Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Ana Kasper e a certeza de que valeu a pena

Eles passaram pelo curso de Jornalismo da Unifra.  Hoje estão no mercado de trabalho. São jornalistas, assessores, professores, pesquisadores, consultores, empreendedores. Atuam com a comunicação em diferentes partes do país e do mundo, e agora retornam em depoimentos sobre os 10 anos do curso.
Todos muito bem-vindos!

Ana Kasper formou em jornalismo na Unifra.

Entrei na Unifra em 2004,  uma escolha por acaso que deu certo. Fazia um bom tempo que não estava estudando, portanto, prestei vestibular para jornalismo apenas como uma tentativa de avaliar os meus conhecimentos. E não é que fui aprovada em primeira turma? E que turma! “A melhor” como gostamos de nos referir através das redes sociais que nos mantém conectados até hoje.

Começava aí a minha vida acadêmica, estudava à noite em Santa Maria, e trabalhava como estagiária o Jornal A Palavra durante o dia em São Sepé, onde moro. Dividia a minha vida em estudante, funcionária, mãe e esposa. Saía do trabalho direto para o ônibus com o coração de mãe apertado por deixar meu filho de apenas 3 anos em casa. Ele ficava na companhia do meu marido que me esperava à noite com um chimarrão bem quente, principalmente no inverno. Até porque as noites eram longas, devidos aos trabalhos da faculdade, que eu fazia durante a semana. Os finais de semana eram dedicados, exclusivamente, ao meu filho, hoje com 10 anos.

Foram quatro anos de faculdade, muito bem aproveitados, que passaram muito rápido, mas que me fizeram crescer muito como pessoa e como profissional. Entre as aulas teóricas, que fez com que a paixão pelo jornalismo falasse mais alto, e as aulas práticas de TV, com a presença confirmada e pacienciosa do Paulinho (cinegrafista), rádio, cinema com a criação de curtas e fotografia, uma verdadeira emoção.

Percebi, neste período, que o tempo era curto para mudar um projeto de monografia no último ano, mas com a paciência da minha orientadora, Glaíse Palma, cheguei à apresentação do trabalho de conclusão de curso. No final, para minha surpresa, a aprovação com a nota máxima, fez minha mãe, que me acompanhava ir às lágrimas.

Muitas saudades ficaram, dos professores companheiros de tantos trabalhos, redações, diversões, os amigos dos corredores, os colegas pinga-pinga, que cada dia estavam em uma turma diferente. Alguns se tornaram permanentes não só na faculdade, mas na vida, e os fiéis do início até a entrega do tão esperado canudo de formatura.

Durante este período de faculdade, sai do Jornal no ano de 2006 e fui para a Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal, onde permaneci até um ano após a minha formatura, 2009. No ano de 2010, fui convidada para assessorar a Câmara de Vereadores durante um ano. Hoje estou novamente na Prefeitura de São Sepé.

O aprendizado que a Universidade te proporciona, aqui fora, dá a certeza de que estamos certos, com base nas afirmações e decisões que nos são propostas. E, principalmente, o crescimento como ser humano, em dividir experiências com pessoas que irão fazer parte permanentemente da sua vida. Hoje posso dizer com todas as letras, valeu a pena!

Ana Kasper, jornalista formada pela Unifra, assessora de comunicação na prefeitura de São Sepé.

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Eles passaram pelo curso de Jornalismo da Unifra.  Hoje estão no mercado de trabalho. São jornalistas, assessores, professores, pesquisadores, consultores, empreendedores. Atuam com a comunicação em diferentes partes do país e do mundo, e agora retornam em depoimentos sobre os 10 anos do curso.
Todos muito bem-vindos!

Ana Kasper formou em jornalismo na Unifra.

Entrei na Unifra em 2004,  uma escolha por acaso que deu certo. Fazia um bom tempo que não estava estudando, portanto, prestei vestibular para jornalismo apenas como uma tentativa de avaliar os meus conhecimentos. E não é que fui aprovada em primeira turma? E que turma! “A melhor” como gostamos de nos referir através das redes sociais que nos mantém conectados até hoje.

Começava aí a minha vida acadêmica, estudava à noite em Santa Maria, e trabalhava como estagiária o Jornal A Palavra durante o dia em São Sepé, onde moro. Dividia a minha vida em estudante, funcionária, mãe e esposa. Saía do trabalho direto para o ônibus com o coração de mãe apertado por deixar meu filho de apenas 3 anos em casa. Ele ficava na companhia do meu marido que me esperava à noite com um chimarrão bem quente, principalmente no inverno. Até porque as noites eram longas, devidos aos trabalhos da faculdade, que eu fazia durante a semana. Os finais de semana eram dedicados, exclusivamente, ao meu filho, hoje com 10 anos.

Foram quatro anos de faculdade, muito bem aproveitados, que passaram muito rápido, mas que me fizeram crescer muito como pessoa e como profissional. Entre as aulas teóricas, que fez com que a paixão pelo jornalismo falasse mais alto, e as aulas práticas de TV, com a presença confirmada e pacienciosa do Paulinho (cinegrafista), rádio, cinema com a criação de curtas e fotografia, uma verdadeira emoção.

Percebi, neste período, que o tempo era curto para mudar um projeto de monografia no último ano, mas com a paciência da minha orientadora, Glaíse Palma, cheguei à apresentação do trabalho de conclusão de curso. No final, para minha surpresa, a aprovação com a nota máxima, fez minha mãe, que me acompanhava ir às lágrimas.

Muitas saudades ficaram, dos professores companheiros de tantos trabalhos, redações, diversões, os amigos dos corredores, os colegas pinga-pinga, que cada dia estavam em uma turma diferente. Alguns se tornaram permanentes não só na faculdade, mas na vida, e os fiéis do início até a entrega do tão esperado canudo de formatura.

Durante este período de faculdade, sai do Jornal no ano de 2006 e fui para a Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal, onde permaneci até um ano após a minha formatura, 2009. No ano de 2010, fui convidada para assessorar a Câmara de Vereadores durante um ano. Hoje estou novamente na Prefeitura de São Sepé.

O aprendizado que a Universidade te proporciona, aqui fora, dá a certeza de que estamos certos, com base nas afirmações e decisões que nos são propostas. E, principalmente, o crescimento como ser humano, em dividir experiências com pessoas que irão fazer parte permanentemente da sua vida. Hoje posso dizer com todas as letras, valeu a pena!

Ana Kasper, jornalista formada pela Unifra, assessora de comunicação na prefeitura de São Sepé.