Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Se os ventos permitirem, o show começa

Animação,
euforia e entusiasmo. Essas eram as características dos competidores e
de toda imprensa, ontem, no primeiro dia do 2° Festival Internacional de Balonismo
Cidade de Santa Maria
. No entanto, toda a expectativa foi cancelada, pois os
ventos fortes na Base Aérea impossibilitaram a decolagem dos balões.
 
 
 
 

Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4


st1:*{behavior:url(#ieooui) }


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

A primeira prova, denominada prova da
imprensa, proporcionaria voos panorâmicos para os meios de comunicação da
cidade. Contudo, por questões meteorológicas e de segurança teve de ser cortada
da programação. Mas, isso não foi motivo para tristezas e lamentações, pois hoje deveriam
iniciar as provas competitivas.

A
expectativa dos balonistas era grande. O piloto Cid Barros, o “Bola”, 28 anos,
acreditava que nesses dias o tempo iria colaborar, e então o público poder
passear e admirar os balões no céu da cidade. “O povo daqui é acolhedor,
fantástico. Adoro voar em
Santa Maria”, diz Barros, da equipe “O Vento Levou”, que
também participou do evento no ano passado.

Acreditava
no mesmo o piloto da equipe “Os Farrapos”, Wilson Bittencourt, o “Xuxa”, que
pratica esta atividade há 14 anos, sendo seis como piloto. Segundo Bittencourt,
essa atividade já o proporcionou conhecer 75% do território nacional, o que lhe
causa um enorme orgulho da modalidade.

 

De hoje
até domingo deveriam ser oito provas competitivas, cada uma com um trajeto e
objetivo diferente. Mas as provas de hoje foram canceladas pela manhã, novamente por causa do vento forte. 

Se as provas forem iniciadas, o vencedor será conhecido no último dia, quando haverá a
divulgação e entrega dos prêmios. 47 pilotos do Brasil, Estados Unidos, França,
Nova Zelândia e Argentina estão na disputa do festival. 

 

 

Mas,
nem só dos pilotos é feito o balonismo. Os grupos são formados também, pelas
equipes que ficam no solo e têm diversas responsabilidades como ajudar a inflar
o balão antes da decolagem, e orientar as condições de tempo através do GPS.

O
Primeiro Festival Internacional de Balonismo Cidade de Santa Maria, ocorreu em
maio do ano passado e contou com 25 balões vindos do exterior e de outros
estados do país.

 

Fotos: Gabriela Perufo (acadêmica de Jornalismo)

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Animação,
euforia e entusiasmo. Essas eram as características dos competidores e
de toda imprensa, ontem, no primeiro dia do 2° Festival Internacional de Balonismo
Cidade de Santa Maria
. No entanto, toda a expectativa foi cancelada, pois os
ventos fortes na Base Aérea impossibilitaram a decolagem dos balões.
 
 
 
 

Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4


st1:*{behavior:url(#ieooui) }


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

A primeira prova, denominada prova da
imprensa, proporcionaria voos panorâmicos para os meios de comunicação da
cidade. Contudo, por questões meteorológicas e de segurança teve de ser cortada
da programação. Mas, isso não foi motivo para tristezas e lamentações, pois hoje deveriam
iniciar as provas competitivas.

A
expectativa dos balonistas era grande. O piloto Cid Barros, o “Bola”, 28 anos,
acreditava que nesses dias o tempo iria colaborar, e então o público poder
passear e admirar os balões no céu da cidade. “O povo daqui é acolhedor,
fantástico. Adoro voar em
Santa Maria”, diz Barros, da equipe “O Vento Levou”, que
também participou do evento no ano passado.

Acreditava
no mesmo o piloto da equipe “Os Farrapos”, Wilson Bittencourt, o “Xuxa”, que
pratica esta atividade há 14 anos, sendo seis como piloto. Segundo Bittencourt,
essa atividade já o proporcionou conhecer 75% do território nacional, o que lhe
causa um enorme orgulho da modalidade.

 

De hoje
até domingo deveriam ser oito provas competitivas, cada uma com um trajeto e
objetivo diferente. Mas as provas de hoje foram canceladas pela manhã, novamente por causa do vento forte. 

Se as provas forem iniciadas, o vencedor será conhecido no último dia, quando haverá a
divulgação e entrega dos prêmios. 47 pilotos do Brasil, Estados Unidos, França,
Nova Zelândia e Argentina estão na disputa do festival. 

 

 

Mas,
nem só dos pilotos é feito o balonismo. Os grupos são formados também, pelas
equipes que ficam no solo e têm diversas responsabilidades como ajudar a inflar
o balão antes da decolagem, e orientar as condições de tempo através do GPS.

O
Primeiro Festival Internacional de Balonismo Cidade de Santa Maria, ocorreu em
maio do ano passado e contou com 25 balões vindos do exterior e de outros
estados do país.

 

Fotos: Gabriela Perufo (acadêmica de Jornalismo)