Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Os prefácios, o cerimonial e os ônibus

feira2011_quarta11_ligiamilitz_carloscoletto.jpgA patronesse Lígia Militz da Costa trouxe seus prefácios para a vitrine da Feira do Livro. Com ela, na sessão de autógrafos, também estavam a relações públicas Bety Azzolin e o jornalista e publicitário Carlos Alberto Bellinaso.

  

Prefácios na Vitrine – Ligia Militz da Costa

A patronesse lançou seus prefácios com o intuito de orientar e até mesmo apresentar para o leitor alguns escritores santa-marienses. O livro é composto de mini críticas e orientações de leitura. Entre os temas estão obras universitárias, poemas contos e crônicas.

De acordo com a autora, são muitos os prefácios escritos por ela, o primeiro tem 39 anos e está inserido na obra. Ligia conta que sempre teve o hábito de ler e fazer críticas escritas. Em função disso, as pessoas acabam pedindo que ela faça prefácios de outras obras. Motivada, ela resolveu selecioná-los e publicar o livro.

Todos os prefácios presentes na obra são de autores da cidade.  “Acredito estar fazendo uma homenagem a todos esses autores de Santa Maria”, enfatiza a patronesse.

Quando questionada sobre a Feira do Livro deste ano e sua participação, ela diz que no início estava com medo, mas agora já está triste por terminar no domingo. “É algo espetacular. A Feira faz parte da nossa formação”, diz a patronesse desta edição.

  

Cerimonial Universitário – Instrumento de Comunicação – 2* edição – Maria Lisabéte Terra Azzolin

feira2011_quarta11_betyazzolin_carloscoletto.jpgLembram daqueles preparativos todos para um cerimonial? Organização dos convidados na mesa principal, discurso do homenageado, etc. Pois é justamente disso que trata o livro de Maria Lisabéte Terra Azzolin. Após se formar, ela começou a trabalhar nessa área e aprendeu muitas coisas, principalmente o que não deve ser feito quando for organizar um evento e lidar com o público.

Em sua segunda edição, o livro com orientações para o desenvolvimento de um bom trabalho é motivo de orgulho para a escritora. “O livro é o começo da minha história na universidade. Acho que a procura é resultado do interesse das pessoas”, comenta Maria Lisabéte.

Ainda segundo ela, a obra pode ser utilizada por vários profissionais, não necessariamente os universitários, mas donos de empresas e até organizadores de eventos com pouca experiência.

  

 

Da carroça ao ÔnibusHistória dos pioneiros do transporte coletivo urbano de Santa Maria – Carlos Alberto Londero Belinaso

feira2011_quarta11_belinaso_carloscoletto.jpgInspirado pelo trabalho do avô, Pedro Londero Belinaso, pioneiro no transporte coletivo urbano em Santa Maria no ano de 1942, Carlos Alberto cresceu ouvindo histórias sobre o assunto e resolveu buscar mais informações sobre a trajetória dos coletivos municipais. O livro fala sobre a evolução dos meios de transporte e traz depoimentos daqueles que participaram desse processo.

O trabalho exigiu muita pesquisa, mas de acordo com o autor foi muito gratificante. “Foi muito gostoso, pois reencontrei pessoas que convivi na infância, motoristas de ônibus, cobradores”, comenta.

   

 

Fotos: Carlos Coletto (Laboratório de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

feira2011_quarta11_ligiamilitz_carloscoletto.jpgA patronesse Lígia Militz da Costa trouxe seus prefácios para a vitrine da Feira do Livro. Com ela, na sessão de autógrafos, também estavam a relações públicas Bety Azzolin e o jornalista e publicitário Carlos Alberto Bellinaso.

  

Prefácios na Vitrine – Ligia Militz da Costa

A patronesse lançou seus prefácios com o intuito de orientar e até mesmo apresentar para o leitor alguns escritores santa-marienses. O livro é composto de mini críticas e orientações de leitura. Entre os temas estão obras universitárias, poemas contos e crônicas.

De acordo com a autora, são muitos os prefácios escritos por ela, o primeiro tem 39 anos e está inserido na obra. Ligia conta que sempre teve o hábito de ler e fazer críticas escritas. Em função disso, as pessoas acabam pedindo que ela faça prefácios de outras obras. Motivada, ela resolveu selecioná-los e publicar o livro.

Todos os prefácios presentes na obra são de autores da cidade.  “Acredito estar fazendo uma homenagem a todos esses autores de Santa Maria”, enfatiza a patronesse.

Quando questionada sobre a Feira do Livro deste ano e sua participação, ela diz que no início estava com medo, mas agora já está triste por terminar no domingo. “É algo espetacular. A Feira faz parte da nossa formação”, diz a patronesse desta edição.

  

Cerimonial Universitário – Instrumento de Comunicação – 2* edição – Maria Lisabéte Terra Azzolin

feira2011_quarta11_betyazzolin_carloscoletto.jpgLembram daqueles preparativos todos para um cerimonial? Organização dos convidados na mesa principal, discurso do homenageado, etc. Pois é justamente disso que trata o livro de Maria Lisabéte Terra Azzolin. Após se formar, ela começou a trabalhar nessa área e aprendeu muitas coisas, principalmente o que não deve ser feito quando for organizar um evento e lidar com o público.

Em sua segunda edição, o livro com orientações para o desenvolvimento de um bom trabalho é motivo de orgulho para a escritora. “O livro é o começo da minha história na universidade. Acho que a procura é resultado do interesse das pessoas”, comenta Maria Lisabéte.

Ainda segundo ela, a obra pode ser utilizada por vários profissionais, não necessariamente os universitários, mas donos de empresas e até organizadores de eventos com pouca experiência.

  

 

Da carroça ao ÔnibusHistória dos pioneiros do transporte coletivo urbano de Santa Maria – Carlos Alberto Londero Belinaso

feira2011_quarta11_belinaso_carloscoletto.jpgInspirado pelo trabalho do avô, Pedro Londero Belinaso, pioneiro no transporte coletivo urbano em Santa Maria no ano de 1942, Carlos Alberto cresceu ouvindo histórias sobre o assunto e resolveu buscar mais informações sobre a trajetória dos coletivos municipais. O livro fala sobre a evolução dos meios de transporte e traz depoimentos daqueles que participaram desse processo.

O trabalho exigiu muita pesquisa, mas de acordo com o autor foi muito gratificante. “Foi muito gostoso, pois reencontrei pessoas que convivi na infância, motoristas de ônibus, cobradores”, comenta.

   

 

Fotos: Carlos Coletto (Laboratório de Fotografia e Memória)