Coordenador do vestibular da Unifra fala sobre o processo seletivo


Por Elizabeth Lima

 

Adilção Beust- Coordenador do Vestibular. Foto: Jéssica Marian

O vestibular do Centro Universitário Franciscano 2018 está transcorrendo de maneira tranquila e o professor Adilção Beust, um dos coordenadores do vestibular, avalia com satisfação a movimentação até agora.

ACS- Como o vestibular está ocorrendo? Houve algum tipo de problema?
Adilção Beust-De forma geral, não houve nenhum problema. Tenho informação de que dois colegas tiveram problema de pressão arterial e foram atendidos. Exceto isso, tudo está excelente. O fato da prova estar sendo realizada no turno da tarde tem facilitado as coisas, pois os alunos almoçam e conseguem vir mais descansados. Na questão da estrutura de logística dos prédios sempre tem aqueles vestibulandos que acabam não lendo todas as informações corretamente, mesmo recebendo emails de nossa equipe com todos os dados. Houve três candidatos que vieram para o Conjunto III por engano e deveriam ter ido para o conjunto II. Eles foram encaminhados para o conjunto correto. Mais tarde, já próximo ao horário de início das provas, mais dois candidatos também apresentaram-se no conjunto errado e foram conduzidos até o local certo por um carro da instituição.
Com relação à prova, felizmente não tivemos problema nenhum. Os alunos entraram tranquilamente e estão realizando as provas. Claro que  a partir das 17:30, quando todos tiverem saído das provas e fizerem contato com os professores dos cursinhos, alguns questionamentos podem surgir. O que é natural e nós somos bem democráticos com esse tipo de questionamento.

ACS- E o que os vestibulandos devem fazer nesses casos?
A.B –  Nós temos um formulário eletrônico no site da instituição, chamado Formulário de Recurso, onde o candidato pode preencher e assim ter o direito de questionar a questão, desde que ele faça o embasamento fundamentado e seja efetivamente inscrito no nosso processo.

ACS- O número de abstenções foi próximo do que vocês esperavam?
A.B- A nossa média de abstenção tem sido sempre em torno de 12%. Esperávamos esse número novamente, mas nesta edição tivemos um número de 9.95%. Eu achei essa queda bastante significativa. Exatamente 384 candidatos não vieram fazer a prova, o que eu achei bem razoável.

ACS- Os professores de cursinhos poderão fazer a prova mais tarde. Como isso vai funcionar?
A. B- Nós temos no Salão de Atos do prédio 13 do conjunto III um espaço reservado para que os professores dos cursinhos possam realizar a prova. Eles entram nas mesmas condições dos candidatos e fazem a prova das 16h30 às 17h30. Quando tocar o sinal de término de provas, eles poderão se retirar levando o exame que fizeram. A participação desses professores para nós é muito importante,  pois eles colaboram com  a nossa prova e a crítica deles também é muito importante. Em todos esses anos nós abrimos esse espaço e sempre foi positivo.

ACS- Sobre o tema da redação, o que você pode comentar?
A.B- O tema da redação”O problema não é o que vira notícia, mas o que deixa de ser”. A grande questão por trás é a nossa sociedade, o que realmente deve ser notícia, o que é importante pra sociedade de maneira geral. Eu, como matemático, posso fazer uma relação da seguinte maneira: eu observo, principalmente, em nossos governantes, que se trabalha muito em cima de número e estatísticas. Na verdade não é isso que nós estamos visualizando em nossa sociedade, então, o tema está bem dentro dessa linha.

 

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *