Exposição comemora 15 anos do curso de Arquitetura da Unifra


Por Gabriela Gabbi

 

15 anos do curso de Arquitetura da Unifra. Fotos: Aline Gonçalves/LABFEM

  Na tarde de ontem, 12 de março, a coordenação do curso de Arquitetura e Urbanismo, junto aos alunos do DARQ (Diretório Acadêmico Arquitetura e Urbanismo), lançou uma exposição comemorativa dos 15 anos do curso na sala Angelita Stefani, no hall do prédio 14, no conjunto III da Unifra. A exposição reúne a memória do curso através do percurso dos estudantes e ficará disponível para a comunidade santa-mariense e acadêmicos do Centro Universitário Franciscano até o dia 23 de março.

   Natália Rosso, 21 anos, estudante do 5° semestre de Arquitetura, relata que a diferença é significativa, pois veio para o curso muito inexperiente e sente que a partir do segundo ano de graduação tudo mudou. A experiência é ” fantástica, pois na arquitetura são muitas áreas de conhecimento. Eu espero que muitas pessoas que não façam Arquitetura venham ver a exposição, pois a sociedade tem aquele pensamento que no curso é só fazer casinha’’, relata Natália.

O coordenador do curso Francisco  Queruz, que está no terceiro ano de coordenação e faz parte do corpo docente do curso desde 2005, afirma que a diferença é muito pautada pela mudança, inclusive pelas gerações de alunos que vem vindo. Segundo ele, o aluno de 2004, 2005 era mais manual, analógico,enquanto que  o de hoje é mais digital, ou seja, “a evolução é constante, pois temos que acompanhar as mudanças da sociedade”.

Exposição reúne trabalhos dos acadêmicos do curso de Arquitetura e Urbanismo.

Lívia Brum, 20 anos, estudante do 9° semestre do curso e membro do DARQ (Diretório Acadêmico Arquitetura e Urbanismo), conta que foi bem interessante montar a exposição a partir da coleta dos trabalhos e projetos. ” Ao mesmo tempo que foi trabalhoso, tinha também a inspiração, pois eram os nossos trabalhos, os trabalhos dos nossos colegas e a gente queria mostrar isso. A ideia de mostrar os trabalhos na linha do tempo surgiu quando os alunos resolveram não mais descartar as experiências das aulas. ‘’Nos matamos fazendo uma maquete que dá o maior trabalho, por meses às vezes. Daí apresentamos e não raro o trabalho vai para o lixo, pois não temos espaço para guardar tudo. Então, junto à coordenação, resolvemos fazer a mostra, selecionando os melhores trabalhos’’, diz Lívia.

Aberta ao público, a exposição na sala Angelita Stefani  tem visitação de  segunda à sexta das 9:00 às 12:00 e das 14:00 às 18:00.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *