Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Votação para aumento da tarifa de ônibus é suspensa

A
reunião do Conselho Municipal dos Transporte para a votação do
aumento na tarifa de ônibus em Santa Maria acabou suspensa hoje pela manhã,  após integrantes do
Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFSM invadirem a Prefeitura.

Munidos
de cartazes e faixas os estudantes protestavam no auditório da
prefeitura contra o possível aumento.

Trabalhadores do transporte
coletivo também estavam presentes. No horário marcado para a votação os
conselheiros foram impedidos de entrar no auditório, transferindo assim a
reunião para outra sala localizada no prédio. Os estudantes foram atrás
dos conselheiros para tentar impedir a realização da votação. Depois de
suspender a reunião por um breve período, o conselho decidiu retomar o
ato às 14 horas desta segunda-feira, no prédio do Sest/Senat.

Segundo
o representante do DCE, Lotário Souza, “o protesto aconteceu devido ao
pedido de urgência no aumento da passagem de ônibus. Não tivemos tempo
suficiente para análise do documento e os valores apresentados estão
desatualizados. Esse aumento é um absurdo e deveria ser concedido após a
implantação do Sistema de Bilhetagem Eletrônica (SBE). Tentamos
conversar com o prefeito e o vice-prefeito mais não conseguimos".

Ainda pela manhã, os estudantes se dirigiram à avenida Rio Branco, entre o Viaduto Evandro Behr e o terminal de ônibus, impedindo a passagem dos ônibus e chamndo a atenção da população para o fato.

O conselheiro jurídico do DCE da UFSM, Rodrigo Freitas Almeida,  diz que os estudantes são "contra o
aumento, pois não foi cumprido o decreto que aumentou a
passagem para R$ 2, que considerava a implantação da passagem
integrada, abrigos e ampliação dos horários dos ônibus e também por esse
aumento ser acima da inflação do período".

A
equipe da prefeitura apresentou o valor de R$ 2,31 como preço adequado,
tomando como base o preço dos insumos e o aumento no salário dos
funcionários. O valor proposto ficou acima da inflação de 9,1% desde o
último reajuste das passagens em 2009.

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

A
reunião do Conselho Municipal dos Transporte para a votação do
aumento na tarifa de ônibus em Santa Maria acabou suspensa hoje pela manhã,  após integrantes do
Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFSM invadirem a Prefeitura.

Munidos
de cartazes e faixas os estudantes protestavam no auditório da
prefeitura contra o possível aumento.

Trabalhadores do transporte
coletivo também estavam presentes. No horário marcado para a votação os
conselheiros foram impedidos de entrar no auditório, transferindo assim a
reunião para outra sala localizada no prédio. Os estudantes foram atrás
dos conselheiros para tentar impedir a realização da votação. Depois de
suspender a reunião por um breve período, o conselho decidiu retomar o
ato às 14 horas desta segunda-feira, no prédio do Sest/Senat.

Segundo
o representante do DCE, Lotário Souza, “o protesto aconteceu devido ao
pedido de urgência no aumento da passagem de ônibus. Não tivemos tempo
suficiente para análise do documento e os valores apresentados estão
desatualizados. Esse aumento é um absurdo e deveria ser concedido após a
implantação do Sistema de Bilhetagem Eletrônica (SBE). Tentamos
conversar com o prefeito e o vice-prefeito mais não conseguimos".

Ainda pela manhã, os estudantes se dirigiram à avenida Rio Branco, entre o Viaduto Evandro Behr e o terminal de ônibus, impedindo a passagem dos ônibus e chamndo a atenção da população para o fato.

O conselheiro jurídico do DCE da UFSM, Rodrigo Freitas Almeida,  diz que os estudantes são "contra o
aumento, pois não foi cumprido o decreto que aumentou a
passagem para R$ 2, que considerava a implantação da passagem
integrada, abrigos e ampliação dos horários dos ônibus e também por esse
aumento ser acima da inflação do período".

A
equipe da prefeitura apresentou o valor de R$ 2,31 como preço adequado,
tomando como base o preço dos insumos e o aumento no salário dos
funcionários. O valor proposto ficou acima da inflação de 9,1% desde o
último reajuste das passagens em 2009.