAR

Rio Grande do Sul, Bahia, Rio de
Janeiro e São Paulo são alguns dos estados brasileiros que mostram seus
produtos na Feira. Com certeza a diversidade cultural impera no evento.

Bastante comunicativos e vindos de
São Paulo, o desenhista Figuer Maia e seu sogro Nivaldo Rodrigues, chamam a
atenção do público. Maia faz caricaturas personalizadas na hora. Segundo
Rodrigues, as caricaturas de seu genro não deixam a pessoa com características
exageradas e o cliente pode escolher como quer personalizar a tela.

De Santa Maria, integrantes do
Projeto Esperança/Cooesperança fazem exposição de seus artesanatos. Encontra-se
cuias, guardanapos, imãs de geladeira, tudo personalizado e de boa qualidade.
Segundo a coordenadora do Projeto Esperança/Cooesperança, irmã Lourdes Dill, a
FENIAR vem somar com a economia solidária e mostrar que em Santa Maria estão todas
as culturas do mundo.  O Projeto
Esperança Cooesperança  integra o
programa nacional de feiras e faz com que a cidade abrigue a maior feira de
economia solidária do mundo e seja conhecida como a capital mundial nesta área.

A Feira Internacional do Artesanato
e Decoração ocorre em
Santa Maria de 20
a 29 de agosto no Centro de Referência em Economia Solidária Dom
Ivo Lorscheiter.

 

Fotos: Ana Rauber e Yuri Weber (Laboratório de Fotografia e Memória)

                                                                                     

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

 
Quem chega ao Centro de Referência
de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter se depara com muitas cores, brilhos e
música instrumental que lembra o Oriente. Os primeiros estandes da Feira
Internacional do Artesanato e Decoração
(FENIAR) retratam aqueles comércios
orientais que a grande mídia costuma mostrar.
 
 
 
 

Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4


st1:*{behavior:url(#ieooui) }


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

Segundo o organizador do evento, o
empresário Mauro Locatelli, o público-alvo da feira são mulheres acima de 35
anos. Entretanto, há peças para agradar o público de todas as idades. Locatelli
ressalta a importância da FENIAR vir para Santa Maria, pois a cidade é
conhecida como cidade da cultura. A feira encontrou na cidade o apoio do
projeto Esperança/Cooesperança que é referência em economia solidária,
cooperativismo e fomento de diversidades culturais.

Lustres, bolsas, lenços, vasos e
uma quantidade significativa de objetos provocam fruição aos visitantes. Os
expositores desdobram-se para bem atender a todos que também chegam para
conferir as especiarias dos diversos países presentes na feira. Turquia, África
do Sul, Indonésia, Gana, Peru, Equador, Portugal e Brasil são alguns dos países
participantes do evento.

No corredor do meio da FENIAR, o
estande do Paquistão salta aos olhos do consumidor. O comerciante Ayaz
Khamblawala costuma participar de feiras pelo Brasil há cerca de 6 anos. Ao
misturar palavras em português e inglês ele diz que compra a mercadoria de
artesãos paquistaneses e expõe em feiras por vários países. Khamblawala trouxe
em sua primeira visita a Santa Maria objetos em madeira e onix; mas não a onix
negra que se vê por aqui e, sim, uma onix em tons esverdeados e nudes.

 

Brasil marca presença na FENIAR

Rio Grande do Sul, Bahia, Rio de
Janeiro e São Paulo são alguns dos estados brasileiros que mostram seus
produtos na Feira. Com certeza a diversidade cultural impera no evento.

Bastante comunicativos e vindos de
São Paulo, o desenhista Figuer Maia e seu sogro Nivaldo Rodrigues, chamam a
atenção do público. Maia faz caricaturas personalizadas na hora. Segundo
Rodrigues, as caricaturas de seu genro não deixam a pessoa com características
exageradas e o cliente pode escolher como quer personalizar a tela.

De Santa Maria, integrantes do
Projeto Esperança/Cooesperança fazem exposição de seus artesanatos. Encontra-se
cuias, guardanapos, imãs de geladeira, tudo personalizado e de boa qualidade.
Segundo a coordenadora do Projeto Esperança/Cooesperança, irmã Lourdes Dill, a
FENIAR vem somar com a economia solidária e mostrar que em Santa Maria estão todas
as culturas do mundo.  O Projeto
Esperança Cooesperança  integra o
programa nacional de feiras e faz com que a cidade abrigue a maior feira de
economia solidária do mundo e seja conhecida como a capital mundial nesta área.

A Feira Internacional do Artesanato
e Decoração ocorre em
Santa Maria de 20
a 29 de agosto no Centro de Referência em Economia Solidária Dom
Ivo Lorscheiter.

 

Fotos: Ana Rauber e Yuri Weber (Laboratório de Fotografia e Memória)