Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Estudantes fazem mais um ato público sobre o transporte coletivo

Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

O Diretório Central de Estudantes (DCE) e o movimento estudantil
organizado da UFSM, realizaram hoje à tarde um ato de protesto na praça
Saldanha Marinho. A manifestação é contra o aumento da tarifa de R$ 2,20 para
R$ 2,30 e também contra o modelo de passagem integrada implantado no município.

Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

 

protesto_estudantes3_jessica.jpgOs estudantes utilizaram baldes, apitos e
por vezes, gritos de ordem: “Esse aumento é salafrário, tira dos pobres para
dar aos empresários”.

 

Os universitários já haviam debatido sobre
o aumento das passagens de ônibus e o SIM (Sistema Integrado Municipal) na
última quinta-feira, 19 de maio, em assembleia geral.

 

Segundo um dos organizadores do ato e
estudante de História, Pedro Sérgio, o que está acontecendo é um ato simbólico.
Sérgio lembra que é direito do cidadão lutar por seus direitos. “Estamos
organizados e temos nosso objetivo, que é um projeto de integração de verdade”,
afirmou.

 

protesto_estudantes8_jessica.jpgConforme José Louzada, do DCE, mais de 200
pessoas participaram. Louzada elogia os estudantes, lembra que esse movimento é
organizado por eles, mas a população também deve participar, pois o transporte
público é para todos. O coordenador de Comunicação do DCE, José Luiz Zasso, diz
que as pessoas esperam pelos estudantes, pelo DCE para agirem contra o poder
público. “Fomos aplaudidos agora pouco, como se só nós estivéssemos aptos a
realizar uma manifestação”, comentou.

 

 

protesto_estudantes4_jessica.jpgO ato chamou atenção de quem passava pelo
local. O pedreiro Luiz Marcelo presenciou as manifestações e disse dar total
apoio. Marcelo precisa ir até o bairro Camobi diariamente e resolveu comprar
uma motocicleta. Segundo ele, vale mais a pena comprar uma moto do que gastar 5
reais apenas para se locomover até o trabalho.

Por volta das 15 horas, o ato seguiu para a
Prefeitura, para que os coordenadores do DCE entregassem ao prefeito a carta
com as manifestações. O objetivo principal da manifestação é que a comunidade
possa usufruir de um serviço de melhor qualidade, já que paga um preço abusivo
pela passagem.

 
protesto_estudantes5_jessica.jpg

No final da tarde, os estudantes foram recebidos na Prefeitura e ficou acertado que uma audiência com o prefeito César Schirmer será realizada na
próxima segunda, dia 30, às 15h, no auditório da Prefeitura.

 

 

 

 

 

Fotos: Marcelo Figueiredo e Jéssica Martini (Laboratório de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

O Diretório Central de Estudantes (DCE) e o movimento estudantil
organizado da UFSM, realizaram hoje à tarde um ato de protesto na praça
Saldanha Marinho. A manifestação é contra o aumento da tarifa de R$ 2,20 para
R$ 2,30 e também contra o modelo de passagem integrada implantado no município.

Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

 

protesto_estudantes3_jessica.jpgOs estudantes utilizaram baldes, apitos e
por vezes, gritos de ordem: “Esse aumento é salafrário, tira dos pobres para
dar aos empresários”.

 

Os universitários já haviam debatido sobre
o aumento das passagens de ônibus e o SIM (Sistema Integrado Municipal) na
última quinta-feira, 19 de maio, em assembleia geral.

 

Segundo um dos organizadores do ato e
estudante de História, Pedro Sérgio, o que está acontecendo é um ato simbólico.
Sérgio lembra que é direito do cidadão lutar por seus direitos. “Estamos
organizados e temos nosso objetivo, que é um projeto de integração de verdade”,
afirmou.

 

protesto_estudantes8_jessica.jpgConforme José Louzada, do DCE, mais de 200
pessoas participaram. Louzada elogia os estudantes, lembra que esse movimento é
organizado por eles, mas a população também deve participar, pois o transporte
público é para todos. O coordenador de Comunicação do DCE, José Luiz Zasso, diz
que as pessoas esperam pelos estudantes, pelo DCE para agirem contra o poder
público. “Fomos aplaudidos agora pouco, como se só nós estivéssemos aptos a
realizar uma manifestação”, comentou.

 

 

protesto_estudantes4_jessica.jpgO ato chamou atenção de quem passava pelo
local. O pedreiro Luiz Marcelo presenciou as manifestações e disse dar total
apoio. Marcelo precisa ir até o bairro Camobi diariamente e resolveu comprar
uma motocicleta. Segundo ele, vale mais a pena comprar uma moto do que gastar 5
reais apenas para se locomover até o trabalho.

Por volta das 15 horas, o ato seguiu para a
Prefeitura, para que os coordenadores do DCE entregassem ao prefeito a carta
com as manifestações. O objetivo principal da manifestação é que a comunidade
possa usufruir de um serviço de melhor qualidade, já que paga um preço abusivo
pela passagem.

 
protesto_estudantes5_jessica.jpg

No final da tarde, os estudantes foram recebidos na Prefeitura e ficou acertado que uma audiência com o prefeito César Schirmer será realizada na
próxima segunda, dia 30, às 15h, no auditório da Prefeitura.

 

 

 

 

 

Fotos: Marcelo Figueiredo e Jéssica Martini (Laboratório de Fotografia e Memória)