Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Às brincas ou às devas – Máximo Trevisan homenageia Câmara de Vereadores

feira2011_quarta11_maximo_homenagem_carloscoletto.jpg“A Câmara de Vereadores não só foi como é co-responsável na construção da cultura de Santa Maria”. Assim o escritor Máximo José Trevisan sintetizou sua homenagem ao poder legislativo na quarta-feira, na tarde de autógrafos da Feira do Livro 2011.

 

Com o intuito de homenagear ofeira2011_quarta11_maximo_homenagem2_caloscoletto.jpg órgão municipal, o autor de Às brincas ou às devas demonstrou seu respeito pelo trabalho desenvolvido na área da cultura em Santa Maria. Na presença do prefeito Cezar Shirmer e da presidente da Câmara de Vereadores, Sandra Rebellatto, Máximo aproveitou a oportunidade para doar 80 exemplares de seu livro para a Secretaria Municipal de Educação (SMED) distribuir entre as escolas do município.

 “Se eles aproveitarem uma crônica, ou meia frase que seja, eu já fico feliz, pois a importância da leitura é fundamental”, afirma o escritor. O advogado e professor universitário salientou a necessidade dos professores para um bom aprendizado, pois são eles os grandes responsáveis pelo despertar da leitura nos jovens.

Ao falar sobre a homenagem, ele afirma que a Câmara de Vereadores foi responsável pela criação do Museu, do Arquivo Histórico da cidade, do concurso literário Felippe D’Oliveira e, recentemente, da Lei do Livro, que tem como objetivo publicar, no mínimo, um livro por ano com enfoque nos temas regionais ligados à cultura.

De acordo com o prefeito Schirmer, “Máximo faz parte da construção de Santa Maria”, pois além de educador e advogado ele é integrante da Academia Santa-mariense de Letras.   

 

Às brincas ou às devas

feira2011_quarta11_maximo_trevisan_carloscoletto.jpgHá 50 anos escrevendo para o jornal A Razão, Máximo Trevisan celebra a data com a publicação de seus melhores textos no livro Às brincas ou às devas. O título da obra instiga aos mais novos, porém os mais velhos sabem que o dito é muito popular entre os jogadores de bolita ou bola de gude, brincadeira antiga que o próprio autor gostava muito de jogar. Segundo ele, a crônica que deu nome ao livro fala sobre o jogo da vida, onde escolhemos viver às brincas ou às devas. “Quando se vive às brincas a pessoa é generosa, procura ser feliz e não passar por cima dos outros, é alguém que sabe viver e levar na brincadeira. Ao contrário de às devas, pois quando se joga para valer muitos são egoístas, só agem pensando no próprio bem”, enfatiza o autor.

Ao falar sobre o jornal, o escritor relembra que entrou n’A Razão com 19 anos, uma crônica na mão e perguntou se poderiam publicá-la. A partir daquele momento não deixaria mais de trabalhar ali.

“Além de colaborador ele é amigo da empresa, está sempre nos visitando e se dá com todos que trabalham no jornal. Que ele faça vários livros, pois nós estaremos sempre com ele”, afirma a diretora de A Razão, Zaira de Grandi, que foi conferir o lançamento da obra.

 

Fotos: Carlos Coletto (Laboratório de Fotografia e Memória)

 

 

 

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

feira2011_quarta11_maximo_homenagem_carloscoletto.jpg“A Câmara de Vereadores não só foi como é co-responsável na construção da cultura de Santa Maria”. Assim o escritor Máximo José Trevisan sintetizou sua homenagem ao poder legislativo na quarta-feira, na tarde de autógrafos da Feira do Livro 2011.

 

Com o intuito de homenagear ofeira2011_quarta11_maximo_homenagem2_caloscoletto.jpg órgão municipal, o autor de Às brincas ou às devas demonstrou seu respeito pelo trabalho desenvolvido na área da cultura em Santa Maria. Na presença do prefeito Cezar Shirmer e da presidente da Câmara de Vereadores, Sandra Rebellatto, Máximo aproveitou a oportunidade para doar 80 exemplares de seu livro para a Secretaria Municipal de Educação (SMED) distribuir entre as escolas do município.

 “Se eles aproveitarem uma crônica, ou meia frase que seja, eu já fico feliz, pois a importância da leitura é fundamental”, afirma o escritor. O advogado e professor universitário salientou a necessidade dos professores para um bom aprendizado, pois são eles os grandes responsáveis pelo despertar da leitura nos jovens.

Ao falar sobre a homenagem, ele afirma que a Câmara de Vereadores foi responsável pela criação do Museu, do Arquivo Histórico da cidade, do concurso literário Felippe D’Oliveira e, recentemente, da Lei do Livro, que tem como objetivo publicar, no mínimo, um livro por ano com enfoque nos temas regionais ligados à cultura.

De acordo com o prefeito Schirmer, “Máximo faz parte da construção de Santa Maria”, pois além de educador e advogado ele é integrante da Academia Santa-mariense de Letras.   

 

Às brincas ou às devas

feira2011_quarta11_maximo_trevisan_carloscoletto.jpgHá 50 anos escrevendo para o jornal A Razão, Máximo Trevisan celebra a data com a publicação de seus melhores textos no livro Às brincas ou às devas. O título da obra instiga aos mais novos, porém os mais velhos sabem que o dito é muito popular entre os jogadores de bolita ou bola de gude, brincadeira antiga que o próprio autor gostava muito de jogar. Segundo ele, a crônica que deu nome ao livro fala sobre o jogo da vida, onde escolhemos viver às brincas ou às devas. “Quando se vive às brincas a pessoa é generosa, procura ser feliz e não passar por cima dos outros, é alguém que sabe viver e levar na brincadeira. Ao contrário de às devas, pois quando se joga para valer muitos são egoístas, só agem pensando no próprio bem”, enfatiza o autor.

Ao falar sobre o jornal, o escritor relembra que entrou n’A Razão com 19 anos, uma crônica na mão e perguntou se poderiam publicá-la. A partir daquele momento não deixaria mais de trabalhar ali.

“Além de colaborador ele é amigo da empresa, está sempre nos visitando e se dá com todos que trabalham no jornal. Que ele faça vários livros, pois nós estaremos sempre com ele”, afirma a diretora de A Razão, Zaira de Grandi, que foi conferir o lançamento da obra.

 

Fotos: Carlos Coletto (Laboratório de Fotografia e Memória)