Biofilmes: comunidades microbianas e a pesquisa de ponta


Por Caroline Comassetto

 

Durante os dias 10 e 11 de setembro ocorre o Workshop em Biotecnologia e Nanociências, da Universidade Franciscana. Entre os temas discutidos na manhã desta segunda-feira, 10, estão os Biofilmes, comunidades microbianas(bactérias ou fungos), ou seja, um componente de microrganismo que assume um comportamento multicelular e podem viver no ambiente ou em alguma superfície.

 Roberto Christ Vianna Santos, professor e doutor em Biologia Celular e Molecular pela PUCRS/Universitat de Barcelona, apresentou ao público conceitos, implicações e inovações que envolvem os biofilmes, dimensionando a evolução (passado), as implicações e dificuldades terapêuticas (presente) e as inovações tecnológicas (futuro) dessas comunidades.

Ele ressalta que um dos interesses da pesquisa de biofilmes está relacionado com estudos à procura de vida em outros planetas, como Marte. E exemplifica com as pesquisas da Agência americana de Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (NASA) que procura a existência destes microrganismos no solo e nas rochas de um outro planeta, principalmente atrás de alguma indicação de água, “pois os biofilmes são bioassinaturas, como impressões digitais, que significam vida”, explica o professor. Um problema relacionado à formação de biofilmes está na sua grande aderência aos produtos médico-hospitalares, segundo Roberto Vianna, pois “não existe biomaterial que resista à formação de biofilmes”. 

Santos destaca a importância das pesquisas na área e ressalta que, hoje, a solução está nos novos produtos, no uso conjunto de múltiplas substâncias e na nanotecnologia.

       

Comentários fechados.