Limites do melhoramento genético é tema do Cine ConsCiência


Por Luisa Peixoto

 

O projeto de extensão Cine ConsCiência promove na próxima terça-feira, dia 31, às 18h30min, no Salão Azul do Conjunto I do Centro Universitário Franciscano, mais uma sessão cinematográfica.

O filme ‘Gattaca – Experiência Genética’ (1997) servirá como ponto de partida para as discussões acerca do tema. As inscrições estão abertas em unifra.br. No dia da exibição é pedido que cada participante doe um quilo de alimento não perecível, a ser destinado a uma instituição carente de Santa Maria.

Sinopse: Gattaca – A Experiência Genética (1997), é um filme de ficção científica que mostra um futuro onde as pessoas não são mais geradas de forma natural: os bebês são gerados in vitro, dentro de laboratórios. Neles os embriões passam por seleção e modificação genética para que sejam gerados “bebês perfeitos” com a mínima chance de desenvolverem doenças e deficiências ao longo de sua vida toda. Esse DNA, sequenciado em laboratório, passa a definir a vida toda da pessoa. As empresas passam a contratar funcionários com a carga genética ideal para a carreira e as pessoas passam a escolher seus parceiros também usando as projeções feitas a partir do DNA. Isso coloca à margem aquelas pessoas “imperfeitas” que ainda foram geradas pelos métodos naturais. Vincent Freeman (Ethan Hawke), é uma dessas pessoas. O rapaz tem o sonho de trabalhar na empresa Gattaca, que conduz voos espaciais, mas seu DNA não é adequado para o cargo. Para realizar seu sonho, Vincent assume a identidade de um ex-atleta que, depois de um acidente, se torna paraplégico. Gattaca é o primeiro filme do diretor e roteirista Andrew Niccol e conta também com a atriz Uma Thurman em seu elenco.

O tema desta edição é ‘Quem somos e para onde vamos: Os desafios e limites morais das técnicas de melhoramento genético’. Para isso, haverá discussão do professor Christian Viezzer, do curso de Biomedicina. O Cine ConsCiência é um projeto de extensão do Centro Universitário Franciscano que visa a integralidade dos saberes, partindo do pressuposto de que diferentes áreas do conhecimento podem dialogar.

Trailer: 

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *