Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

O futebol americano extrapola as fronteiras e chega a Santa Maria

Jogadores do Santa Maria Soldiers em partida.

Variante de outro esporte, porém, sem regras específicas. Foi assim que surgiu o futebol americano. O esporte, que é paixão nos Estados Unidos, nasceu em 1869, inspirado no rugby, durante uma partida entre a Universidade de Harvard e a Universidade de Yale. À primeira vista confundido com o rugby, as diferenças estão nas regras do jogo, percebidas no decorrer da partida. Uma das principais se vê quando um atleta que está com a posse da bola é derrubado, já que no futubel americano o jogo é interrompido pelo juiz, os times se realinham e reiniciam a partida de maneira organizada.

O futebol americano no Brasil – O esporte ganhou popularidade no Brasil, no final da década de 90, devido às transmissões feitas pela TV Bandeirantes do Campeonato de Futebol Americano. Com a crescente difusão das TVs a cabo e aberta, o esporte começou a se firmar. A modalidade foi reconhecida em 2000, pelo Ministério dos Esportes, Federação Internacional de Futebol Americano (IFAF), e Federação Pan-americana de Futebol Americano (PAFAF), com a criação da Associação de Futebol Americano do Brasil (AFAB).

O futebol americano em Santa Maria – A iniciativa partiu de um grupo de amigos que, em 2006, sonhavam em formar um time de futebol americano em Santa Maria. Mas, somente no final de 2007, o sonho de compor uma equipe se realizou e assim surgiu o Santa Maria Iron Horses, nome dado pela grandeza da história ferroviária da cidade. Porém, nos anos seguintes, o esporte não teve procura e foi extinto.

Em 2009, através de uma rede social, surgiram pessoas interessadas pela prática do esporte. Foi assim que a antiga equipe voltou ao cenário desportivo e passou a se chamar Santa Maria Soldiers, nome que faz referência ao enorme número de militares na cidade. Contando com o patrocínio de uma empresa da cidade e com a venda de materiais personalizados, o Soldiers ingressou nas competições em nível nacional.

No ano de 2011, o time fez a sua segunda participação no Campeonato Gaúcho de Futebol Americano e sagrou-se campeão na modalidade PADS, categoria sem equipamentos. Neste mesmo ano, o único time de futebol americano da cidade passou para a categoria FULL PADS, que faz o uso de protetores. Segundo o jogador do Soldiers, Douglas Rodrigues dos Santos, a equipe participa das duas modalidades existentes no país: “No primeiro semestre do ano, jogamos o Campeonato Gaúcho e, no segundo, o Campeonato Brasileiro”.

O jogo – Marcar pontos e ganhar território, estes são os principais objetivos do jogo. Com 22 jogadores em campo, 11 por equipe, a força e a velocidade são essenciais para a prática do esporte tático, que consiste em jogadas de curta duração. São permitidas ilimitadas substituições no decorrer do jogo e, além disso, o tempo não é corrido, ou seja, a cada lance interrompido, o cronômetro para até o recomeço da partida. Este é um dos motivos pelo qual o jogo é longo, tendo em média três horas de duração, com quatro quartos de 15 minutos cada.

A posse de bola no início do jogo é decidida através do famoso cara ou coroa. O time que começar recebendo o chute inicial – “kick off “- terá que abrir o terceiro quarto. Caso haja empate, existe uma prorrogação de 15 minutos e o time que marcar pontos primeiro é o vitorioso. Walter Camp, conhecido como o pai do futebol americano, foi o criador das regras básicas do esporte.

De acordo com o responsável pela arbitragem no Rio Grande do Sul, Paulo Roberto da Silva, a principal jogada de pontuação é o “touchdown”, que significa a entrada com a posse da bola na área ao fundo do campo adversário. Esta jogada converte seis pontos, sendo que o time ganha direito a mais um ponto extra, o chute livre, ou então, a tentativa de uma corrida ou passe valendo dois pontos.

Entre as demais jogadas, estão o “fumble”, quando um atacante tenta progredir com a bola e deixa a bola cair; a interceptação, quando o defensor recebe a bola que seria de um atacante; o “safety”, quando um atacante está com a bola e é derrubado na sua própria zona; o “turnovers, quando um time tenta avançar com a bola e acidentalmente perde a posse, entre outras.

Um esporte de contato – O futebol americano é conhecido como um esporte violento, porém, seus praticantes desmentem esta crítica. “O futebol americano é um esporte de contato, todo mundo que está ali treinou. Jogamos fisicamente e não deslealmente”, afirma Douglas.
Um desses fatos que contradizem este conceito é o respeito que os atletas possuem ao jogo e aos demais companheiros. Teve início nos EUA a tradição, que hoje é adotada mundialmente, de ajoelhar-se quando um dos atletas de ambas as equipes estiver caído em campo, em consideração ao jogador machucado.

Embora os esportistas defendam a modalidade como não violenta, o número de jogadores machucados é grande. O proprietário de ambulâncias Sergio Vieira conta que, durante uma partida, no mínimo 10 atletas se machucam. Este é um dos motivos pelo qual o número ideal de atletas para uma equipe seja de 50. O máximo é de 55 jogadores e 25 no mínimo pelas competições da AFAB. “Apesar disso, eles têm uma série de itens de proteção que torna o jogo menos agressivo”, confessa Vieira, sobre a força física que a modalidade exige.

Faça parte – Para os interessados no esporte, é só comparecer aos treinos do Santa Maria Soldiers que ocorrem todos os sábados, no campus da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), ao lado das piscinas, a partir dar 14h30min. Para os iniciantes, não é obrigatório o uso dos equipamentos necessários. É possível entrar em contato com o time, através do e-mail contato@santamariasoldiers.com.br.

Para mais informações, acesse o site oficial do time: http://santamariasoldiers.com.br/

 

Confira a tabela de nomes dados à cada posição dos jogadores em campo

Jogadores de ataque
Center Responsável pelo snap e por bloquear os defensores.
Offensive Guards Jogam juntos do center, e têm a missão de bloquear os defensores para proteger o quarterback.
Offensive Tackles Ficam na linha de ataque, mas são os que jogam nas pontas da mesma. A sua função é de proteger o quarterback.
Tight-End Jogador que bloqueia e recebe passes, joga fora da linha ofensiva.
Wide-Receivers Jogam abertos e se movimentam para receber um passe do quarterback.
Quarterback É o cérebro do time, responsável pela organização das jogadas ofensivas, é quem faz os passes.
Running Backs Os running backs na maioria das vezes se posicionam atrás do quarterback ou ao lado no início de cada jogada. Existem dois tipos principais de corredores: O halfback e o fullback.

 

Jogadores de defesa
Defensive Tackles Jogam no meio da linha de defesa.
Defensive Ends Jogam nas pontas da linha de defesa.
Linebackers Jogam logo atrás da linha de defesa, avançam para fazer tackles e às vezes fazem cobertura em passes curtos.
Cornerbacks Marcam os wide-receivers.
Safeties Responsáveis pela cobertura.

 

Jogadores especializados
Kicker Chuta os field goals e kick offs.
Punter Faz os punts.
Holder Segura a bola para um chute do kicker.
Receptors/Returner Devem agarrar uma bola chutada e correr o máximo que der para frente.

Texto e fotos: Cristian Cunha, Djuline Seiffert, Mariana Pedrozo e Renata Medina

Edição: Gilson Piber

Edição de web: Daniela Hinerasky

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Jogadores do Santa Maria Soldiers em partida.

Variante de outro esporte, porém, sem regras específicas. Foi assim que surgiu o futebol americano. O esporte, que é paixão nos Estados Unidos, nasceu em 1869, inspirado no rugby, durante uma partida entre a Universidade de Harvard e a Universidade de Yale. À primeira vista confundido com o rugby, as diferenças estão nas regras do jogo, percebidas no decorrer da partida. Uma das principais se vê quando um atleta que está com a posse da bola é derrubado, já que no futubel americano o jogo é interrompido pelo juiz, os times se realinham e reiniciam a partida de maneira organizada.

O futebol americano no Brasil – O esporte ganhou popularidade no Brasil, no final da década de 90, devido às transmissões feitas pela TV Bandeirantes do Campeonato de Futebol Americano. Com a crescente difusão das TVs a cabo e aberta, o esporte começou a se firmar. A modalidade foi reconhecida em 2000, pelo Ministério dos Esportes, Federação Internacional de Futebol Americano (IFAF), e Federação Pan-americana de Futebol Americano (PAFAF), com a criação da Associação de Futebol Americano do Brasil (AFAB).

O futebol americano em Santa Maria – A iniciativa partiu de um grupo de amigos que, em 2006, sonhavam em formar um time de futebol americano em Santa Maria. Mas, somente no final de 2007, o sonho de compor uma equipe se realizou e assim surgiu o Santa Maria Iron Horses, nome dado pela grandeza da história ferroviária da cidade. Porém, nos anos seguintes, o esporte não teve procura e foi extinto.

Em 2009, através de uma rede social, surgiram pessoas interessadas pela prática do esporte. Foi assim que a antiga equipe voltou ao cenário desportivo e passou a se chamar Santa Maria Soldiers, nome que faz referência ao enorme número de militares na cidade. Contando com o patrocínio de uma empresa da cidade e com a venda de materiais personalizados, o Soldiers ingressou nas competições em nível nacional.

No ano de 2011, o time fez a sua segunda participação no Campeonato Gaúcho de Futebol Americano e sagrou-se campeão na modalidade PADS, categoria sem equipamentos. Neste mesmo ano, o único time de futebol americano da cidade passou para a categoria FULL PADS, que faz o uso de protetores. Segundo o jogador do Soldiers, Douglas Rodrigues dos Santos, a equipe participa das duas modalidades existentes no país: “No primeiro semestre do ano, jogamos o Campeonato Gaúcho e, no segundo, o Campeonato Brasileiro”.

O jogo – Marcar pontos e ganhar território, estes são os principais objetivos do jogo. Com 22 jogadores em campo, 11 por equipe, a força e a velocidade são essenciais para a prática do esporte tático, que consiste em jogadas de curta duração. São permitidas ilimitadas substituições no decorrer do jogo e, além disso, o tempo não é corrido, ou seja, a cada lance interrompido, o cronômetro para até o recomeço da partida. Este é um dos motivos pelo qual o jogo é longo, tendo em média três horas de duração, com quatro quartos de 15 minutos cada.

A posse de bola no início do jogo é decidida através do famoso cara ou coroa. O time que começar recebendo o chute inicial – “kick off “- terá que abrir o terceiro quarto. Caso haja empate, existe uma prorrogação de 15 minutos e o time que marcar pontos primeiro é o vitorioso. Walter Camp, conhecido como o pai do futebol americano, foi o criador das regras básicas do esporte.

De acordo com o responsável pela arbitragem no Rio Grande do Sul, Paulo Roberto da Silva, a principal jogada de pontuação é o “touchdown”, que significa a entrada com a posse da bola na área ao fundo do campo adversário. Esta jogada converte seis pontos, sendo que o time ganha direito a mais um ponto extra, o chute livre, ou então, a tentativa de uma corrida ou passe valendo dois pontos.

Entre as demais jogadas, estão o “fumble”, quando um atacante tenta progredir com a bola e deixa a bola cair; a interceptação, quando o defensor recebe a bola que seria de um atacante; o “safety”, quando um atacante está com a bola e é derrubado na sua própria zona; o “turnovers, quando um time tenta avançar com a bola e acidentalmente perde a posse, entre outras.

Um esporte de contato – O futebol americano é conhecido como um esporte violento, porém, seus praticantes desmentem esta crítica. “O futebol americano é um esporte de contato, todo mundo que está ali treinou. Jogamos fisicamente e não deslealmente”, afirma Douglas.
Um desses fatos que contradizem este conceito é o respeito que os atletas possuem ao jogo e aos demais companheiros. Teve início nos EUA a tradição, que hoje é adotada mundialmente, de ajoelhar-se quando um dos atletas de ambas as equipes estiver caído em campo, em consideração ao jogador machucado.

Embora os esportistas defendam a modalidade como não violenta, o número de jogadores machucados é grande. O proprietário de ambulâncias Sergio Vieira conta que, durante uma partida, no mínimo 10 atletas se machucam. Este é um dos motivos pelo qual o número ideal de atletas para uma equipe seja de 50. O máximo é de 55 jogadores e 25 no mínimo pelas competições da AFAB. “Apesar disso, eles têm uma série de itens de proteção que torna o jogo menos agressivo”, confessa Vieira, sobre a força física que a modalidade exige.

Faça parte – Para os interessados no esporte, é só comparecer aos treinos do Santa Maria Soldiers que ocorrem todos os sábados, no campus da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), ao lado das piscinas, a partir dar 14h30min. Para os iniciantes, não é obrigatório o uso dos equipamentos necessários. É possível entrar em contato com o time, através do e-mail contato@santamariasoldiers.com.br.

Para mais informações, acesse o site oficial do time: http://santamariasoldiers.com.br/

 

Confira a tabela de nomes dados à cada posição dos jogadores em campo

Jogadores de ataque
Center Responsável pelo snap e por bloquear os defensores.
Offensive Guards Jogam juntos do center, e têm a missão de bloquear os defensores para proteger o quarterback.
Offensive Tackles Ficam na linha de ataque, mas são os que jogam nas pontas da mesma. A sua função é de proteger o quarterback.
Tight-End Jogador que bloqueia e recebe passes, joga fora da linha ofensiva.
Wide-Receivers Jogam abertos e se movimentam para receber um passe do quarterback.
Quarterback É o cérebro do time, responsável pela organização das jogadas ofensivas, é quem faz os passes.
Running Backs Os running backs na maioria das vezes se posicionam atrás do quarterback ou ao lado no início de cada jogada. Existem dois tipos principais de corredores: O halfback e o fullback.

 

Jogadores de defesa
Defensive Tackles Jogam no meio da linha de defesa.
Defensive Ends Jogam nas pontas da linha de defesa.
Linebackers Jogam logo atrás da linha de defesa, avançam para fazer tackles e às vezes fazem cobertura em passes curtos.
Cornerbacks Marcam os wide-receivers.
Safeties Responsáveis pela cobertura.

 

Jogadores especializados
Kicker Chuta os field goals e kick offs.
Punter Faz os punts.
Holder Segura a bola para um chute do kicker.
Receptors/Returner Devem agarrar uma bola chutada e correr o máximo que der para frente.

Texto e fotos: Cristian Cunha, Djuline Seiffert, Mariana Pedrozo e Renata Medina

Edição: Gilson Piber

Edição de web: Daniela Hinerasky