Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Projeto enfoca a beleza da mulher na luta contra câncer de mama

Em união com as cores da primavera vem o mês “por um mundo mais rosa”. Outubro é reconhecido mundialmente como o mês de prevenção e luta contra o câncer de mama. As primeiras ações e ideias do Outubro Rosa nasceram em 1997, nas cidades de Yuba e Lodi, nos Estados Unidos – para simbolizar a luta e sensibilizar as pessoas a cidade foi enfeitada de laços rosas.

O mês rosa veio para o Brasil em 2002, quando se comemorava os 70 anos da Revolução, o Mausoléu do Soldado Constitucionalista, Obelisco de Ibirapuera, em São Paulo. O monumento foi iluminado pela cor rosa por mulheres simpatizantes com a campanha contra o câncer de mama, em alusão ao Outubro Rosa. Acompanhe a história do projeto mundial no site.

DSC_0023-editadaOs acadêmicos do curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário Franciscano Arthur Barros, Laís Franchi, Danielle Cardoso e Pedro Gabriel, iniciaram um projeto coordenado pela professora Cristina Jobim, na cadeira de Projeto de Extensão e Comunicação Comunitária. O trabalho visa ao emponderamento da autoestima feminina de mulheres que foram diagnosticadas com câncer de mama por meio de ensaios fotográficos.
“Tínhamos que achar uma maneira de tratar essa doença de uma forma não tão usual. Como trabalhamos sem verba, optamos pelo Facebook. Vimos que tinha muita campanha de prevenção. Então, escolhemos por trabalhar com a confiança e autoestima das mulheres que tiveram câncer de mama”, explica Arthur. Os alunos encontraram as mulheres que tiveram câncer ou estavam em tratamento ainda pelo Clube 20, grupo de apoio para mulheres que tiveram essa doença, bem como na Liga Feminina de Combate ao Câncer.

As fotos foram feitas no Laboratório de Fotografia e Memória do Centro Universitário, com apoio da Andrea Mascarenhas, que emprestou artigos de roupas e jóias, e também com Fabiana Reis do Espaço Beleza, que fez a maquiagem. “Todo o desenvolvimento e progamação do projeto começou semestre passado, mas a divulgação das fotos e da página iniciou em setembro, com as imagens, e agora, em outubro estamos publicando os vídeos com depoimentos de quem lutou contra o câncer”, evidenciou o acadêmico.

Segundo Laís Franchi, os estudantes acreditavam que seria difícil conseguir que as mulheres se expusessem para contar suas histórias e tirar as fotos, mas foi tranquilo para encontrá-las e trazer para o projeto.

“A fotografia que teve mais impacto para a gente foi a que a Vera Vedovatto, que convidamos, decidiu mostrar o seio em que se realizou a cirurgia”, conta a acadêmica. Foi um trabalho bem tranquilo e alegre, segundo os estudantes. Elas riam e estavam se sentindo bem a vontade, fazendo poses e escutando músicas.

“Não sabemos se vamos continuar com a página e o projeto, pois a cada semestre temos um trabalho diferente, então fica bem apertado para conciliarmos. Nosso planejamento era para um semestre, não programamos para ficar além disso, mas talvez em outubro do ano que vem voltamos com a página, pois ele tomou uma proporção muito grande, então não iremos abandonar completamente”, ressalta Danielle Cardoso.

Os acadêmicos também fizeram camisetas rosas para divulgar o trabalho, e estão pensando em vendê-las, já que várias pessoas entraram em contato com eles e estão acompanhando a página no Facebook.

Segundo os estudantes, quando começaram a contatar as mulheres, algumas não se sentiram confortáveis para falar sobre ou fazer as fotos, pois recém tinham descoberto o diagnóstico, ainda digerindo e aceitando a doença. Mas quem topou ser fotografa, em sua maioria, já tinha passado pelos procedimentos, retirado os tumores, e estavam no tratamento após a superação da doença.

A página postou todas as fotos durante o mês de setembro, agora partirão para os depoimentos audiovisuais, no total serão cinco vídeos. Na última quarta-feira, 30, postamos o primeiro vídeo, será um por semana até o final do mês.

O projeto, como foca mais na beleza e feminilidade das mulheres, as fotos vêm acompanhadas com mensagens positivas de superação e força, segundo Laís. “Como elas já tiveram o câncer e se fala muito disso nas campanhas de prevenção aqui em Santa Maria, nossas mensagens são mais voltadas para a confiança das mulheres”, esclarece Pedro Gabriel Machado.

Eles também estão trabalhando com outras organizações de prevenção de câncer de mama aqui de Santa Maria, como o Mulheres Donas de Si, previsto para ser lançado na segunda-feira, pela TV Ovo.

“Vamos expor na Praça Saldanha Marino, aberto ao público, numa ação do Outubro Rosa, no domingo, 4, das 14h às 18h. Também haverá exposição no Espaço Esmeralda, na segunda-feira, 5, das 20h às 23h, é aberto ao público, porém quem quiser ver as fotos deve pegar o convite nas lojas e instituições que estão patrocinando a exposição, como o Airton Cabeleireiros, Seleto Saber, Bella Festa Decorações, Supermercado Beltrame, as Farmácias Associadas, entre outros.”

Dia 16 eles também exibirão as fotos do Reticências na CVI, e dias 19 e 20 no The Park, rua Venância Aires nº 2741.

O Laproa gravou o depoimento de Isabel Gomes que pode ser conferido no youtube.

LEIA TAMBÉM

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Em união com as cores da primavera vem o mês “por um mundo mais rosa”. Outubro é reconhecido mundialmente como o mês de prevenção e luta contra o câncer de mama. As primeiras ações e ideias do Outubro Rosa nasceram em 1997, nas cidades de Yuba e Lodi, nos Estados Unidos – para simbolizar a luta e sensibilizar as pessoas a cidade foi enfeitada de laços rosas.

O mês rosa veio para o Brasil em 2002, quando se comemorava os 70 anos da Revolução, o Mausoléu do Soldado Constitucionalista, Obelisco de Ibirapuera, em São Paulo. O monumento foi iluminado pela cor rosa por mulheres simpatizantes com a campanha contra o câncer de mama, em alusão ao Outubro Rosa. Acompanhe a história do projeto mundial no site.

DSC_0023-editadaOs acadêmicos do curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário Franciscano Arthur Barros, Laís Franchi, Danielle Cardoso e Pedro Gabriel, iniciaram um projeto coordenado pela professora Cristina Jobim, na cadeira de Projeto de Extensão e Comunicação Comunitária. O trabalho visa ao emponderamento da autoestima feminina de mulheres que foram diagnosticadas com câncer de mama por meio de ensaios fotográficos.
“Tínhamos que achar uma maneira de tratar essa doença de uma forma não tão usual. Como trabalhamos sem verba, optamos pelo Facebook. Vimos que tinha muita campanha de prevenção. Então, escolhemos por trabalhar com a confiança e autoestima das mulheres que tiveram câncer de mama”, explica Arthur. Os alunos encontraram as mulheres que tiveram câncer ou estavam em tratamento ainda pelo Clube 20, grupo de apoio para mulheres que tiveram essa doença, bem como na Liga Feminina de Combate ao Câncer.

As fotos foram feitas no Laboratório de Fotografia e Memória do Centro Universitário, com apoio da Andrea Mascarenhas, que emprestou artigos de roupas e jóias, e também com Fabiana Reis do Espaço Beleza, que fez a maquiagem. “Todo o desenvolvimento e progamação do projeto começou semestre passado, mas a divulgação das fotos e da página iniciou em setembro, com as imagens, e agora, em outubro estamos publicando os vídeos com depoimentos de quem lutou contra o câncer”, evidenciou o acadêmico.

Segundo Laís Franchi, os estudantes acreditavam que seria difícil conseguir que as mulheres se expusessem para contar suas histórias e tirar as fotos, mas foi tranquilo para encontrá-las e trazer para o projeto.

“A fotografia que teve mais impacto para a gente foi a que a Vera Vedovatto, que convidamos, decidiu mostrar o seio em que se realizou a cirurgia”, conta a acadêmica. Foi um trabalho bem tranquilo e alegre, segundo os estudantes. Elas riam e estavam se sentindo bem a vontade, fazendo poses e escutando músicas.

“Não sabemos se vamos continuar com a página e o projeto, pois a cada semestre temos um trabalho diferente, então fica bem apertado para conciliarmos. Nosso planejamento era para um semestre, não programamos para ficar além disso, mas talvez em outubro do ano que vem voltamos com a página, pois ele tomou uma proporção muito grande, então não iremos abandonar completamente”, ressalta Danielle Cardoso.

Os acadêmicos também fizeram camisetas rosas para divulgar o trabalho, e estão pensando em vendê-las, já que várias pessoas entraram em contato com eles e estão acompanhando a página no Facebook.

Segundo os estudantes, quando começaram a contatar as mulheres, algumas não se sentiram confortáveis para falar sobre ou fazer as fotos, pois recém tinham descoberto o diagnóstico, ainda digerindo e aceitando a doença. Mas quem topou ser fotografa, em sua maioria, já tinha passado pelos procedimentos, retirado os tumores, e estavam no tratamento após a superação da doença.

A página postou todas as fotos durante o mês de setembro, agora partirão para os depoimentos audiovisuais, no total serão cinco vídeos. Na última quarta-feira, 30, postamos o primeiro vídeo, será um por semana até o final do mês.

O projeto, como foca mais na beleza e feminilidade das mulheres, as fotos vêm acompanhadas com mensagens positivas de superação e força, segundo Laís. “Como elas já tiveram o câncer e se fala muito disso nas campanhas de prevenção aqui em Santa Maria, nossas mensagens são mais voltadas para a confiança das mulheres”, esclarece Pedro Gabriel Machado.

Eles também estão trabalhando com outras organizações de prevenção de câncer de mama aqui de Santa Maria, como o Mulheres Donas de Si, previsto para ser lançado na segunda-feira, pela TV Ovo.

“Vamos expor na Praça Saldanha Marino, aberto ao público, numa ação do Outubro Rosa, no domingo, 4, das 14h às 18h. Também haverá exposição no Espaço Esmeralda, na segunda-feira, 5, das 20h às 23h, é aberto ao público, porém quem quiser ver as fotos deve pegar o convite nas lojas e instituições que estão patrocinando a exposição, como o Airton Cabeleireiros, Seleto Saber, Bella Festa Decorações, Supermercado Beltrame, as Farmácias Associadas, entre outros.”

Dia 16 eles também exibirão as fotos do Reticências na CVI, e dias 19 e 20 no The Park, rua Venância Aires nº 2741.

O Laproa gravou o depoimento de Isabel Gomes que pode ser conferido no youtube.